news:

Esporte

Marcelo mira final com o Grêmio no Mundial: 'Seria incrível'


foto_principal.jpg
12/12/2017

Lateral relembra conquistas com o Real Madrid e diz não esperar facilidade na semifinal e na decisão.

 

Campeão do Mundial de Clubes em 2014 e 2016, Marcelo chegou aos Emirados Árabes Unidos para mais uma edição do torneio organizado pela Fifa com uma motivação. Ao contrário das conquistas anteriores, obtidas em finais contra o San Lorenzo e o Kashima Antlers, agora o lateral-esquerdo tem a chance real de disputar uma decisão contra um clube brasileiro, o Grêmio. E ele admitiu que a possibilidade de encarar um time do País o deixa mais empolgado.

 

"Para mim já é um orgulho uma equipe brasileira ter disputado uma final da Libertadores, que é um campeonato muito difícil, e tê-lo no Mundial de Clubes também. Seria muito emocionante enfrentar o Grêmio na final. Seria incrível", afirmou o brasileiro em entrevista ao site oficial da Fifa.

 

Para que essa decisão desejada se torne realidade, os times precisam vencer os seus jogos pelas semifinais do Mundial. O Grêmio enfrenta nesta terça-feira o Pachuca, enquanto o Real Madrid terá pela frente o Al Jazira na quarta. E Marcelo rejeita a avaliação de que o compromisso contra o time anfitrião do Mundial será meramente protocolar.

 

"Nós temos a semifinal primeiro e temos que conquistá-la e depois pensar sobre a final. Nosso objetivo é ganhar o Mundial de Clubes, que é um torneio muito importante, mas sabemos que temos que ir partida por partida. Não podemos chegar e dizer: vamos lá para vencer e voltaremos. Não. Você tem que respeitar todos os times, como eles também nos respeitam e dar tudo para ganhar este título", afirmou.

 

Marcelo também garantiu não ver o Real Madrid com um favoritismo destacado do Mundial, apontando dificuldade nos títulos conquistados pelo clube, que neste ano faturou o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões da Europa, a Supercopa Europeia e a Supercopa da Espanha.

 

"Nada é fácil, e no futebol também. Eu joguei dois Mundiais de Clubes e ganhei ambos, mas foi muito difícil. Para o Madrid, nunca há vantagens. Estou aqui há muitos anos e tudo foi muito difícil. Ganhamos muitos títulos, mas com muito sacrifício", concluiu o lateral do Real e da seleção brasileira.

Lateral relembra conquistas com o Real Madrid e diz não esperar facilidade na semifinal e na decisão.


 


Campeão do Mundial de Clubes em 2014 e 2016, Marcelo chegou aos Emirados Árabes Unidos para mais uma edição do torneio organizado pela Fifa com uma motivação. Ao contrário das conquistas anteriores, obtidas em finais contra o San Lorenzo e o Kashima Antlers, agora o lateral-esquerdo tem a chance real de disputar uma decisão contra um clube brasileiro, o Grêmio. E ele admitiu que a possibilidade de encarar um time do País o deixa mais empolgado.


 


"Para mim já é um orgulho uma equipe brasileira ter disputado uma final da Libertadores, que é um campeonato muito difícil, e tê-lo no Mundial de Clubes também. Seria muito emocionante enfrentar o Grêmio na final. Seria incrível", afirmou o brasileiro em entrevista ao site oficial da Fifa.


 


PATROCINADORES

Para que essa decisão desejada se torne realidade, os times precisam vencer os seus jogos pelas semifinais do Mundial. O Grêmio enfrenta nesta terça-feira o Pachuca, enquanto o Real Madrid terá pela frente o Al Jazira na quarta. E Marcelo rejeita a avaliação de que o compromisso contra o time anfitrião do Mundial será meramente protocolar.


 


"Nós temos a semifinal primeiro e temos que conquistá-la e depois pensar sobre a final. Nosso objetivo é ganhar o Mundial de Clubes, que é um torneio muito importante, mas sabemos que temos que ir partida por partida. Não podemos chegar e dizer: vamos lá para vencer e voltaremos. Não. Você tem que respeitar todos os times, como eles também nos respeitam e dar tudo para ganhar este título", afirmou.


 


Marcelo também garantiu não ver o Real Madrid com um favoritismo destacado do Mundial, apontando dificuldade nos títulos conquistados pelo clube, que neste ano faturou o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões da Europa, a Supercopa Europeia e a Supercopa da Espanha.


 


"Nada é fácil, e no futebol também. Eu joguei dois Mundiais de Clubes e ganhei ambos, mas foi muito difícil. Para o Madrid, nunca há vantagens. Estou aqui há muitos anos e tudo foi muito difícil. Ganhamos muitos títulos, mas com muito sacrifício", concluiu o lateral do Real e da seleção brasileira.


Lateral relembra conquistas com o Real Madrid e diz não esperar facilidade na semifinal e na decisão.


 


Campeão do Mundial de Clubes em 2014 e 2016, Marcelo chegou aos Emirados Árabes Unidos para mais uma edição do torneio organizado pela Fifa com uma motivação. Ao contrário das conquistas anteriores, obtidas em finais contra o San Lorenzo e o Kashima Antlers, agora o lateral-esquerdo tem a chance real de disputar uma decisão contra um clube brasileiro, o Grêmio. E ele admitiu que a possibilidade de encarar um time do País o deixa mais empolgado.


 


PATROCINADORES

"Para mim já é um orgulho uma equipe brasileira ter disputado uma final da Libertadores, que é um campeonato muito difícil, e tê-lo no Mundial de Clubes também. Seria muito emocionante enfrentar o Grêmio na final. Seria incrível", afirmou o brasileiro em entrevista ao site oficial da Fifa.


 


Para que essa decisão desejada se torne realidade, os times precisam vencer os seus jogos pelas semifinais do Mundial. O Grêmio enfrenta nesta terça-feira o Pachuca, enquanto o Real Madrid terá pela frente o Al Jazira na quarta. E Marcelo rejeita a avaliação de que o compromisso contra o time anfitrião do Mundial será meramente protocolar.


 


PATROCINADORES

"Nós temos a semifinal primeiro e temos que conquistá-la e depois pensar sobre a final. Nosso objetivo é ganhar o Mundial de Clubes, que é um torneio muito importante, mas sabemos que temos que ir partida por partida. Não podemos chegar e dizer: vamos lá para vencer e voltaremos. Não. Você tem que respeitar todos os times, como eles também nos respeitam e dar tudo para ganhar este título", afirmou.


 


Marcelo também garantiu não ver o Real Madrid com um favoritismo destacado do Mundial, apontando dificuldade nos títulos conquistados pelo clube, que neste ano faturou o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões da Europa, a Supercopa Europeia e a Supercopa da Espanha.


 


"Nada é fácil, e no futebol também. Eu joguei dois Mundiais de Clubes e ganhei ambos, mas foi muito difícil. Para o Madrid, nunca há vantagens. Estou aqui há muitos anos e tudo foi muito difícil. Ganhamos muitos títulos, mas com muito sacrifício", concluiu o lateral do Real e da seleção brasileira.


Veja Também