news:

Esporte

Com Edilson, Cruzeiro volta a ter lateral-direito cobrador de faltas


foto_principal.jpg
13/01/2018

Camisa 22 cruzeirense mostrou qualidade no fundamento por outros clubes.

 

Se o assunto é cobrança de falta, o Cruzeiro está bem servido em 2018. Thiago Neves, Arrascaeta, Rafael Sobis, Robinho, Egídio e até mesmo Fred são especialistas na jogada. Nenhum deles, porém, teve melhor aproveitamento que o lateral-direito Edilson em 2017. Pelo Grêmio, o jogador marcou três gols em tiros livres de fora da área. Ao aliar potência e precisão, o camisa 22 será mais uma arma na bola parada pela Raposa.

 

A reportagem do Superesportes assistiu aos gols feitos por Edilson nos principais clubes da carreira. De 31 tentos, 14 foram de falta, sendo três pelo Grêmio, dois pelo Botafogo, um pelo Atlético-PR, seis pela Ponte Preta, um pelo Atlético e um pelo Vitória. O jogador também balançou as redes por Avaí e Corinthians, mas em outros tipos de jogada. Não há informações sobre a passagem de Edilson pelo Guarani-SC, em 2008.

 

Na entrevista coletiva de apresentação, o jogador de 31 anos falou a respeito de sua principal virtude ofensiva. “Ano passado fiz alguns gols de falta. A gente treina. Tudo na vida é treinamento. Claro que tem o dom que Deus nos deu de bater mais forte na bola, mas isso exige treinamento, tem estar forte nas pernas para acertar. Preciso estar concentrado. Não tem muito segredo, é questão de treino e concentração”.

 

Com a chegada de Edilson, o Cruzeiro volta a ter um lateral-direito de confiança em cobranças de falta. Os atletas da posição que mais conseguiram sucesso nas bolas paradas pelo clube foram Nelinho, nas décadas de 1970 e 1980, e Paulo Roberto Costa, que chegou à Toca da Raposa em 1992.

 

Nelinho é considerado um dos melhores chutadores do futebol. Na 13ª posição entre os maiores artilheiros da história do clube (106 gols em 411 partidas), ele marcou 42 gols batendo faltas. É o recordista nesse fundamento, segundo o Almanaque do Cruzeiro. De acordo com os números levantados pelo site Futebol 80, Nelinho contabilizou 172 gols em 18 anos de carreira. Pela Raposa, foi campeão da Copa Libertadores, em 1976, e do Campeonato Mineiro, em 1973, 1974, 1975 e 1977.

 

 

Nelinho se consagrou nos anos 70 como jogador do Cruzeiro.

Camisa 22 cruzeirense mostrou qualidade no fundamento por outros clubes.


 


Se o assunto é cobrança de falta, o Cruzeiro está bem servido em 2018. Thiago Neves, Arrascaeta, Rafael Sobis, Robinho, Egídio e até mesmo Fred são especialistas na jogada. Nenhum deles, porém, teve melhor aproveitamento que o lateral-direito Edilson em 2017. Pelo Grêmio, o jogador marcou três gols em tiros livres de fora da área. Ao aliar potência e precisão, o camisa 22 será mais uma arma na bola parada pela Raposa.


 


A reportagem do Superesportes assistiu aos gols feitos por Edilson nos principais clubes da carreira. De 31 tentos, 14 foram de falta, sendo três pelo Grêmio, dois pelo Botafogo, um pelo Atlético-PR, seis pela Ponte Preta, um pelo Atlético e um pelo Vitória. O jogador também balançou as redes por Avaí e Corinthians, mas em outros tipos de jogada. Não há informações sobre a passagem de Edilson pelo Guarani-SC, em 2008.


 


Na entrevista coletiva de apresentação, o jogador de 31 anos falou a respeito de sua principal virtude ofensiva. “Ano passado fiz alguns gols de falta. A gente treina. Tudo na vida é treinamento. Claro que tem o dom que Deus nos deu de bater mais forte na bola, mas isso exige treinamento, tem estar forte nas pernas para acertar. Preciso estar concentrado. Não tem muito segredo, é questão de treino e concentração”.


PATROCINADORES

 


Com a chegada de Edilson, o Cruzeiro volta a ter um lateral-direito de confiança em cobranças de falta. Os atletas da posição que mais conseguiram sucesso nas bolas paradas pelo clube foram Nelinho, nas décadas de 1970 e 1980, e Paulo Roberto Costa, que chegou à Toca da Raposa em 1992.


 


Nelinho é considerado um dos melhores chutadores do futebol. Na 13ª posição entre os maiores artilheiros da história do clube (106 gols em 411 partidas), ele marcou 42 gols batendo faltas. É o recordista nesse fundamento, segundo o Almanaque do Cruzeiro. De acordo com os números levantados pelo site Futebol 80, Nelinho contabilizou 172 gols em 18 anos de carreira. Pela Raposa, foi campeão da Copa Libertadores, em 1976, e do Campeonato Mineiro, em 1973, 1974, 1975 e 1977.


 


 


Nelinho se consagrou nos anos 70 como jogador do Cruzeiro.


Camisa 22 cruzeirense mostrou qualidade no fundamento por outros clubes.



Se o assunto é cobrança de falta, o Cruzeiro está bem servido em 2018. Thiago Neves, Arrascaeta, Rafael Sobis, Robinho, Egídio e até mesmo Fred são especialistas na jogada. Nenhum deles, porém, teve melhor aproveitamento que o lateral-direito Edilson em 2017. Pelo Grêmio, o jogador marcou três gols em tiros livres de fora da área. Ao aliar potência e precisão, o camisa 22 será mais uma arma na bola parada pela Raposa.



A reportagem do Superesportes assistiu aos gols feitos por Edilson nos principais clubes da carreira. De 31 tentos, 14 foram de falta, sendo três pelo Grêmio, dois pelo Botafogo, um pelo Atlético-PR, seis pela Ponte Preta, um pelo Atlético e um pelo Vitória. O jogador também balançou as redes por Avaí e Corinthians, mas em outros tipos de jogada. Não há informações sobre a passagem de Edilson pelo Guarani-SC, em 2008.



PATROCINADORES

Na entrevista coletiva de apresentação, o jogador de 31 anos falou a respeito de sua principal virtude ofensiva. “Ano passado fiz alguns gols de falta. A gente treina. Tudo na vida é treinamento. Claro que tem o dom que Deus nos deu de bater mais forte na bola, mas isso exige treinamento, tem estar forte nas pernas para acertar. Preciso estar concentrado. Não tem muito segredo, é questão de treino e concentração”.



Com a chegada de Edilson, o Cruzeiro volta a ter um lateral-direito de confiança em cobranças de falta. Os atletas da posição que mais conseguiram sucesso nas bolas paradas pelo clube foram Nelinho, nas décadas de 1970 e 1980, e Paulo Roberto Costa, que chegou à Toca da Raposa em 1992.



Nelinho é considerado um dos melhores chutadores do futebol. Na 13ª posição entre os maiores artilheiros da história do clube (106 gols em 411 partidas), ele marcou 42 gols batendo faltas. É o recordista nesse fundamento, segundo o Almanaque do Cruzeiro. De acordo com os números levantados pelo site Futebol 80, Nelinho contabilizou 172 gols em 18 anos de carreira. Pela Raposa, foi campeão da Copa Libertadores, em 1976, e do Campeonato Mineiro, em 1973, 1974, 1975 e 1977.



Nelinho se consagrou nos anos 70 como jogador do Cruzeiro.



Veja Também