news:

Notícias

Senado americano chega a acordo para reabertura do governo

Publicado por TV Minas em 22/01/2018

foto_principal.jpg

Líder democrata no Senado anunciou acordo com republicanos sobre orçamento provisório do governo.

 

O Senado americano chegou a um acordo sobre o orçamento provisório do governo e o fim da paralisação da máquina pública federal nos Estados Unidos. A Casa aprovou a nova lei orçamentária, que manterá o governo funcionando até o dia 8 de fevereiro.

 

Antes do início da votação, o líder do Partido Democrata no Senado, Chuck Schumer, anunciou que chegou a um acordo com o líder dos republicanos, Mitch McConnell. “Em algumas horas, o governo será reaberto”, disse. “Temos muito a fazer”.

 

Segundo Schumer, os democratas receberam as garantias que precisavam de que a Casa irá debater algumas questões consideradas chaves pela oposição sobre imigração, entre elas o programa Daca, que protege 8.000 jovens imigrantes da deportação.

 

O orçamento ainda deve receber aprovação final do Senado e ser aprovado pela Câmara dos Representantes. Só após os dois consentimentos a paralisação poderá ser encerrada e o governo reaberto.

 

 

A paralisação

 

Desde a madrugada de sábado, o governo americano enfrenta o chamado shutdown. A paralisação da máquina pública foi instalada depois que o democratas e republicanos não chegaram a um acordo sobre o orçamento provisório do governo americano.

 

Uma proposta de orçamento para financiar as atividades governamentais até 16 de fevereiro foi aprovada pela Câmara na última quinta-feira, mas encontrou resistência dos democratas no Senado. A oposição não queria aprovar o projeto porque ele não contempla uma solução para a questão dos cerca de 800.000 jovens imigrantes sem documentos que chegaram ao país quando crianças, conhecidos como dreamers (sonhadores).

 

Em setembro, Donald Trump anunciou o fim do Daca, que protegia os dreamers da deportação. O presidente, contudo, determinou que o Congresso deveria chegar a um plano alternativo para os jovens que vivem no país sem visto. Os democratas, agora, cobram uma solução para a questão.

Líder democrata no Senado anunciou acordo com republicanos sobre orçamento provisório do governo.


 


O Senado americano chegou a um acordo sobre o orçamento provisório do governo e o fim da paralisação da máquina pública federal nos Estados Unidos. A Casa aprovou a nova lei orçamentária, que manterá o governo funcionando até o dia 8 de fevereiro.


 


Antes do início da votação, o líder do Partido Democrata no Senado, Chuck Schumer, anunciou que chegou a um acordo com o líder dos republicanos, Mitch McConnell. “Em algumas horas, o governo será reaberto”, disse. “Temos muito a fazer”.


 


Segundo Schumer, os democratas receberam as garantias que precisavam de que a Casa irá debater algumas questões consideradas chaves pela oposição sobre imigração, entre elas o programa Daca, que protege 8.000 jovens imigrantes da deportação.


 


O orçamento ainda deve receber aprovação final do Senado e ser aprovado pela Câmara dos Representantes. Só após os dois consentimentos a paralisação poderá ser encerrada e o governo reaberto.


PATROCINADORES

 


 


A paralisação


 


Desde a madrugada de sábado, o governo americano enfrenta o chamado shutdown. A paralisação da máquina pública foi instalada depois que o democratas e republicanos não chegaram a um acordo sobre o orçamento provisório do governo americano.


 


Uma proposta de orçamento para financiar as atividades governamentais até 16 de fevereiro foi aprovada pela Câmara na última quinta-feira, mas encontrou resistência dos democratas no Senado. A oposição não queria aprovar o projeto porque ele não contempla uma solução para a questão dos cerca de 800.000 jovens imigrantes sem documentos que chegaram ao país quando crianças, conhecidos como dreamers (sonhadores).


 


Em setembro, Donald Trump anunciou o fim do Daca, que protegia os dreamers da deportação. O presidente, contudo, determinou que o Congresso deveria chegar a um plano alternativo para os jovens que vivem no país sem visto. Os democratas, agora, cobram uma solução para a questão.


Líder democrata no Senado anunciou acordo com republicanos sobre orçamento provisório do governo.



O Senado americano chegou a um acordo sobre o orçamento provisório do governo e o fim da paralisação da máquina pública federal nos Estados Unidos. A Casa aprovou a nova lei orçamentária, que manterá o governo funcionando até o dia 8 de fevereiro.



Antes do início da votação, o líder do Partido Democrata no Senado, Chuck Schumer, anunciou que chegou a um acordo com o líder dos republicanos, Mitch McConnell. “Em algumas horas, o governo será reaberto”, disse. “Temos muito a fazer”.



PATROCINADORES

Segundo Schumer, os democratas receberam as garantias que precisavam de que a Casa irá debater algumas questões consideradas chaves pela oposição sobre imigração, entre elas o programa Daca, que protege 8.000 jovens imigrantes da deportação.



O orçamento ainda deve receber aprovação final do Senado e ser aprovado pela Câmara dos Representantes. Só após os dois consentimentos a paralisação poderá ser encerrada e o governo reaberto.



A paralisação



PATROCINADORES

Desde a madrugada de sábado, o governo americano enfrenta o chamado shutdown. A paralisação da máquina pública foi instalada depois que o democratas e republicanos não chegaram a um acordo sobre o orçamento provisório do governo americano.



Uma proposta de orçamento para financiar as atividades governamentais até 16 de fevereiro foi aprovada pela Câmara na última quinta-feira, mas encontrou resistência dos democratas no Senado. A oposição não queria aprovar o projeto porque ele não contempla uma solução para a questão dos cerca de 800.000 jovens imigrantes sem documentos que chegaram ao país quando crianças, conhecidos como dreamers (sonhadores).



Em setembro, Donald Trump anunciou o fim do Daca, que protegia os dreamers da deportação. O presidente, contudo, determinou que o Congresso deveria chegar a um plano alternativo para os jovens que vivem no país sem visto. Os democratas, agora, cobram uma solução para a questão.



Veja Também