Gêmeos de pais diferentes: como pode acontecer esse tipo de gestação raríssima

Publicado por Tv Minas em 08/09/2022 às 10h41

Caso aconteceu em Mineiros, onde a mãe mora com os filhos. Médico disse que há 20 casos semelhantes registrados no mundo, entenda:

Uma mulher engravidar de gêmeos de pais diferentes é uma gestação extremamente rara, segundo o médico Túlio Jorge Franco. Essa condição é chamada na medicina de superfecundação heteroparental. Um caso desses foi identificado em Mineiros, no sudoeste de Goiás, onde uma jovem de 19 anos teve dois meninos gêmeos de pais diferentes. O caso foi confirmado após exames de DNA.

A mulher se relacionou com dois homens no mesmo dia e engravidou dos dois. O médico Túlio Franco explicou que as fecundações em óvulos diferentes aconteceram em questão de poucas horas entre uma e outra.

"Essa gestação acontece quando dois óvulos da mesma mulher são fecundados por homens diferentes. Nesse caso, o material genético dos pais é diferente e os óvulos da mãe também são diferentes. Os bebês se desenvolvem juntos na mesma gestação, mas cada um na sua placenta", explicou o médico.

Túlio Franco disse que essas condições é que diferem da gestação de gêmeos univitelinos, que acontece quando um óvulo é fecundado por um único homem e depois ele se divide em dois. Este é o caso quando os gêmeos são idênticos.

O médico disse que a gestação da jovem de Mineiros seria o 20º caso registrado no mundo. Segundo Franco, durante o pré-natal da jovem foi identificado uma pequena diferença de tamanho entre os gêmeos, mas ainda assim, pouco significativa.

Túlio Franco e seus alunos da faculdade de medicina onda ministra aulas estudam o caso mais afundo por se tratar de uma raridade. Uma equipe ficou responsável por escrever um artigo científico, que pode ser publicado em revistas nacionais e até internacionais.

 

Exame de DNA

A mãe dos meninos explicou que os filhos são muito parecidos, mas que surgiram dúvidas em relação às paternidades. Quando eles tinham oito meses de idade, ela fez os exames de DNA com o homem que ela achou que fosse o pai. O resultado deu positivo apenas para um filho.

"Eu fiquei surpresa com os resultados. Não sabia que isso podia acontecer. Eles são muito parecidos", comentou a jovem, que preferiu não se identificar.

Ela então refez os exames, que confirmou a paternidade para uma criança. "Eu lembrei que havia tido relação com outro homem e chamei ele para fazer o exame, que deu positivo", conta a mãe.

Segundo a mãe, o pai de um deles assumiu os dois meninos e fez os registros no cartório. "Ele cuida dos dois, me ajuda muito a criar e dá todo o suporte necessário que eles precisam", disse.

 
Fonte: G1

Compartilhe essa matéria: