news:

Sul de Minas

Colunista social foragido da justiça é preso dentro de táxi na Fernão Dias

Publicado por TV Minas em 20/02/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do Terra do Mandu

 

Leandro de Oliveira é investigado por aplicar golpes em aluguel de sítios em Pouso Alegre.

 

O colunista Social Leandro de Oliveira, conhecido como Leandro.com, foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (20), na rodovia Fernão Dias, quando seguia em um táxi para Belo Horizonte. A prisão ocorreu na praça de pedágio de São Gonçalo do Sapucaí, Sul de Minas. Leandro estava foragido e tinha um mandado de prisão preventiva contra ele. O colunista é investigado por crimes de estelionato ao aplicar golpes no aluguel de sítios para temporada de réveillon e carnaval.

 

Segundo o delegado Daniel Leme Amaral, a Polícia Civil de Pouso Alegre repassou a informação que o colunista seguia em um táxi para BH. Os policiais foram para o pedágio e fizeram a abordagem do veículo e prisão do suspeito. Leandro foi encaminhado para a delegacia de Pouso Alegre.

 

Há oito inquéritos abertos contra o colunista social de Pouso Alegre. Ele teria alugado chácaras para mais de uma família para as festas de fim de ano. Também alugou sítios sem a permissão dos proprietários dos imóveis. Vítimas pagaram antecipado e ficaram sem o sítio e sem o dinheiro. Uma das famílias pagou R$ 7 mil pelo aluguel de um sítio para o fim de ano e outro para o carnaval.

 

Segundo apuração do Terra do Mandu, desde dezembro, quando as primeiras vítimas denunciaram o golpe, o colunista social estava no estado do Rio de Janeiro. Ele retornou ao Sul de Minas na madrugada desta terça-feira e nesta manhã seguia para a capital mineira, mas foi detido próximo a São Gonçalo do Sapucaí.

 

O delegado que preside os inquéritos, José Walter da Motta, disse que a prisão preventiva foi pedida devido ao volume de inquéritos que existe contra o suspeito. Ainda de acordo com o delegado, Leandro responde há vários golpes de estelionato e estava sumido desde o início das investigações.

 

 

Como eram aplicados os golpes

 

Uma das vítimas perdeu R$ 7 mil ao alugar dois sítios, um para o fim de ano e outro para o carnaval. A mulher de 35 anos, registrou o boletim de ocorrência na delegacia e relatou que, em setembro passado, reservou com Leandro e pagou R$ 2 mil pelo aluguel de um sítio em Pouso Alegre. A estadia seria para os dias 29 de dezembro a 2 de janeiro. A mesma vítima ainda conta que alugou um outro sítio para a temporada de carnaval e pagou R$ 5 mil a Leandro. Nos dois casos, os depósitos dos valores foram feitos em contas de terceiros indicados por Leandro. Mas nenhum deles era o dono dos sítios.

 

A mulher também contou a polícia que registrou o boletim de ocorrência ao ver outras pessoas denunciando o golpe na internet e não ter conseguido falar com o suspeito.

 

A cabeleireira Natalie Oliveira contou para ao Terra do Mandu em dezembro que já estava com tudo programado para passar o réveillon com a família em um sítio alugado antecipadamente. O cunhado dela que fez a reserva e pagou R$ 1.200 para passarem o final de semana e a virada do ano na propriedade, que fica na zona rural de São Sebastião da Bela Vista, próximo a Pouso Alegre. Porém, Natalie foi uma das vítimas do colunista social. O imóvel não foi reservado, e a cabeleira ficou sem o dinheiro e local para a festa de fim de ano.

 

“O sítio existe. Meu irmão foi ao local com o Leandro antes de pagar o aluguel. Mas, quando procuramos o proprietário, ele informou que não estava sabendo da reserva e não recebeu o dinheiro dado ao Leandro. Fomos registrar o boletim de ocorrência na delegacia e os dados que o Leandro passou do dono do sítio eram falsos”, contou a cabeleireira.

 

 

Outros envolvidos

 

Pessoas que emprestaram a conta para receber os valores das vítimas que depois eram repassados a Leandro também deverão ser ouvidas pela polícia. Como não possui conta bancária, o apresentador pedia a conta de conhecidos ‘emprestada’ para receber o aluguel dos sítios.

Matéria extraída do Terra do Mandu


 


Leandro de Oliveira é investigado por aplicar golpes em aluguel de sítios em Pouso Alegre.


 


O colunista Social Leandro de Oliveira, conhecido como Leandro.com, foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (20), na rodovia Fernão Dias, quando seguia em um táxi para Belo Horizonte. A prisão ocorreu na praça de pedágio de São Gonçalo do Sapucaí, Sul de Minas. Leandro estava foragido e tinha um mandado de prisão preventiva contra ele. O colunista é investigado por crimes de estelionato ao aplicar golpes no aluguel de sítios para temporada de réveillon e carnaval.


 


Segundo o delegado Daniel Leme Amaral, a Polícia Civil de Pouso Alegre repassou a informação que o colunista seguia em um táxi para BH. Os policiais foram para o pedágio e fizeram a abordagem do veículo e prisão do suspeito. Leandro foi encaminhado para a delegacia de Pouso Alegre.


 


Há oito inquéritos abertos contra o colunista social de Pouso Alegre. Ele teria alugado chácaras para mais de uma família para as festas de fim de ano. Também alugou sítios sem a permissão dos proprietários dos imóveis. Vítimas pagaram antecipado e ficaram sem o sítio e sem o dinheiro. Uma das famílias pagou R$ 7 mil pelo aluguel de um sítio para o fim de ano e outro para o carnaval.


 


Segundo apuração do Terra do Mandu, desde dezembro, quando as primeiras vítimas denunciaram o golpe, o colunista social estava no estado do Rio de Janeiro. Ele retornou ao Sul de Minas na madrugada desta terça-feira e nesta manhã seguia para a capital mineira, mas foi detido próximo a São Gonçalo do Sapucaí.


 


O delegado que preside os inquéritos, José Walter da Motta, disse que a prisão preventiva foi pedida devido ao volume de inquéritos que existe contra o suspeito. Ainda de acordo com o delegado, Leandro responde há vários golpes de estelionato e estava sumido desde o início das investigações.


 


PATROCINADORES

 


Como eram aplicados os golpes


 


Uma das vítimas perdeu R$ 7 mil ao alugar dois sítios, um para o fim de ano e outro para o carnaval. A mulher de 35 anos, registrou o boletim de ocorrência na delegacia e relatou que, em setembro passado, reservou com Leandro e pagou R$ 2 mil pelo aluguel de um sítio em Pouso Alegre. A estadia seria para os dias 29 de dezembro a 2 de janeiro. A mesma vítima ainda conta que alugou um outro sítio para a temporada de carnaval e pagou R$ 5 mil a Leandro. Nos dois casos, os depósitos dos valores foram feitos em contas de terceiros indicados por Leandro. Mas nenhum deles era o dono dos sítios.


 


A mulher também contou a polícia que registrou o boletim de ocorrência ao ver outras pessoas denunciando o golpe na internet e não ter conseguido falar com o suspeito.


 


A cabeleireira Natalie Oliveira contou para ao Terra do Mandu em dezembro que já estava com tudo programado para passar o réveillon com a família em um sítio alugado antecipadamente. O cunhado dela que fez a reserva e pagou R$ 1.200 para passarem o final de semana e a virada do ano na propriedade, que fica na zona rural de São Sebastião da Bela Vista, próximo a Pouso Alegre. Porém, Natalie foi uma das vítimas do colunista social. O imóvel não foi reservado, e a cabeleira ficou sem o dinheiro e local para a festa de fim de ano.


 


“O sítio existe. Meu irmão foi ao local com o Leandro antes de pagar o aluguel. Mas, quando procuramos o proprietário, ele informou que não estava sabendo da reserva e não recebeu o dinheiro dado ao Leandro. Fomos registrar o boletim de ocorrência na delegacia e os dados que o Leandro passou do dono do sítio eram falsos”, contou a cabeleireira.


 


 


Outros envolvidos


 


Pessoas que emprestaram a conta para receber os valores das vítimas que depois eram repassados a Leandro também deverão ser ouvidas pela polícia. Como não possui conta bancária, o apresentador pedia a conta de conhecidos ‘emprestada’ para receber o aluguel dos sítios.


Matéria extraída do Terra do Mandu



Leandro de Oliveira é investigado por aplicar golpes em aluguel de sítios em Pouso Alegre.



O colunista Social Leandro de Oliveira, conhecido como Leandro.com, foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (20), na rodovia Fernão Dias, quando seguia em um táxi para Belo Horizonte. A prisão ocorreu na praça de pedágio de São Gonçalo do Sapucaí, Sul de Minas. Leandro estava foragido e tinha um mandado de prisão preventiva contra ele. O colunista é investigado por crimes de estelionato ao aplicar golpes no aluguel de sítios para temporada de réveillon e carnaval.



Segundo o delegado Daniel Leme Amaral, a Polícia Civil de Pouso Alegre repassou a informação que o colunista seguia em um táxi para BH. Os policiais foram para o pedágio e fizeram a abordagem do veículo e prisão do suspeito. Leandro foi encaminhado para a delegacia de Pouso Alegre.



Há oito inquéritos abertos contra o colunista social de Pouso Alegre. Ele teria alugado chácaras para mais de uma família para as festas de fim de ano. Também alugou sítios sem a permissão dos proprietários dos imóveis. Vítimas pagaram antecipado e ficaram sem o sítio e sem o dinheiro. Uma das famílias pagou R$ 7 mil pelo aluguel de um sítio para o fim de ano e outro para o carnaval.



PATROCINADORES

Segundo apuração do Terra do Mandu, desde dezembro, quando as primeiras vítimas denunciaram o golpe, o colunista social estava no estado do Rio de Janeiro. Ele retornou ao Sul de Minas na madrugada desta terça-feira e nesta manhã seguia para a capital mineira, mas foi detido próximo a São Gonçalo do Sapucaí.



O delegado que preside os inquéritos, José Walter da Motta, disse que a prisão preventiva foi pedida devido ao volume de inquéritos que existe contra o suspeito. Ainda de acordo com o delegado, Leandro responde há vários golpes de estelionato e estava sumido desde o início das investigações.



Como eram aplicados os golpes



Uma das vítimas perdeu R$ 7 mil ao alugar dois sítios, um para o fim de ano e outro para o carnaval. A mulher de 35 anos, registrou o boletim de ocorrência na delegacia e relatou que, em setembro passado, reservou com Leandro e pagou R$ 2 mil pelo aluguel de um sítio em Pouso Alegre. A estadia seria para os dias 29 de dezembro a 2 de janeiro. A mesma vítima ainda conta que alugou um outro sítio para a temporada de carnaval e pagou R$ 5 mil a Leandro. Nos dois casos, os depósitos dos valores foram feitos em contas de terceiros indicados por Leandro. Mas nenhum deles era o dono dos sítios.



PATROCINADORES

A mulher também contou a polícia que registrou o boletim de ocorrência ao ver outras pessoas denunciando o golpe na internet e não ter conseguido falar com o suspeito.



A cabeleireira Natalie Oliveira contou para ao Terra do Mandu em dezembro que já estava com tudo programado para passar o réveillon com a família em um sítio alugado antecipadamente. O cunhado dela que fez a reserva e pagou R$ 1.200 para passarem o final de semana e a virada do ano na propriedade, que fica na zona rural de São Sebastião da Bela Vista, próximo a Pouso Alegre. Porém, Natalie foi uma das vítimas do colunista social. O imóvel não foi reservado, e a cabeleira ficou sem o dinheiro e local para a festa de fim de ano.



“O sítio existe. Meu irmão foi ao local com o Leandro antes de pagar o aluguel. Mas, quando procuramos o proprietário, ele informou que não estava sabendo da reserva e não recebeu o dinheiro dado ao Leandro. Fomos registrar o boletim de ocorrência na delegacia e os dados que o Leandro passou do dono do sítio eram falsos”, contou a cabeleireira.



Outros envolvidos



Pessoas que emprestaram a conta para receber os valores das vítimas que depois eram repassados a Leandro também deverão ser ouvidas pela polícia. Como não possui conta bancária, o apresentador pedia a conta de conhecidos ‘emprestada’ para receber o aluguel dos sítios.



Veja Também