Notícias
Mercedes é assaltada na saída de Interlagos. E Hamilton se revolta

12/11/2017

Membros da tripulação da Mercedes foram assaltados tão logo deixaram o Autódromo de Interlagos na chuvosa noite da última sexta-feira (10). Ninguém foi ferido, embora Lewis Hamilton, que não estava na van que foi abordada pelos ladrões, disse que houve tiros. O tetracampeão se revoltou com mais um episódio do tipo em São Paulo: “Não tem desculpas”

 

Profissionais das equipes da Mercedes e da Williams sofreram um assalto a mão armada na noite desta sexta-feira (10) na saída do autódromo de Interlagos. Não houve feridos pelos primeiros relatos, mas a situação gerou uma crítica dura de Lewis Hamilton. O tetracampeão usou as redes sociais para externar a preocupação com a falta de segurança na região do circuito paulistano. Já que não é a primeira vez que profissionais da F1 são vítimas da violência em São Paulo.

 

Por meio de seu perfil no Twitter, Hamilton revelou que os criminosos chegaram a disparar tiros no momento da abordagem na van que trazia os membros da Mercedes. Além disso, as pessoas ficaram na mira das armas. Ainda que ninguém tenha se referido, alguns pertences foram roubados como relógios e até passaportes.

 

"Alguns dos membros da minha equipe foram colocadas na mira de armas de fogo ontem à noite quando deixavam o circuito aqui no Brasil", escreveu o piloto inglês. 

 

"Tiros foram disparados, armas foram colocadas nas cabeças de algumas pessoas. É muito decepcionante saber disso. Por favor, façam uma oração para meus caras, que estão aqui como profissionais mesmo que mexidos", completou.

 

"Isso acontece todos os anos aqui. A F1 e as equipes precisam fazer mais. Não há desculpa", terminou.

 

O Grande Prêmio apurou com as equipes envolvidas que os eventos aconteceram entre 19h e 20h (em Brasília). Os relatos envolvem diferentes situações na Avenida Interlagos, no entorno do circuito, e a tentativa de assalto a uma van da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

 

Entre os profissionais abordados da Williams estavam mecânicos e profissionais do marketing da equipe. Não há relatos de ameaças ou feridos. Na manhã deste sábado (11), cinco carros da Mercedes em direção ao autódromo foram escoltados.

 

Como pontuou Hamilton, tal cenário não é novidade em São Paulo. Em uma noite do fim de semana do GP do Brasil de 2010, Jenson Button, então companheiro de equipe de Lewis na McLaren, sofreu uma tentativa de assalto ao deixar Interlagos. Por sorte, nem o hoje ex-piloto, sua então namorada Jessica Michibata e a trupulação que estava ao seu lado na van sofreram ferimentos. Ficou apenas o susto, que deixou pilotos e equipes tensos naquela etapa.

 

A caminho de Interlagos nesta manhã, a equipe do GP presenciou um policiamento ostensivo nos arredores do autódromo. Contudo, não foi da mesma forma na noite da última sexta-feira. Choveu muito a partir das 20h, horário em que vários membros das equipes começaram a deixar Interlagos com destino aos respectivos hoteis. Neste momento, não havia a presença de nenhuma viatura. O que certamente facilitou as ações dos bandidos ao roubar a Mercedes.

Fonte: UOL
Veja Também