news:

Notícias

Anastasia sofre pressão de Alckmin e PSDB para concorrer ao governo de MG

Publicado por TV Minas em 20/02/2018

foto_principal.jpg

O senador mineiro é visto como melhor opção para dar um palanque forte para os tucanos no estado.

 

O PSDB começa a fazer reuniões nesta terça-feira (20) para definir a candidatura ao governo de Minas tendo um componente inevitável para encaixar: a pressão dos tucanos de São Paulo, e em especial do governador Geraldo Alckmin, para que o senador Antonio Anastasia concorra ao Palácio da Liberdade. O ex-governador mineiro é visto como peça importante pela cúpula nacional da legenda para dar um palanque forte à candidatura ao Palácio do Planalto. Mesmo com as constantes negativas de Anastasia, o PSDB mineiro ainda trabalha com a possibilidade de ele disputar. 

 

Além do PSDB nacional, Anastasia vem sendo pressionado por parte dos colegas de Minas, que se recusam a acreditar que a negativa do senador de concorrer seja definitiva. O senador Aécio Neves também estaria entre os que pressionam pela candidatura. 

 

Paralelo a isso, Anastasia vem trabalhando para que o deputado federal Rodrigo Pacheco, hoje no MDB mas praticamente de saída para o DEM, assuma a tarefa de tentar tirar o PT do Palácio da Liberdade.

 

Os deputados federais tucanos conversam nesta terça-feira (20) sobre os rumos do partido nas eleições e, à noite, o presidente do partido em Minas, Domingos Sávio, tem encontro com Alckmin. O parlamentar confirmou o desejo do PSDB nacional de ter Anastasia oferecendo um palanque para o governador paulista.

 

“Não há pressão, há o que é absolutamente legítimo em política, um diálogo em busca de uma solução que entendemos que seja a melhor para Minas, que é ele. Não é a única solução, mas é a melhor e mais conciliadora”, disse Domingos Sávio. 

 

O presidente do PSDB mineiro afirmou que o nome de Anastasia aparece “insistentemente” entre as bases da legenda como melhor alternativa. “Não vamos caminhar em outra direção antes de esgotar esse debate. O homem público às vezes não tem muita condição de pensar o que é melhor para ele, tem que pensar o que é melhor para o conjunto da sociedade que representa. Quem abraça a vida pública sabe que é assim”, disse. 

 

O dirigente adiantou que o partido deve reunir até o início da semana que vem as bancadas estadual e federal mineiras para tratar dos rumos nas eleições. “Houve muita especulação, insistiram em falar em uma divisão do PSDB, mas estamos unidos com o propósito de derrotar o PT.”

 

Secretário geral do PSDB nacional, o deputado federal Marcus Pestana confirmou que Alckmin quer um palanque forte em Minas e que Anastasia é visto como o melhor nome para isso, mas mostrou desacreditar nessa possibilidade.

 

“Candidatura não é só questão de viabilidade política, tem decisões pessoais também e não existe essa história de obrigar ninguém a nada. A opção dele (Anastasia) é de permanecer no Senado. Ele disse enfaticamente e não cabe ficar insistindo”, afirmou.

O senador mineiro é visto como melhor opção para dar um palanque forte para os tucanos no estado.


 


O PSDB começa a fazer reuniões nesta terça-feira (20) para definir a candidatura ao governo de Minas tendo um componente inevitável para encaixar: a pressão dos tucanos de São Paulo, e em especial do governador Geraldo Alckmin, para que o senador Antonio Anastasia concorra ao Palácio da Liberdade. O ex-governador mineiro é visto como peça importante pela cúpula nacional da legenda para dar um palanque forte à candidatura ao Palácio do Planalto. Mesmo com as constantes negativas de Anastasia, o PSDB mineiro ainda trabalha com a possibilidade de ele disputar. 


 


Além do PSDB nacional, Anastasia vem sendo pressionado por parte dos colegas de Minas, que se recusam a acreditar que a negativa do senador de concorrer seja definitiva. O senador Aécio Neves também estaria entre os que pressionam pela candidatura. 


 


Paralelo a isso, Anastasia vem trabalhando para que o deputado federal Rodrigo Pacheco, hoje no MDB mas praticamente de saída para o DEM, assuma a tarefa de tentar tirar o PT do Palácio da Liberdade.


 


Os deputados federais tucanos conversam nesta terça-feira (20) sobre os rumos do partido nas eleições e, à noite, o presidente do partido em Minas, Domingos Sávio, tem encontro com Alckmin. O parlamentar confirmou o desejo do PSDB nacional de ter Anastasia oferecendo um palanque para o governador paulista.


PATROCINADORES

 


“Não há pressão, há o que é absolutamente legítimo em política, um diálogo em busca de uma solução que entendemos que seja a melhor para Minas, que é ele. Não é a única solução, mas é a melhor e mais conciliadora”, disse Domingos Sávio. 


 


O presidente do PSDB mineiro afirmou que o nome de Anastasia aparece “insistentemente” entre as bases da legenda como melhor alternativa. “Não vamos caminhar em outra direção antes de esgotar esse debate. O homem público às vezes não tem muita condição de pensar o que é melhor para ele, tem que pensar o que é melhor para o conjunto da sociedade que representa. Quem abraça a vida pública sabe que é assim”, disse. 


 


O dirigente adiantou que o partido deve reunir até o início da semana que vem as bancadas estadual e federal mineiras para tratar dos rumos nas eleições. “Houve muita especulação, insistiram em falar em uma divisão do PSDB, mas estamos unidos com o propósito de derrotar o PT.”


 


Secretário geral do PSDB nacional, o deputado federal Marcus Pestana confirmou que Alckmin quer um palanque forte em Minas e que Anastasia é visto como o melhor nome para isso, mas mostrou desacreditar nessa possibilidade.


 


“Candidatura não é só questão de viabilidade política, tem decisões pessoais também e não existe essa história de obrigar ninguém a nada. A opção dele (Anastasia) é de permanecer no Senado. Ele disse enfaticamente e não cabe ficar insistindo”, afirmou.


O senador mineiro é visto como melhor opção para dar um palanque forte para os tucanos no estado.



O PSDB começa a fazer reuniões nesta terça-feira (20) para definir a candidatura ao governo de Minas tendo um componente inevitável para encaixar: a pressão dos tucanos de São Paulo, e em especial do governador Geraldo Alckmin, para que o senador Antonio Anastasia concorra ao Palácio da Liberdade. O ex-governador mineiro é visto como peça importante pela cúpula nacional da legenda para dar um palanque forte à candidatura ao Palácio do Planalto. Mesmo com as constantes negativas de Anastasia, o PSDB mineiro ainda trabalha com a possibilidade de ele disputar. 



Além do PSDB nacional, Anastasia vem sendo pressionado por parte dos colegas de Minas, que se recusam a acreditar que a negativa do senador de concorrer seja definitiva. O senador Aécio Neves também estaria entre os que pressionam pela candidatura. 



PATROCINADORES

Paralelo a isso, Anastasia vem trabalhando para que o deputado federal Rodrigo Pacheco, hoje no MDB mas praticamente de saída para o DEM, assuma a tarefa de tentar tirar o PT do Palácio da Liberdade.



Os deputados federais tucanos conversam nesta terça-feira (20) sobre os rumos do partido nas eleições e, à noite, o presidente do partido em Minas, Domingos Sávio, tem encontro com Alckmin. O parlamentar confirmou o desejo do PSDB nacional de ter Anastasia oferecendo um palanque para o governador paulista.



“Não há pressão, há o que é absolutamente legítimo em política, um diálogo em busca de uma solução que entendemos que seja a melhor para Minas, que é ele. Não é a única solução, mas é a melhor e mais conciliadora”, disse Domingos Sávio. 



PATROCINADORES

O presidente do PSDB mineiro afirmou que o nome de Anastasia aparece “insistentemente” entre as bases da legenda como melhor alternativa. “Não vamos caminhar em outra direção antes de esgotar esse debate. O homem público às vezes não tem muita condição de pensar o que é melhor para ele, tem que pensar o que é melhor para o conjunto da sociedade que representa. Quem abraça a vida pública sabe que é assim”, disse. 



O dirigente adiantou que o partido deve reunir até o início da semana que vem as bancadas estadual e federal mineiras para tratar dos rumos nas eleições. “Houve muita especulação, insistiram em falar em uma divisão do PSDB, mas estamos unidos com o propósito de derrotar o PT.”



Secretário geral do PSDB nacional, o deputado federal Marcus Pestana confirmou que Alckmin quer um palanque forte em Minas e que Anastasia é visto como o melhor nome para isso, mas mostrou desacreditar nessa possibilidade.



“Candidatura não é só questão de viabilidade política, tem decisões pessoais também e não existe essa história de obrigar ninguém a nada. A opção dele (Anastasia) é de permanecer no Senado. Ele disse enfaticamente e não cabe ficar insistindo”, afirmou.



Veja Também