Sul de Minas
A questão LGBT na Câmara Municipal de Pouso Alegre

10/11/2017

Questões LGBT geram polêmica em Pouso Alegre e projeto é retirado de votação na Câmara após pressão de religiosos.

 

Matéria extraída do Terra do Mandu

 

A polêmica maior surgiu com a sugestão de ações dentro das escolas municipais que promovam o respeito, a convivência e o reconhecimento da diversidade de orientação sexual e identidade de gênero. Para prevenir e eliminar violência homofóbica. A proposta tramita na Câmara Municipal de Pouso Alegre, Sul de Minas, e prevê outras medidas.

 

Durante a Sessão Ordinária da última terça-feira (07), na Câmara Municipal de Pouso Alegre, enquanto algum vereador falava na Tribuna, outros estavam num cantinho do auditório sendo abordados por religiosos. O assunto: eles pediam a retirada da pauta de votações do Projeto de Lei de autoria do vereador Dr. Edson (PSDB) que estabelece diretrizes para a política municipal de promoção da cidadania LGBT e enfrentamento da homofobia.

 

O ponto mais polêmico do projeto, que ainda está no sistema de pesquisa da Câmara Municipal é este aqui: “criação de diretrizes que orientem a rede municipal de educação na formulação, implementação, monitoramento e avaliação de ações que promovam o respeito, a convivência e o reconhecimento da diversidade de orientação sexual e identidade de gênero que colaborem para a prevenção e a eliminação da violência sexista e homofóbica;”. Segundo o autor, todo esse texto já foi retirado do PL.

 

Após pedido de vistas, o projeto foi retirado da votação. Mesmo assim, o assunto continua rendendo nas redes sociais. Grupos que defendem os direitos da comunidade LGBT, criticam a retirada do projeto e, entidades religiosas mantêm o argumento contrário à proposta.

 

O autor do PL, vereador Dr. Edson se viu obrigado a divulgar um vídeo para explicar que não existe motivo para tanta polêmica. É que, segundo o próprio vereador, algumas pessoas estão acreditando que a proposta traz a discussão de ideologia de gênero para dentro das escolas e este ponto não consta no projeto.

 

“O objetivo do meu projeto é fomentar a não violência, o não preconceito contra a comunidade LGBT, resgatando a dignidade da pessoa humana, do direito à vida e à liberdade. O projeto que iria à votação na última terça-feira não trata, nem aborda a questão da ideologia de gênero, em especial nas escolas”, afirma o vereador. 

 

O vereador ainda diz que o projeto não volta para ser votado na semana que vem e que será debatido com lideranças religiosas e comunidade LGBT.

 

 

Assista ao vídeo:

 

Veja Também