Prefeito de Pouso Alegre quer utilizar estruturas pré-fabricadas na ampliação do HCSL

Publicado por Tv Minas em 29/04/2021 às 20h21

Rafael Simões visitou obra de hospital de Taubaté que utiliza a técnica celebrizada pela China no início da pandemia.

O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM) visitou nesta quinta-feira, 29, as obras de um hospital de Taubaté (SP) que utiliza estruturas pré-fabricadas em sua construção. A ideia do político é utilizar a mesma estratégia para ampliação do Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL).

A técnica de construção que utiliza estruturas pré-fabricadas é célebre por encurtar os longos prazos previstos para a execução de obras grandes e complexas.

No âmbito dos hospitais, ela ganhou notoriedade no início da pandemia do novo coronavírus, quando a China chocou o mundo ao construir hospitais de milhares de metros quadrados em questão de dias se beneficiando exatamente da técnica de estruturas pré-fabricadas.

 

A ampliação do HCSL

O prefeito Rafael Simões não indicou prazos ou recursos que estariam provisionados para a ampliação do HCSL. No vídeo que divulgou para registrar sua visita à cidade paulista, ele diz, no entanto, contar com o apoio do deputado estadual e seu ex-vice-prefeito Dr. Paulo Valdir (Patriotas) e do deputado federal Bilac Pinto(DEM). Os dois políticos, eventualmente, podem destinar emendas para as obras de ampliação.

Em março de 2018, a Prefeitura desapropriou, por R$ 14,9 milhões, o antigo ‘Campo da Lema’, que pertencia ao Pouso Alegre Futebol Clube (PAFC).

Parte da área de cerca de 8 mil metros abriga, hoje, uma UPA 24 horas, que serve de hospital de campanha por conta da pandemia. Uma outra parte foi reservada para a ampliação do hospital.

O HCSL pertence à Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS), entidade privada sem fins lucrativos. Um setor do hospital atende de forma particular, mas ele é também um hospital universitário, além de atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

É justamente seu setor destinado ao SUS que cumpre a função social mais relevante da unidade de saúde, que é referência para a microrregião de saúde de Pouso Alegre, podendo prestar assistência a mais de 150 cidades.

Fonte: Rede Moinho

Compartilhe essa matéria: