news:

Esporte

Messi conquista 5ª Bola de Ouro; Neymar fica em 3º

Publicado por TV Minas em 11/01/2016

foto_principal.jpeg

O argentino superou também seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo.

 

O craque do Barcelona, Lionel Messi, foi eleito nesta segunda-feira, pela quinta vez na carreira, o melhor jogador de futebol do mundo, na premiação da Bola de Ouro da Fifa de 2015, em Zurique, na Suíça. O argentino, que recebeu o troféu das mãos do ídolo brasileiro Kaká, bateu seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o brasileiro Neymar - companheiro no Barcelona e indicado pela primeira vez na carreira entre os três finalistas. "É incrivel, isso é muito mais do que eu já sonhei. Quero agradecer a todos os meus companheiros, pois sem eles eu não estaria aqui", agradeceu Lionel Messi, que ficou no final com uma votação de 41,33%, à frente de Cristiano Ronaldo, com 27,66%, e Neymar, com 7,86%.

 

De 2009 a 2012, Messi foi absoluto e ganhou consecutivamente a maior premiação da Fifa. Nos últimos dois anos, Cristiano Ronaldo desbancou a soberania do argentino, mas, desta vez, a indicação a Messi parecia inevitável, com uma temporada primorosa do argentino, que teve como principal coadjuvante o parceiro de ataque e amigo Neymar. Foram cinco títulos com o Barcelona: Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Supercopa da Europa, Liga dos Campeões e Mundial de Clubes.

 

Apesar de Cristiano Ronaldo ter sido artilheiro do ano - com 57 gols, contra 49 de Messi e 45 de Neymar - Messi foi mais uma vez o principal jogador do elenco do Barcelona, formando um dos melhores trios de ataques da história do futebol, com o uruguaio Luiz SUárez e Neymar. Só no Campeonato Espanhol, o argentino marcou 43 gols em 38 jogos, deu 18 assistências, e terminou a Liga dos Campeões como artilheiro, com 10 gols, empatado justamente com os seus concorrentes à Bola de Ouro, Cristiano Ronaldo e Neymar.

 

Messi ainda teve uma lesão no final de setembro que o tirou dos gramados por dois meses. Neymar aproveitou a oportunidade e mostrou liderança, com boas atuações na fase de grupos da Liga dos Campeões 2015/16 e no Campeonato Espanhol. Pela maturidade e protagonismo no Barcelona quando Messi estava fora, o brasileiro conseguiu chegar como finalista na Bola de Ouro após oito anos sem um atleta nacional aparecer na premiação da Fifa - o último deles foi Kaká, que faturou o Puskás em 2007.

O argentino superou também seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo.


 


O craque do Barcelona, Lionel Messi, foi eleito nesta segunda-feira, pela quinta vez na carreira, o melhor jogador de futebol do mundo, na premiação da Bola de Ouro da Fifa de 2015, em Zurique, na Suíça. O argentino, que recebeu o troféu das mãos do ídolo brasileiro Kaká, bateu seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o brasileiro Neymar - companheiro no Barcelona e indicado pela primeira vez na carreira entre os três finalistas. "É incrivel, isso é muito mais do que eu já sonhei. Quero agradecer a todos os meus companheiros, pois sem eles eu não estaria aqui", agradeceu Lionel Messi, que ficou no final com uma votação de 41,33%, à frente de Cristiano Ronaldo, com 27,66%, e Neymar, com 7,86%.


 


PATROCINADORES

De 2009 a 2012, Messi foi absoluto e ganhou consecutivamente a maior premiação da Fifa. Nos últimos dois anos, Cristiano Ronaldo desbancou a soberania do argentino, mas, desta vez, a indicação a Messi parecia inevitável, com uma temporada primorosa do argentino, que teve como principal coadjuvante o parceiro de ataque e amigo Neymar. Foram cinco títulos com o Barcelona: Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Supercopa da Europa, Liga dos Campeões e Mundial de Clubes.


 


Apesar de Cristiano Ronaldo ter sido artilheiro do ano - com 57 gols, contra 49 de Messi e 45 de Neymar - Messi foi mais uma vez o principal jogador do elenco do Barcelona, formando um dos melhores trios de ataques da história do futebol, com o uruguaio Luiz SUárez e Neymar. Só no Campeonato Espanhol, o argentino marcou 43 gols em 38 jogos, deu 18 assistências, e terminou a Liga dos Campeões como artilheiro, com 10 gols, empatado justamente com os seus concorrentes à Bola de Ouro, Cristiano Ronaldo e Neymar.


 


Messi ainda teve uma lesão no final de setembro que o tirou dos gramados por dois meses. Neymar aproveitou a oportunidade e mostrou liderança, com boas atuações na fase de grupos da Liga dos Campeões 2015/16 e no Campeonato Espanhol. Pela maturidade e protagonismo no Barcelona quando Messi estava fora, o brasileiro conseguiu chegar como finalista na Bola de Ouro após oito anos sem um atleta nacional aparecer na premiação da Fifa - o último deles foi Kaká, que faturou o Puskás em 2007.


O argentino superou também seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo.



O craque do Barcelona, Lionel Messi, foi eleito nesta segunda-feira, pela quinta vez na carreira, o melhor jogador de futebol do mundo, na premiação da Bola de Ouro da Fifa de 2015, em Zurique, na Suíça. O argentino, que recebeu o troféu das mãos do ídolo brasileiro Kaká, bateu seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o brasileiro Neymar - companheiro no Barcelona e indicado pela primeira vez na carreira entre os três finalistas. "É incrivel, isso é muito mais do que eu já sonhei. Quero agradecer a todos os meus companheiros, pois sem eles eu não estaria aqui", agradeceu Lionel Messi, que ficou no final com uma votação de 41,33%, à frente de Cristiano Ronaldo, com 27,66%, e Neymar, com 7,86%.



De 2009 a 2012, Messi foi absoluto e ganhou consecutivamente a maior premiação da Fifa. Nos últimos dois anos, Cristiano Ronaldo desbancou a soberania do argentino, mas, desta vez, a indicação a Messi parecia inevitável, com uma temporada primorosa do argentino, que teve como principal coadjuvante o parceiro de ataque e amigo Neymar. Foram cinco títulos com o Barcelona: Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Supercopa da Europa, Liga dos Campeões e Mundial de Clubes.



PATROCINADORES

Apesar de Cristiano Ronaldo ter sido artilheiro do ano - com 57 gols, contra 49 de Messi e 45 de Neymar - Messi foi mais uma vez o principal jogador do elenco do Barcelona, formando um dos melhores trios de ataques da história do futebol, com o uruguaio Luiz SUárez e Neymar. Só no Campeonato Espanhol, o argentino marcou 43 gols em 38 jogos, deu 18 assistências, e terminou a Liga dos Campeões como artilheiro, com 10 gols, empatado justamente com os seus concorrentes à Bola de Ouro, Cristiano Ronaldo e Neymar.



Messi ainda teve uma lesão no final de setembro que o tirou dos gramados por dois meses. Neymar aproveitou a oportunidade e mostrou liderança, com boas atuações na fase de grupos da Liga dos Campeões 2015/16 e no Campeonato Espanhol. Pela maturidade e protagonismo no Barcelona quando Messi estava fora, o brasileiro conseguiu chegar como finalista na Bola de Ouro após oito anos sem um atleta nacional aparecer na premiação da Fifa - o último deles foi Kaká, que faturou o Puskás em 2007.



Veja Também