Bem Estar
Estas dicas podem te ajudar a planejar suas finanças

30/07/2017

Para não viver de fantasia e realizar seus sonhos, o controle da economia doméstica é importante.

 

Ninguém acertou os seis números sorteados na Mega-Sena e o prêmio da principal loteria brasileira, que já estava acumulado, passou dos 100 milhões de reais. Como as chances de ganhar na loteria são muito remotas, que tal assumir o controle de suas finanças e se perguntar qual é a melhor maneira de gerir o dinheiro?

 

As situações pessoais, as características profissionais e os hábitos de consumo contribuem para definir o plano econômico de cada um. Personalizá-lo e manter o controle da economia doméstica é importante. O plano irá mudando junto com as circunstâncias vitais e profissionais, mas, independentemente da direção trilhada, há vários pontos a evitar para conseguir ter uma vida financeira saudável. Veja cinco dicas para evitar erros e transformar seus sonhos em realidade (sem a ajuda das loterias).

 

 

1- Improvisar

 

As improvisações em matéria econômica podem levar a contratar produtos que não conhecemos bem, a gastar mais do que o necessário ou a nos esquecermos de poupar. O planejamento e a criação de uma estratégia serão benéficos para a nossa saúde financeira. Contemplar situações de curto, médio e longo prazo permitirá reforçar a sua situação econômica. E também convém levar em conta que imprevistos podem aparecer. Para evitar essas situações, talvez seja bom se sentar periodicamente para decidir objetivos econômicos, as suas prioridades e estimar os gastos dos próximos meses. Será preciso determinar uma periodicidade concreta para criar uma lista de tarefas ou revisar as já criadas. Fazer isso a cada seis meses poderia ser um mínimo adequado.

 

 

2- Não controlar os gastos

 

Não faz sentido ter um planejamento financeiro e não saber se ele é ou não seguido. Manter um controle dos gastos é um passo decisivo para avaliar o que está acontecendo nas finanças pessoais e quais mudanças devem ser aplicadas. Há muitos métodos – principalmente informáticos – que facilitam esse controle. Os aplicativos de alguns bancos e operadores de cartões permitem registrar tíquetes de compra, e o uso de cartão facilita o registro de gastos. Também há aplicativos específicos para o controle de gastos. Seja com um método ou outro, ter uma visão global do destino do dinheiro permite ver se é necessário fazer ajustes, e onde.

 

 

3- Gastar acima das suas possibilidades

 

Parece bastante óbvio, mas muitas vezes é um conselho esquecido. Os gastos devem ser compatíveis com a renda. Cada caso é um caso, mas pode-se falar em limites gerais, a título de orientação. Por exemplo, que o gasto em moradia não supere 30% da renda. Esta cifra serve apenas como referência, porque pode valer a pena pagar um pouco mais se formos economizar em transporte, por exemplo. Não gastar acima das possibilidades também significa economizar. Incluir a poupança como um destino fixo para a sua renda significa ter um dinheiro para imprevistos, para a aposentadoria ou para gastos mais elevados, como a compra de um carro.

 

 

4- Endividar-se loucamente

 

Pedir dinheiro é um recurso ao qual pode ser necessário recorrer em algum momento pontual, para fazer frente a um gasto elevado. Conhecer a capacidade de endividamento e não superá-la facilitará a sustentabilidade das finanças pessoais. Um dos momentos mais comuns é ao pedir um financiamento para a compra da casa própria. É também um dos mais importantes, devido às altas quantias emprestadas e ao longo prazo de devolução. Se a prestação pode ser reajustada com o passar dos anos, como é o caso das hipotecas variáveis ou mistas, devemos simular o pior cenário para saber se poderemos arcar.

 

 

5- Não poupar

 

Em tempos de salários tão baixos, falar em poupança soa como algo distante para muita gente. Entretanto, economizar parte da renda deveria ser um item obrigatório em qualquer plano financeiro pessoal. A quantidade variará em função das possibilidades de cada um. Também o método pode mudar; uns preferem retirar uma quantia assim que recebem o pagamento, outros guardam determinado valor por semana… Os métodos para economizar são muitos, basta escolher o que melhor funciona segundo o hábitos e características de cada pessoa.

Fonte: EL País
Veja Também