Criminosos atacam bancos e provocam terror no interior de SP

Publicado por Tv Minas em 07/04/2021 às 17h52

Ataques tinham como alvos três agências bancárias da cidade, que fica a 265 quilômetros da cidade de São Paulo e perto da divisa com Minas Gerais. Um vigilante ficou ferido.

Uma quadrilha armada atacou na madrugada desta quarta-feira (7) agências bancárias em Mococa, município paulista de menos de 70 mil habitantes que fica perto da divisa com Minas Gerais e a 265 quilômetros da cidade de São Paulo.

Os criminosos usaram explosivos e atiraram em lojas, causando terror antes de fugir. Ninguém foi preso. Um vigilante ficou ferido sem gravidade durante a ação.

Moradores filmaram homens armados andando pela cidade e parados em esquinas. As imagens podem ser vistas no vídeo acima. Em um dos vídeos, um homem, aparentemente morador, diz haver várias munições pela rua.

Câmeras de segurança também registraram carros usados pela quadrilha circulando em uma espécie de comboio por Mococa. Moradores também registraram vídeos com barulhos de tiros e explosões.

Após atacar agências bancárias, criminosos circularam por ruas de Mococa, no interior de São Paulo, e atiraram contra lojas — Foto: TV Globo/ReproduçãoApós atacar agências bancárias, criminosos circularam por ruas de Mococa, no interior de São Paulo, e atiraram contra lojas.

 

Resumo

  • Ao menos três agências foram atacadas, segundo o prefeito Eduardo Barison (PSD) (veja abaixo entrevista com o prefeito no Hora 1).
  • Até o início da manhã, a polícia não sabia informar qual valor em dinheiro o bando conseguiu levar dos bancos.
  • Após deixar as agências, o bando circulou por algumas ruas, atirando contra lojas.
  • Muitos tiros e explosões foram ouvidos em toda a cidade durante a ação da quadrilha.
  • Aparentemente, foram usados fuzis e metralhadoras para atingir as vidraças e portas de estabelecimentos comerciais.
  • Não houve confronto entre policiais e criminosos, que fugiram em direção ao Sul de Minas Gerais por uma estrada vicinal.
  • Os criminosos usaram entre 8 e 10 veículos veículos para fugir por uma estrada que leva ao distrito de Igaraí, também em Mococa, segundo o delegado Mauro Bacci.
  • A quadrilha também atirou contra o batalhão da Polícia Militar e uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), que fica ao lado, mas está desativada para reformas após estragos de um temporal.
  • Um vigilante que estava na UPA foi atingido por estilhaços de vidro e teve um corte na cabeça; segundo o prefeito, ele foi medicado e não corre risco de vida. Luciano Pepe de Oliveira, de 42 anos, disse que ficou com medo de morrer.
  • Um inquérito será instaurado nesta quarta para apurar o caso, e a Polícia Federal ficará responsável pela investigação pelo ataque à agência da Caixa, segundo o delegado.
  • A EPTV, afiliada da TV Globo, apurou que cofres foram arrombados, mas ainda não há informações sobre o valor roubado.
  • O prefeito afirmou que nesta quarta-feira (7) é dia de pagamento de salários na cidade e isso pode ter motivado os criminosos. Disse ainda que foi levado dinheiro da Caixa Econômica Federal e do Banco Mercantil do Brasil.
    A cidade de Mococa — Foto: Arquivo EPTVA cidade de Mococa.

 

Veículos localizados e buscas

Segundo o capitão da PM Carlos Roberto Negrini, dois veículos usados na ação foram encontrados na área rural, inclusive com cápsulas de munições ponto 50 e 762 deflagradas.

Ainda de acordo com o capitão, a polícia recebeu a informação que um drone sobrevoava a entrada da cidade no momento da ação dos criminosos.

Ao menos 12 viaturas do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) de Ribeirão Preto e mais sete de Piracicaba auxiliam a PM e a Polícia Civil de Mococa nas buscas pelos suspeitos. A PM de Minas Gerais também apoiou nos trabalhos, inclusive com um helicóptero.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que as polícias Civil e Militar continuam as buscas para localizar o grupo de criminosos nesta manhã.

“Durante a ação, os envolvidos dispararam contra uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e um segurança do local ficou ferido por estilhaços. Até o momento, dois veículos utilizados pelo grupo foram apreendidos entre os municípios de Mococa e Igaraí”, disse no comunicado.

A UPA estava fechada após estragos de um temporal e não havia pacientes no local. O segurança passa bem.

Polícia localizou veículos usados no crime em Mococa — Foto: Polícia CivilPolícia localizou veículos usados no crime em Mococa.

 

Três agências atacadas

O prefeito de Mococa afirmou que acionou a Guarda Civil e as Polícia Militar (PM) e Civil. Além disso, pediu aos moradores para ficar em casa para que não corressem risco de serem atingidos por balas perdidas.

"A gente acordou numa cidade no interior de São Paulo, que tem 70 mil habitantes, uma cidade calma, ouvindo estouros, explosões, tiro, metralhadoras. Foi assustador, acho que todos aqui estão todos muito assustados com relação a isso", disse o prefeito.

Segundo o prefeito, os bandidos atacaram uma agência da Caixa Econômica Federal, uma do Santander e uma terceira, do Banco Mercantil do Brasil.

Em nota, a assessoria de imprensa do Santander informou que houve uma tentativa de furto na agência da Praça Major José Pedro, 17, no Centro e que o banco está colaborando com as investigações policiais.

 

Moradores de Mococa relatam desespero

"Pensamos que eram fogos de artifício, até darmos conta de que eram tiros. Os barulhos foram tão fortes que ficamos deitados no chão. Durou muito tempo", contou Sara Elizabeti Pereira, que mora perto do Centro.

Segundo a mulher, os momentos da madrugada foram de desespero e medo.

"Mora eu, meus pais e meu filho. E meu tio na casa ao lado, na hora dos tiros eu fui pra casa do meu tio porque atrás da minha casa é um mato muito extenso, ficamos com medo deles fugirem pra lá. Eu cheguei a ligar pra polícia pra falar porque estavam soltando fogos de artifício. Mas estava congestionado a linha. Aí quando soubemos que era tiro ficamos apavorados", relatou.

"Só consegui dormir às 6 da manhã. Acordava com qualquer barulho. A cidade é muito pacata. Isso assustou demais", acrescentou.

José dos Santos se deitou no chão com medo dos tiros — Foto: Ely Venâncio/EPTVJosé dos Santos se deitou no chão com medo dos tiros.

 

'Coisa terrível'

O aposentado João Carlos Santos também mora próximo de onde ocorreram os ataques, com medo, ele e a esposa deitaram no chão até que o barulho acabasse.

"Foi uma coisa terrível. Foi 1 hora e 25 minutos batido de tiroteio, nós deitamos no chão de casa. Nunca esperava que nós, aqui em Mococa, uma cidade tão pequena, fosse passar por uma situação dessas", lamentou.

"Tiroteio que eu nunca vi na história da cidade, o negócio foi muito feio", relatou o aposentado Cido Espanha.

Cido Espanha, morador de Mococa — Foto: Ely Venâncio/EPTVCido Espanha, morador de Mococa.

 

'Imaginamos briga'

A comerciante Rose Abreu contou ao G1 que no começo, ela não sabia o que estava acontecendo e que chegou a imaginar que fosse uma briga por tráfico de drogas.

"Muitos tiros de fuzil, bomba. O medo veio, a gente não sabia o que estava acontecendo. Aí começaram a chegar as mensagens e os vídeos dos homens armados. Foi lamentável o que aconteceu em Mococa", disse.

Os tiros não atingiram o comércio de Rose, mas a comerciante ressaltou que ficou com medo. "Era gente muito bem especializada e fortemente armada", completou.

Fonte: G1

Compartilhe essa matéria: