Galo: após boa atuação de Hulk, Cuca define durante semana ataque da semifinal

Publicado por Tv Minas em 28/04/2021 às 11h27

O Galo entra em campo no sábado, às 16h30, pelo primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro contra o Tombense.

O Atlético venceu o América de Cali nessa terça-feira (27), pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores por 2 a 1, com os dois gols marcados pelo atacante Hulk, que entrou bem no intervalo e foi decisivo. Sem tempo para descanso, o Galo já inicia a preparação para enfrentar o Tombense neste sábado, às 16h30, pelo primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro. Nos três dias de treinamento, Cuca vai decidir se dá uma nova chance a Hulk ou segue utilizando outros atacantes.

O técnico atleticano cumpriu o último jogo de suspensão, por conta da punição que recebeu após ser expulso na final do torneio continental de 2020, quando ainda estava no Santos. Cuquinha, irmão de Cuca e auxiliar técnico da equipe, comandou o Galo na beira do gramado diante do América de Cali.

“O Hulk entrou no segundo tempo, fez os gols, mas isso quem resolve é o Cuca, durante a semana. É uma semana com decisão no sábado, outra decisão na próxima terça. Agora é só assim. Então, a força do grupo do Atlético tem que ser mostrada a cada jogo. (...) A gente tem o Marrony que sabe fazer, tem o Hulk, tem o Vargas, o Sasha... Isso aí o Cuca vai resolver durante a semana, como eu falei. Bom é aproveitar o momento de cada um”, afirmou Cuquinha.

O Galo melhorou no segundo tempo, após a entrada de Hulk. O atacante já entrou no intervalo a fim de jogo e marcou dois gols, porém, o gol sofrido pelo Atlético, após falha de Tchê Tchê, desestabilizou a equipe, que passou sufoco nos minutos finais. 

“O gol em si dá confiança para o atleta, e aí tudo flui mais fácil, as jogadas se desenvolvem melhor. Tudo melhorou. A partir do lance do gol que a gente sofreu, o filme virou. Aí vem aquele sufoco, passa uma certa desconfiança pra gente mesmo, mas o mais importante foi segurar o resultado e ganhar, que a gente precisava”, disse o auxiliar Cuquinha.

Fonte: O TEMPO

Compartilhe essa matéria: