Notícias
Aluno armado na escola tenta enganar direção com ajuda de colegas

11/11/2017

Segundo delegada, amigos colocaram revólver na mochila de uma estudante, que ficou nervosa e acabou revelando caso, em Trindade.

 

Um aluno de 15 anos foi flagrado com um revólver calibre 38 no Colégio Estadual Professor Helon Gomide, em Trindade, Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, ao notar que tinha sido descoberto, o adolescente entregou a arma e as munições a dois colegas, de 16 e 14 anos, com o intuito de enganar a direção da escola. No entanto, o caso foi descoberto e todos foram levados para a delegacia. O caso ocorreu na sexta-feira (10).

 

"Uma auxiliar de limpeza viu a arma na cintura dele e avisou a coordenação. Ele percebeu, correu para o banheiro, desmuniciou a arma e a entregou para o colega mais velho, e as balas ao outro menor para que eles as guardassem", disse ao G1 a delegada Renata Vieira, responsável pelo caso.

 

Ao sair do banheiro, o estudante foi levado à coordenação, mas disse que não sabia de arma nenhuma. Enquanto isso, os outros dois meninos foram para a sala de aula e esconderam a arma na mochila de outra adolescente, de 17 anos.

 

No entanto, ela acabou ficando muito nervosa, chegou a passar mal e contou ao professor sobre a situação. A partir daí, a farsa foi descoberta.

 

 

Arma foi escondida na mochila de uma aluna, que ficou nervosa e até passou mal.

 

 

Os três garotos foram levados para a delegacia, autuados pelo ato infracional análogo ao crime de porte ilegal de arma de fogo e munição e liberados em seguida. Já a garota foi ouvida como testemunha.

 

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) informou que "todo o corpo de gestores, de docentes e de servidores da pasta está em alerta quanto à segurança e bem-estar de todos os estudantes da rede estadual".

 

Pontua ainda que desenvolve projetos com o intuito de monitorar conflitos e que suas equipes estão "trabalhando diuturnamente para garantir o compromisso de contribuir para um ambiente de paz e de tranquilidade nas unidades educacionais".

 

 

Suposta agressão

 

Na delegacia, o adolescente alegou que comprou a arma há cerca de 15 dias com o intuito de se proteger, pois teria sido vítima de roubo e agredido na última terça-feira (7). Porém, a delegada não acredita na versão.

 

"Não achamos que esse roubo tenha existido, acho que está mentindo. Na verdade, houve uma brincadeira de socos com outros colegas recentemente. Desde então, esses alunos não vão à escola. Achamos que eles é que poderiam ser os supostos alvos dele", pontua.

 

Renata afirma que quer ouvir esses estudantes na próxima semana. Ela revelou ainda que o garoto que comprou a arma foi expulso de outra escola no último semestre por conta de problemas disciplinares.

Fonte: G1
Veja Também