Sul de Minas
Aumento no preço do gás de cozinha preocupa comerciantes no Sul de Minas

13/10/2017

Distribuidoras e restaurantes em Poços de Caldas tentam segurar o preço para não repassar o aumento ao consumidor.

Matéria extraída do G1

 

O 5º reajuste no preço do gás de cozinha em apenas 30 dias tem pesado no bolso dos consumidores. Em Poços de Caldas, comerciantes que dependem do gás de cozinha têm evitado repassar o aumento aos clientes para não perder vendas.

 

O preço atual de um botijão no Sul de Minas está em média R$ 68, mas a previsão é que ultrapasse os R$ 70. Desde o mês de março de 2017, já foram sete reajustes, o que representa um aumento de mais de 59%.

 

O restaurante do empresário Lucas Oliveira serve cerca de 140 refeições por mês, o que representa um gasto de 20 botijões de gás. O comerciante já se preocupa com os futuros aumentos. “A gente vai segurar até onde der a questão do reajuste, mas a intenção é não repassar para o cliente, até para não influenciar no próprio fluxo do restaurante”.

 

Os aumentos também prejudicam os revendedores de gás. Em uma das distribuidoras, o movimento já caiu 20% em comparação com o mês de setembro.

 

“Nós estamos tentando segurar, mas está difícil. Eu acredito que na sexta-feira nós vamos ter que repassar o reajuste”, explica o comerciante José Antônio Porto.

 

A Associação Brasileira dos Revendedores de Gás divulgou um comunicado criticando os aumentos no preço. “[A medida] é uma brincadeira com os consumidores brasileiros, com nossas 75 mil revendas, uma demonstração clara de um tratamento irresponsável”, diz a nota.

Fonte: G1
Veja Também