news:

Notícias

Anvisa decidirá no domingo sobre autorização emergencial de vacina

Publicado por TV Minas em 13/01/2021 às 00h58 - Atualizado em 12/01/2021 às 22h01

foto_principal.jpg

Diretoria colegiada do órgão se reunirá para debater o tema.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta terça-feira que decidirá no domingo sobre a autorização de uso emergencial das vacinas submetidas à agência. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pelo órgão para avaliação dos pedidos.

 

Está prevista para domingo a realização de uma reunião da Diretoria Colegiada da agência, responsável por conceder ou não a autorização emergencial. Em nota, a Anvisa destacou que é necessária a entrega em tempo hábil de documentos necessários à análise. Diferentemente do registro final, a autorização emergencial de uso é dada pela diretoria do órgão.

 

Até o momento, apenas a Fiocruz e o Instituto Butantan solicitaram a autorização emergencial de uso para suas vacinas, a de Oxford e a CoronaVac, respectivamente. No entanto, a documentação apresentada pelo Butantan não estava completa, e o instituto ficou de enviar novos dados à agência, mas ainda não o fez.

 

"A data representa o penúltimo dia do prazo estabelecido pela própria Agência como meta para análise dos pedidos. Para tanto, faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", disse o órgão em nota.

A autorização emergencial de uso permitirá a vacinação de grupo específico definido previamente na proposta encaminhada à Anvisa pelas instituições responsáveis pelo desenvolvimento dessas vacinas. Essa modalidade também não autoriza a comercialização do imunizante, que só pode ser feita com o registro definitivo da vacina.

 

Esse tipo de autorização não existe na agência até dezembro, quando a Anvisa instituiu o modelo para acelerar a análise de vacinas contra Covid-19. A autorização emergencial da agência possibilitará o início da vacinação em todo o país. De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, após a Anvisa dar sua decisão, as vacinas devem chegar aos estados em até quatro dias.

 

 

Patrocinador:

Diretoria colegiada do órgão se reunirá para debater o tema.


 


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta terça-feira que decidirá no domingo sobre a autorização de uso emergencial das vacinas submetidas à agência. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pelo órgão para avaliação dos pedidos.


 


Está prevista para domingo a realização de uma reunião da Diretoria Colegiada da agência, responsável por conceder ou não a autorização emergencial. Em nota, a Anvisa destacou que é necessária a entrega em tempo hábil de documentos necessários à análise. Diferentemente do registro final, a autorização emergencial de uso é dada pela diretoria do órgão.


 


Até o momento, apenas a Fiocruz e o Instituto Butantan solicitaram a autorização emergencial de uso para suas vacinas, a de Oxford e a CoronaVac, respectivamente. No entanto, a documentação apresentada pelo Butantan não estava completa, e o instituto ficou de enviar novos dados à agência, mas ainda não o fez.


 


PATROCINADORES

"A data representa o penúltimo dia do prazo estabelecido pela própria Agência como meta para análise dos pedidos. Para tanto, faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", disse o órgão em nota.


A autorização emergencial de uso permitirá a vacinação de grupo específico definido previamente na proposta encaminhada à Anvisa pelas instituições responsáveis pelo desenvolvimento dessas vacinas. Essa modalidade também não autoriza a comercialização do imunizante, que só pode ser feita com o registro definitivo da vacina.


 


Esse tipo de autorização não existe na agência até dezembro, quando a Anvisa instituiu o modelo para acelerar a análise de vacinas contra Covid-19. A autorização emergencial da agência possibilitará o início da vacinação em todo o país. De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, após a Anvisa dar sua decisão, as vacinas devem chegar aos estados em até quatro dias.


 


 


Patrocinador:



Diretoria colegiada do órgão se reunirá para debater o tema.



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta terça-feira que decidirá no domingo sobre a autorização de uso emergencial das vacinas submetidas à agência. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pelo órgão para avaliação dos pedidos.



Está prevista para domingo a realização de uma reunião da Diretoria Colegiada da agência, responsável por conceder ou não a autorização emergencial. Em nota, a Anvisa destacou que é necessária a entrega em tempo hábil de documentos necessários à análise. Diferentemente do registro final, a autorização emergencial de uso é dada pela diretoria do órgão.



PATROCINADORES

Até o momento, apenas a Fiocruz e o Instituto Butantan solicitaram a autorização emergencial de uso para suas vacinas, a de Oxford e a CoronaVac, respectivamente. No entanto, a documentação apresentada pelo Butantan não estava completa, e o instituto ficou de enviar novos dados à agência, mas ainda não o fez.



"A data representa o penúltimo dia do prazo estabelecido pela própria Agência como meta para análise dos pedidos. Para tanto, faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", disse o órgão em nota.



A autorização emergencial de uso permitirá a vacinação de grupo específico definido previamente na proposta encaminhada à Anvisa pelas instituições responsáveis pelo desenvolvimento dessas vacinas. Essa modalidade também não autoriza a comercialização do imunizante, que só pode ser feita com o registro definitivo da vacina.



PATROCINADORES

Esse tipo de autorização não existe na agência até dezembro, quando a Anvisa instituiu o modelo para acelerar a análise de vacinas contra Covid-19. A autorização emergencial da agência possibilitará o início da vacinação em todo o país. De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, após a Anvisa dar sua decisão, as vacinas devem chegar aos estados em até quatro dias.



Patrocinador:





Veja Também