Notícias
Após vitória judicial, SBT começa a investigar dados do Ibope

10/01/2017

O SBT saiu vitorioso de uma batalha judicial que durou 15 anos e obteve o direito de ter acesso e de fazer uma perícia nos dados e na metodologia de mensuração de audiência realizada pela empresa Kantar Ibope.

 

O SBT decidiu iniciar já a perícia e já está apontando profissionais nas áreas de estatística, matemática e outras disciplinas para fazer um raio X dos métodos usados pelo Ibope. A coluna apurou que até um perito estrangeiro fará parte desse grupo.

 

A briga começou, na verdade, ainda na década de 80. Desde então a emissora já não tinha confiança plena nem nos números e nem na metodologia usada pelo Ibope (hoje chamada Kantar Ibope).

 

A ação judicial de fato, porém, começou em 2001, movida pelo SBT. Dois anos depois, a TV de Silvio Santos teve a primeira sentença favorável, mas o Ibope recorreu.

 

Para o instituto, a exposição de todos dados solicitados pelo SBT poderia colocar em risco a própria isenção da medição.

 

O SBT voltou à carga e, após muitas idas e vindas, em 2015 o STJ (Superior Tribunal de Justiça) confirmou a decisão favorável ao SBT.

 

Em maio do ano passado a emissora já poderia ter iniciado o processo de verificação, mas aguardou a virada do ano.

 

 

Como se mede?   

 

O SBT agora vai exercer seu direito e poderá saber finalmente não só como o Ibope mede o público dos programas, mas onde e até quais são as cerca de 6.000 residências onde estão instaladas cerca de 10 mil  famosas “caixinhas” que medem a audiência  (uma mesma casa pode ter mais de um aparelho instalado).

 

Uma das grandes dúvidas (e queixas) do SBT, conforme o colunista Maurício Stycer informou recentemente, se refere a supostas discrepâncias entre os dados de audiência informados em tempo real (realtime) e o ibope consolidado.

 

O SBT alega que a correção entre o dado provisório e o consolidado quase sempre beneficia todas as demais emissoras --exceto o SBT.

 

No entanto, ouvido pela coluna, o Ibope afirmou categoricamente que só passou a divulgar os dados em tempo real por pressão das emissoras, e que não considera essa medição “oficial”.

Fonte: UOL
Veja Também