news:

Sul de Minas

Diretor de presídio é preso durante investigação no Sul de Minas


foto_principal.png
05/01/2018

Matéria extraída do G1

 

Rodrigues Junqueira Costa é suspeito de envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva; ele nega as acusações.

 

O diretor do presídio de São Sebastião do Paraíso, Rodrigues Junqueira Costa, foi preso nesta quinta-feira (4). Ele é investigado desde setembro de 2017 por suposto envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva. De acordo com a polícia, ele também é suspeito de receber propina de detentos e até liberar a visita íntima de menor dentro do presídio. Ele nega as acusações.

 

Segundo a Polícia Civil, o mandado de prisão temporária era do dia 19 de dezembro, mas por causa das festas de fim de ano foi cumprido só agora. Costa foi detido em casa.

 

A investigação começou quando a corregedoria do presídio recebeu uma denúncia de que uma agente penitenciária estaria com 5 pinos de cocaína e um celular no colete de trabalho. Os objetos foram encontrados no colete em uma sala no prédio.

 

Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu provas de que quem colocou o celular e a droga no colete da agente foi o próprio diretor do presidio.

 

"O Rodrigues autorizou a namorada, até então, de um detento a ingressar no presídio, mesmo sendo menor de idade, sem os cadastros necessários. Ele autorizou a realização de uma visita íntima. E após, ela comprou um aparelho celular e, por terceira pessoa, fez esse aparelho chegar nas mãos dele. E, em seguida, esse aparelho apareceu juntamente com as drogas e os pertences pessoais da agente penitenciária", explicou o delegado Tiago Bordini.

 

 

Diretor de presídio é preso durante investigação em São Sebastião do Paraíso.

 

 

Segundo as investigações, a diretora adjunta Érica Cristina de Oliveira o diretor a apagar provas, como imagens do circuito interno do presidio. Os dois foram afastados dos cargos. Costa também é suspeito de receber propina de um detento.

 

O diretor prestou depoimento na delegacia por mais de 3 horas e foi encaminhado ao presidio de Uberlândia. A advogada dele não quis dar entrevista, mas disse que tudo será esclarecido no decorrer do processo.

 

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que o diretor costa foi exonerado do cargo em outubro do ano passado e que continua afastado de suas funções até o fim das investigações.

 


Rodrigues Junqueira Costa é suspeito de envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva; ele nega as acusações.


 


O diretor do presídio de São Sebastião do Paraíso, Rodrigues Junqueira Costa, foi preso nesta quinta-feira (4). Ele é investigado desde setembro de 2017 por suposto envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva. De acordo com a polícia, ele também é suspeito de receber propina de detentos e até liberar a visita íntima de menor dentro do presídio. Ele nega as acusações.


 


Segundo a Polícia Civil, o mandado de prisão temporária era do dia 19 de dezembro, mas por causa das festas de fim de ano foi cumprido só agora. Costa foi detido em casa.


 


A investigação começou quando a corregedoria do presídio recebeu uma denúncia de que uma agente penitenciária estaria com 5 pinos de cocaína e um celular no colete de trabalho. Os objetos foram encontrados no colete em uma sala no prédio.


 


Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu provas de que quem colocou o celular e a droga no colete da agente foi o próprio diretor do presidio.


 


"O Rodrigues autorizou a namorada, até então, de um detento a ingressar no presídio, mesmo sendo menor de idade, sem os cadastros necessários. Ele autorizou a realização de uma visita íntima. E após, ela comprou um aparelho celular e, por terceira pessoa, fez esse aparelho chegar nas mãos dele. E, em seguida, esse aparelho apareceu juntamente com as drogas e os pertences pessoais da agente penitenciária", explicou o delegado Tiago Bordini.


PATROCINADORES

 


 



Diretor de presídio é preso durante investigação em São Sebastião do Paraíso.


 


 


Segundo as investigações, a diretora adjunta Érica Cristina de Oliveira o diretor a apagar provas, como imagens do circuito interno do presidio. Os dois foram afastados dos cargos. Costa também é suspeito de receber propina de um detento.


 


O diretor prestou depoimento na delegacia por mais de 3 horas e foi encaminhado ao presidio de Uberlândia. A advogada dele não quis dar entrevista, mas disse que tudo será esclarecido no decorrer do processo.


 


A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que o diretor costa foi exonerado do cargo em outubro do ano passado e que continua afastado de suas funções até o fim das investigações.



Rodrigues Junqueira Costa é suspeito de envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva; ele nega as acusações.



O diretor do presídio de São Sebastião do Paraíso, Rodrigues Junqueira Costa, foi preso nesta quinta-feira (4). Ele é investigado desde setembro de 2017 por suposto envolvimento em crimes como tráfico de drogas, fraude processual e corrupção passiva. De acordo com a polícia, ele também é suspeito de receber propina de detentos e até liberar a visita íntima de menor dentro do presídio. Ele nega as acusações.



Segundo a Polícia Civil, o mandado de prisão temporária era do dia 19 de dezembro, mas por causa das festas de fim de ano foi cumprido só agora. Costa foi detido em casa.



A investigação começou quando a corregedoria do presídio recebeu uma denúncia de que uma agente penitenciária estaria com 5 pinos de cocaína e um celular no colete de trabalho. Os objetos foram encontrados no colete em uma sala no prédio.



PATROCINADORES

Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu provas de que quem colocou o celular e a droga no colete da agente foi o próprio diretor do presidio.



"O Rodrigues autorizou a namorada, até então, de um detento a ingressar no presídio, mesmo sendo menor de idade, sem os cadastros necessários. Ele autorizou a realização de uma visita íntima. E após, ela comprou um aparelho celular e, por terceira pessoa, fez esse aparelho chegar nas mãos dele. E, em seguida, esse aparelho apareceu juntamente com as drogas e os pertences pessoais da agente penitenciária", explicou o delegado Tiago Bordini.





Diretor de presídio é preso durante investigação em São Sebastião do Paraíso.



PATROCINADORES

Segundo as investigações, a diretora adjunta Érica Cristina de Oliveira o diretor a apagar provas, como imagens do circuito interno do presidio. Os dois foram afastados dos cargos. Costa também é suspeito de receber propina de um detento.



O diretor prestou depoimento na delegacia por mais de 3 horas e foi encaminhado ao presidio de Uberlândia. A advogada dele não quis dar entrevista, mas disse que tudo será esclarecido no decorrer do processo.



A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que o diretor costa foi exonerado do cargo em outubro do ano passado e que continua afastado de suas funções até o fim das investigações.





Veja Também