Existe plástico nas latas de refrigerante? Verdadeiro

Publicado por Tv Minas em 14/09/2022 às 15h43

Produto funciona como um escudo protetor e impede que o alumínio reaja com as bebidas ou os alimentos.

Por que não sentimos o gosto do alumínio quando tomamos refrigerante? Já parou para pensar em como a bebida é conservada na embalagem? A resposta para essa pergunta se resume a uma palavra: plástico. 

“Se não houver o plástico na latinha, ela acaba reagindo com o alimento ou com a bebida e contamina o produto”, explica o professor de química Michel Arthaud, do site Professor Ferreto.

O plástico funciona como um revestimento do interior da lata, como um escudo protetor que impede qualquer reação química com o metal. "Ele é um verniz, epóxi, e é atóxico, não faz mal para a saúde. Qualquer latinha precisa do plástico para evitar o contato da bebida com o alumínio porque ele é uma resistência tanto para reações quanto para impactos e uma série de fatores." 

O estudo foi apresentado pela primeira vez pelo site britânico MEL Science, uma plataforma de educação. No vídeo, é possível acompanhar todo o processo que envolve a produção das latas de alumínio.

 

Posso fazer a experiência em casa?

O professor adverte que não. "Não é aconselhável, porque a soda cáustica, que é a substância usada para consumir o alumínio, é corrosiva, e, se não for manuseada de forma correta, pode causar queimaduras severas."

Apesar de a experiência parecer rápida na internet, na prática, pode demorar algum tempo para começarem a aparecer os efeitos esperados. "Leva aproximadamente de duas a três horas para desaparecer todo o alumínio."

 

Como é o processo do experimento?

A primeira etapa é lixar a latinha para a remoção da tinta; em seguida, expor o alumínio à substância. "Para fazer essa experiência, precisamos pôr a latinha na soda cáustica, para o alumínio reagir e revelar a camada interna de plástico."

 

Por que usar o alumínio?

Arthaud explica: "A vantagem do alumínio está na leveza do material e na capacidade de reciclagem em comparação ao vidro, que quebra com facilidade, além de ser muito pesado para transportar, e não é tão fácil de reciclar".

Segundo a Abal (Associação Brasileira do Alumínio) e a Abralatas (Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio), em 2021 o Brasil reciclou 33 bilhões de latas de alumínio, um reaproveitamento de 98,7% do material fabricado. Para as entidades, os dados recolhidos revelam que esse é o maior índice de reciclagem no território nacional desde 1990, quando começou o mapeamento.

 
Fonte: R7

Compartilhe essa matéria: