news:

Sul de Minas

Audiência pública vai discutir concessão de transporte em Pouso Alegre

Publicado por TV Minas em 09/02/2018

foto_principal.jpg

A audiência do transporte será às 09h, no auditório da Reitoria do IFSULDEMINAS, na Avenida Vicente Simões.

 

O atual contrato de concessão do transporte público de Pouso Alegre está no fim. Faltam dois meses e dez dias para a atual concessão vencer (18/04). E a prefeitura precisa fazer nova licitação para o serviço de transporte urbano e rural no município. E uma das etapas desse processo é a exigência da audiência pública.

 

A audiência pública é realizada pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e a Comissão Permanente de Licitação da prefeitura. Todo cidadão, usuário ou não do serviço pode e deve participar do debate, que será no auditório do prédio da Reitoria do Instituto Federal do Sul de Minas – IF SULDEMINAS, localizado na Av. Vicente Simões, 1.111, bairro Nova Pouso Alegre.

 

 

Reclamações do transporte urbano

 

A prestação do serviço de transporte urbano e rural de Pouso Alegre tem sido alvo constante de reclamações por parte dos usuários. Atrasos, superlotações e precariedade dos ônibus são os pontos mais reclamados.

 

A prefeitura até fez uma auditoria no serviço e constatou que a Viação Princesa do Sul, que tem a concessão ha mais de 30 anos em Pouso Alegre, não tem cumprido as exigências do contrato. A empresa também estava com pendências fiscais que a impediria de participar de nova licitação.

A audiência do transporte será às 09h, no auditório da Reitoria do IFSULDEMINAS, na Avenida Vicente Simões.


 


O atual contrato de concessão do transporte público de Pouso Alegre está no fim. Faltam dois meses e dez dias para a atual concessão vencer (18/04). E a prefeitura precisa fazer nova licitação para o serviço de transporte urbano e rural no município. E uma das etapas desse processo é a exigência da audiência pública.


 


A audiência pública é realizada pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e a Comissão Permanente de Licitação da prefeitura. Todo cidadão, usuário ou não do serviço pode e deve participar do debate, que será no auditório do prédio da Reitoria do Instituto Federal do Sul de Minas – IF SULDEMINAS, localizado na Av. Vicente Simões, 1.111, bairro Nova Pouso Alegre.


 


PATROCINADORES

 


Reclamações do transporte urbano


 


A prestação do serviço de transporte urbano e rural de Pouso Alegre tem sido alvo constante de reclamações por parte dos usuários. Atrasos, superlotações e precariedade dos ônibus são os pontos mais reclamados.


 


A prefeitura até fez uma auditoria no serviço e constatou que a Viação Princesa do Sul, que tem a concessão ha mais de 30 anos em Pouso Alegre, não tem cumprido as exigências do contrato. A empresa também estava com pendências fiscais que a impediria de participar de nova licitação.


A audiência do transporte será às 09h, no auditório da Reitoria do IFSULDEMINAS, na Avenida Vicente Simões.



O atual contrato de concessão do transporte público de Pouso Alegre está no fim. Faltam dois meses e dez dias para a atual concessão vencer (18/04). E a prefeitura precisa fazer nova licitação para o serviço de transporte urbano e rural no município. E uma das etapas desse processo é a exigência da audiência pública.



A audiência pública é realizada pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e a Comissão Permanente de Licitação da prefeitura. Todo cidadão, usuário ou não do serviço pode e deve participar do debate, que será no auditório do prédio da Reitoria do Instituto Federal do Sul de Minas – IF SULDEMINAS, localizado na Av. Vicente Simões, 1.111, bairro Nova Pouso Alegre.



PATROCINADORES

Reclamações do transporte urbano



A prestação do serviço de transporte urbano e rural de Pouso Alegre tem sido alvo constante de reclamações por parte dos usuários. Atrasos, superlotações e precariedade dos ônibus são os pontos mais reclamados.



A prefeitura até fez uma auditoria no serviço e constatou que a Viação Princesa do Sul, que tem a concessão ha mais de 30 anos em Pouso Alegre, não tem cumprido as exigências do contrato. A empresa também estava com pendências fiscais que a impediria de participar de nova licitação.



Veja Também