Grávida é achada morta com barriga e partes íntimas mutiladas no interior de SP

Publicado por Tv Minas em 22/09/2022 às 13h26

Polícia apura se foi um ritual. Investigação também considera hipótese de a jovem ser vítima de crime passional; ex-marido fez o reconhecimento do corpo.

O corpo de uma mulher grávida de sete meses foi encontrado nesta quarta-feira, (21), em um terreno deserto no bairro Portal dos Lagos, em Mogi Guaçu (SP),  após ela ser vista por uma amiga entrando em um carro preto.

A vítima, identificada como Ohana Karolin, de 24 anos, foi achada com a barriga aberta e as partes íntimas mutiladas. Ao lado do corpo foram encontrados um short, um par de chinelos e algumas moedas. A vítima usava apenas uma camiseta.

Um homem caminhava por uma estrada em direção ao serviço quando se assustou ao ver uma mulher apenas vestida como uma camiseta caída no chão. Ao se aproximar, viu que era um cadáver e que havia um grane corte no ventre. O trabalhador acionou a polícia. Os agentes encontraram na cena do crime um short, par de chinelos e algumas moedas.

Segundo a polícia, parte da pele da barriga de Ohana foi retirada, além disso, ela teve as artérias de uma das pernas arrancadas. O corpo estava sujo de terra e, quando a guarnição policial chegou no local, urubus já espreitavam o cadáver. Não se sabe se ela foi morta e mutilada no local ou se foi abandonada na estrada.

mulher grávida é encontrada morta com barriga mutilada O corpo da gestante foi encontrado mutilado em terreno deserto, em Mogi Guaçu.

De acordo com o programa Cidade Alerta, da RecordTV, o ex-marido foi chamado para reconhecer o corpo da gestante. Em depoimento, ele disse que estava separado da vítima há mais de um ano e que ela trabalhava como garota de programa. Durante a união dos dois, eles tiveram três filhos. Todos menores de idade.

O material genético do ex-marido foi colhido por uma equipe da polícia para ser usado durante as investigações. Agora, os investigadores procuram por imagens de câmeras de segurança. A amiga que a viu dentro de um veículo antes de ser encontrada morta também prestou depoimento.

“Ela passou, comprimentou e deu tchau. Aí, quando ela passou e deu tchau, vinha um Peugeot preto, velho e barulhento. Ela entrou e, depois disso, não a vi mais. O meu olhou e disse: ‘olha lá, está indo para o ‘corre’ dela’. Eu ainda disse: ‘que Deus guarde ela’ porque já era meia-noite, meia-noite e quinze, mais ou menos”, disse a mulher.

A Polícia Civil investiga o caso e suspeita que a jovem possa ter sido vítima de um ritual ou de feminicídio.

O caso foi registrado como homicídio na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu. Foram solicitados exames ao Instituto de Criminalística (IC) e ao Instituto Médico Legal (IML).

 
Fonte: Bnews.

Compartilhe essa matéria: