Escola emite alerta após alunos trocarem socos enquanto brincavam de Batatinha frita

Publicado por Tv Minas em 13/10/2021 às 16h35

Crianças estão reproduzindo os jogos apresentados na nova série da Netflix, Round 6, preocupando pais, professores e especialistas.

Novidade do catálogo da Netflix, a série sul coreana Round 6 tem causado polêmica desde que foi lançada, em meados de setembro. Sucesso entre adultos, a produção ganhou destaque na aba principal da plataforma e acabou chamando atenção de crianças e adolescentes. Apesar da indicação para maiores de 16 anos, não há nenhum controle de quem a assiste. 

Os episódios trazem cenas com torturas psicológicas, violência explícita, suicídio, sexo e tráfico de órgãos, num enredo ligado a brincadeiras infantis – o que torna tudo ainda mais problemático. As 6 rodadas do jogo de sobrevivência da série contam com dinâmicas simples, regras fáceis e podem ser reproduzidas sem muita dificuldade pelos pequenos, o que fez a escola Béguinage Hainaut, na região da Valônia, na Bélgica, emitir um alerta aos pais.

Os professores perceberam que os alunos estavam imitando uma das brincadeiras de Round 6. Na superprodução, uma boneca com rastreador de movimento fica de costas e conta até 3, enquanto os jogadores avançam suas posições e, quando ela se vira de frente, eles devem ficar imóveis. Quem não consegue cumprir essa regra, é morto. Já na escola belga, as crianças que não conseguiam ficar paradas estavam levando socos como forma de punição.

Round 6 é uma série da Netflix (Foto: Reprodução/Netflix)Round 6 é a nova série de sucesso da Netflix.

Para que os pais fiquem atentos ao comportamento dos filhos, a escola fez um comunicado oficial pedindo para que os responsáveis não deixem seus filhos assistirem à série e procurem conversar com os pequenos sobre os perigos destas brincadeiras. "Estamos muito vigilantes para que este jogo insalubre e perigoso seja interrompido. Contamos com seu apoio e colaboração para conscientizar seus filhos sobre as consequências que isso pode gerar. Serão tomadas sanções contra as crianças que continuarem reproduzindo a parte violenta do jogo", afirmou o colégio em nota. 

No Brasil, casos semelhantes aconteceram. No Rio de Janeiro, por exemplo, crianças foram vistas em um parque reproduzindo a dinâmica de Batatinha 1..2...3… e, ao perderem, se fingiam de mortas. Em entrevista à CRESCER, a neuropsicóloga Deborah Moss, mestre em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade de São Paulo (USP), falou sobre a importância de os pais terem um espaço de diálogo com os filhos, ao invés de simplesmente proibir que eles vejam qualquer programa na TV, e alertou sobre os possíveis impactos que as cenas violetas podem causas nas crianças: "Alguns podem ficar impressionados, outros admirados. Mas falando especialmente de crianças pequenas, normalmente, elas podem ter pesadelos, medo de ficarem sozinhas, confundir realidade com ficção, ficarem ansiosas... Esses são alguns dos possíveis impactos", exemplificou.

Compartilhe essa matéria: