news:

Sul de Minas

Sul de Minas deve receber três centros socioeducativos para menores


foto_principal.jpg
10/01/2018

Matéria extraída do G1

 

Prédio de Passos está pronto para ser inaugurado; outras unidades devem ser instaladas em Lavras e Alfenas.

 

O Sul de Minas deve receber três centro socioeducativos para menores nos próximos anos. De acordo com o Governo de Minas Gerais, as unidades devem funcionar em Passos, Alfenas e Lavras.

 

De acordo com a previsão da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o centro socioeducativo de Passos, que já está concluído, deve ser inaugurado entre fevereiro e março deste ano. Funcionários já foram contratados e treinados.

 

Agora a secretaria aguarda a conclusão de questões contratuais para dar início às atividades. A unidade de internação terá capacidade para receber 40 adolescentes do sexo masculino.

 

Para Alfenas, o convênio com o Governo Federal para a construção do centro e o edital de licitação já foram publicados. A unidade terá capacidade para atender 90 adolescentes e a previsão de inauguração é entre 2019 e 2020.

 

Já o processo de construção do socioeducativo de Lavras está na fase inicial. Para que o projeto prossiga, é preciso a aprovação do terreno onde o prédio seve ser construído, fazendo com que o edital de licitação possa ser publicado.

 

 

Aumento na participação em crimes

 

Das ocorrências investigadas pela Polícia Civil, já chega a 70% a participação de menores. A falta de centros dificulta combate à criminalidade.

 

“Infelizmente os menores estão sendo utilizados como instrumento dos imputáveis, buscando mesmo uma impunidade, sabedores que a legislação que trata do adolescente quanto à custódia, à restrição da sua liberdade, é bem impeditiva”, afirma o delegado Gabriel Belchior.

 

Por determinação da Justiça, os adolescentes infratores não podem ser levados para o presídio e precisa aguardar o Estado liberar uma vaga num centro de ressocialização.

 

“Foi uma preservação para o menor, para garantir que ele não tenha contato [com presos] de forma alguma”, afirma o juiz Milton Furquim.

 

Para o delegado, isso pode aumentar a chance do menor voltar cometer crimes.

 

“Quando ele sabe que nada é capaz de restringir sua liberdade ou de impedir ou de prevenir que ele pratique algum ato que não é de acordo com certeza ele não vai ter freios na sua conduta”, completa o delegado.

Prédio de Passos está pronto para ser inaugurado; outras unidades devem ser instaladas em Lavras e Alfenas.


 


O Sul de Minas deve receber três centro socioeducativos para menores nos próximos anos. De acordo com o Governo de Minas Gerais, as unidades devem funcionar em Passos, Alfenas e Lavras.


 


De acordo com a previsão da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o centro socioeducativo de Passos, que já está concluído, deve ser inaugurado entre fevereiro e março deste ano. Funcionários já foram contratados e treinados.


 


Agora a secretaria aguarda a conclusão de questões contratuais para dar início às atividades. A unidade de internação terá capacidade para receber 40 adolescentes do sexo masculino.


 


Para Alfenas, o convênio com o Governo Federal para a construção do centro e o edital de licitação já foram publicados. A unidade terá capacidade para atender 90 adolescentes e a previsão de inauguração é entre 2019 e 2020.


 


Já o processo de construção do socioeducativo de Lavras está na fase inicial. Para que o projeto prossiga, é preciso a aprovação do terreno onde o prédio seve ser construído, fazendo com que o edital de licitação possa ser publicado.


 


 


PATROCINADORES

Aumento na participação em crimes


 


Das ocorrências investigadas pela Polícia Civil, já chega a 70% a participação de menores. A falta de centros dificulta combate à criminalidade.


 


“Infelizmente os menores estão sendo utilizados como instrumento dos imputáveis, buscando mesmo uma impunidade, sabedores que a legislação que trata do adolescente quanto à custódia, à restrição da sua liberdade, é bem impeditiva”, afirma o delegado Gabriel Belchior.


 


Por determinação da Justiça, os adolescentes infratores não podem ser levados para o presídio e precisa aguardar o Estado liberar uma vaga num centro de ressocialização.


 


“Foi uma preservação para o menor, para garantir que ele não tenha contato [com presos] de forma alguma”, afirma o juiz Milton Furquim.


 


Para o delegado, isso pode aumentar a chance do menor voltar cometer crimes.


 


“Quando ele sabe que nada é capaz de restringir sua liberdade ou de impedir ou de prevenir que ele pratique algum ato que não é de acordo com certeza ele não vai ter freios na sua conduta”, completa o delegado.



Prédio de Passos está pronto para ser inaugurado; outras unidades devem ser instaladas em Lavras e Alfenas.


 


O Sul de Minas deve receber três centro socioeducativos para menores nos próximos anos. De acordo com o Governo de Minas Gerais, as unidades devem funcionar em Passos, Alfenas e Lavras.


 


De acordo com a previsão da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o centro socioeducativo de Passos, que já está concluído, deve ser inaugurado entre fevereiro e março deste ano. Funcionários já foram contratados e treinados.


 


Agora a secretaria aguarda a conclusão de questões contratuais para dar início às atividades. A unidade de internação terá capacidade para receber 40 adolescentes do sexo masculino.


 


Para Alfenas, o convênio com o Governo Federal para a construção do centro e o edital de licitação já foram publicados. A unidade terá capacidade para atender 90 adolescentes e a previsão de inauguração é entre 2019 e 2020.


PATROCINADORES

 


Já o processo de construção do socioeducativo de Lavras está na fase inicial. Para que o projeto prossiga, é preciso a aprovação do terreno onde o prédio seve ser construído, fazendo com que o edital de licitação possa ser publicado.


 


 


Aumento na participação em crimes


 


Das ocorrências investigadas pela Polícia Civil, já chega a 70% a participação de menores. A falta de centros dificulta combate à criminalidade.


 


“Infelizmente os menores estão sendo utilizados como instrumento dos imputáveis, buscando mesmo uma impunidade, sabedores que a legislação que trata do adolescente quanto à custódia, à restrição da sua liberdade, é bem impeditiva”, afirma o delegado Gabriel Belchior.


PATROCINADORES

 


Por determinação da Justiça, os adolescentes infratores não podem ser levados para o presídio e precisa aguardar o Estado liberar uma vaga num centro de ressocialização.


 


“Foi uma preservação para o menor, para garantir que ele não tenha contato [com presos] de forma alguma”, afirma o juiz Milton Furquim.


 


Para o delegado, isso pode aumentar a chance do menor voltar cometer crimes.


 


“Quando ele sabe que nada é capaz de restringir sua liberdade ou de impedir ou de prevenir que ele pratique algum ato que não é de acordo com certeza ele não vai ter freios na sua conduta”, completa o delegado.



Veja Também