news:

Sul de Minas

Promotorias abrem inquérito para investigar esgoto em Pouso Alegre

Publicado por TV Minas em 20/02/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

A denúncia é de que a Copasa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.

 

O Ministério Público Estadual e o MP Federal abriram inquérito contra a Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais, Copasa, em Pouso Alegre. A denúncia é de que a empresa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.

 

O inquérito foi aberto no início do mês. O Rio Sapucaí é um rio federal, por isso o MP Federal entrou no caso. A investigação foi aberta depois que a Promotoria recebeu um relatório com um abaixo-assinado dos moradores, além de fotos e vídeos que comprovariam esse derramamento de esgoto nos rios.

 

Em outubro do ano passado, um estudo feito pela Comissão Especial de Inquérito, da Câmara de Vereadores, concluiu que a Copasa não estaria atuando de forma legal com suas competências e em relação da cobrança da taxa de esgoto, que é de 90% em cima da conta de água.

 

Para realizar os estudos, a comissão contratou equipes especializadas, que desceram pelos rios Mandu e Sapucaí, e verificaram a existência de pelo menos 50 pontos com esgoto sendo despejados de forma incorreta.

 

A comissão pede, inclusive, que a taxa de esgoto seja retirada da conta de água dos moradores. O promotor Ricardo Linard informou que uma reunião entre os ministérios, Copasa e prefeitura vai discutir a situação.

 

A produção do Jornal da EPTV 1ª Edição entrou em contato com a assessoria da Copasa, mas até essa publicação, não teve retorno.

Matéria extraída do G1


 


A denúncia é de que a Copasa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.


 


O Ministério Público Estadual e o MP Federal abriram inquérito contra a Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais, Copasa, em Pouso Alegre. A denúncia é de que a empresa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.


 


O inquérito foi aberto no início do mês. O Rio Sapucaí é um rio federal, por isso o MP Federal entrou no caso. A investigação foi aberta depois que a Promotoria recebeu um relatório com um abaixo-assinado dos moradores, além de fotos e vídeos que comprovariam esse derramamento de esgoto nos rios.


PATROCINADORES

 


Em outubro do ano passado, um estudo feito pela Comissão Especial de Inquérito, da Câmara de Vereadores, concluiu que a Copasa não estaria atuando de forma legal com suas competências e em relação da cobrança da taxa de esgoto, que é de 90% em cima da conta de água.


 


Para realizar os estudos, a comissão contratou equipes especializadas, que desceram pelos rios Mandu e Sapucaí, e verificaram a existência de pelo menos 50 pontos com esgoto sendo despejados de forma incorreta.


 


A comissão pede, inclusive, que a taxa de esgoto seja retirada da conta de água dos moradores. O promotor Ricardo Linard informou que uma reunião entre os ministérios, Copasa e prefeitura vai discutir a situação.


 


A produção do Jornal da EPTV 1ª Edição entrou em contato com a assessoria da Copasa, mas até essa publicação, não teve retorno.


Matéria extraída do G1



A denúncia é de que a Copasa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.



O Ministério Público Estadual e o MP Federal abriram inquérito contra a Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais, Copasa, em Pouso Alegre. A denúncia é de que a empresa estaria despejando esgoto nos rios Mandu e Sapucaí.



PATROCINADORES

O inquérito foi aberto no início do mês. O Rio Sapucaí é um rio federal, por isso o MP Federal entrou no caso. A investigação foi aberta depois que a Promotoria recebeu um relatório com um abaixo-assinado dos moradores, além de fotos e vídeos que comprovariam esse derramamento de esgoto nos rios.



Em outubro do ano passado, um estudo feito pela Comissão Especial de Inquérito, da Câmara de Vereadores, concluiu que a Copasa não estaria atuando de forma legal com suas competências e em relação da cobrança da taxa de esgoto, que é de 90% em cima da conta de água.



PATROCINADORES

Para realizar os estudos, a comissão contratou equipes especializadas, que desceram pelos rios Mandu e Sapucaí, e verificaram a existência de pelo menos 50 pontos com esgoto sendo despejados de forma incorreta.



A comissão pede, inclusive, que a taxa de esgoto seja retirada da conta de água dos moradores. O promotor Ricardo Linard informou que uma reunião entre os ministérios, Copasa e prefeitura vai discutir a situação.



A produção do Jornal da EPTV 1ª Edição entrou em contato com a assessoria da Copasa, mas até essa publicação, não teve retorno.



Veja Também