news:

Bem Estar

A nova moda de comer sabão em cápsulas: entenda os riscos

Publicado por TV Minas em 24/02/2018

foto_principal.jpg

A 'brincadeira', que consiste em ingerir cápsulas de detergente líquido, já provocou a intoxicação de 86 jovens apenas este ano.

 

Ao contrário do ‘desafio do balde de gelo‘, que não trazia risco nenhum para a saúde e tinha como objetivo angariar fundos para pesquisas sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA), o ‘desafio de comer cápsulas de sabão‘ não é nada nobre e está se tornando um problema de saúde pública nos Estados Unidos. A prática, realizada principalmente por adolescentes, já provocou a intoxicação de 86 pessoas com idade entre 13 e 19 anos, apenas nas três primeiras semanas de janeiro deste ano, de acordo com um relatório da Associação Americana de Centros de Controle de Veneno (AAPCC, na sigla em inglês). O número já ultrapassa o total de casos registrados em 2017 (57 intoxicações) e em 2016.

 

 

O Tide Pod Challenge

 

A ‘brincadeira’, chamada de ‘Tide Pod Challenge‘, que em tradução livre para o português seria ‘Desafio Tide Pod’, começou quando diversos adolescentes publicaram vídeos nas redes sociais em que mastigam cápsulas de detergente e desafiam outras pessoas a fazerem o mesmo. Nos vídeos, vistos por milhares de pessoas, as pessoas colocam a cápsula na boca e quando ela estoura e o detergente é liberado, a reação é a mesma: muita espuma e a tentativa de expelir o produto. Tem até quem cozinhe o detergente ou utilize-o como ingrediente em receitas, para deixa-lo mais apetitoso.

 

O nome Tide Pod faz alusão à marca de sabão de lavar roupas comercializado em forma de cápsula colorida. Embora no desafio qualquer marca possa ser usada, a Tide, marca americana de material de limpeza fabricada pela P&G, é provavelmente a mais conhecida e acabou nomeando a prática. A embalagem chama a atenção por sua semelhança com um doce ou uma bala. Mas definitivamente não é nada disso.

 

A semelhança é tanta que um pouco depois do lançamento do produto em 2012, a Comissão Americana de Segurança de Produtos de Consumo publicou um alerta aos pais com filhos pequenos para manterem a mercadoria fora do alcance das crianças.  Segundo a agência, as cápsulas coloridas, maleáveis e cheirosas são atraentes para os pequenos, mas contêm detergente tóxico e altamente concentrado que pode causar danos.

 

 

Possíveis danos

 

O produto oferece dois potenciais problemas às crianças, de acordo com um porta-voz do Centro de Informações sobre Veneno da Flórida: acidentalmente aspirar o líquido para os pulmões ao inala-lo ou ingeri-lo, o que pode causar sintomas de intoxicação, como vômito e diarreia, alterações de pressão sanguínea e frequência cardíaca, perda de consciência, convulsões e até morte, dependendo da dose.

 

Além disso, as substâncias químicas que compõem o produto podem causar queimaduras na boca, no esôfago e no trato respiratório. “Não podemos enfatizar o quanto isso é perigoso para a saúde dos indivíduos. Isso pode levar a convulsões, edema pulmonar, parada respiratória, coma e até a morte”, diz Stephen Kaminski, CEO da AAPCC.

 

No entanto, uma coisa é manter o produto longe de crianças pequenas que correm o risco de engoli-lo acidentalmente e outra são adolescentes inconsequentes que tomam essa atitude conscientemente. A solução é tentar inibir a prática e mostrar os riscos.

 

Empresas como o YouTube, a P&G e a Amazon estão se mobilizando para tentar combater a prática. A conta oficial da marca Tide no Twitter publicou um vídeo estrelado por Rob Gronkowski, jogador do time de futebol americano New England Patriots, alertando que o sabão não deve ser usado para nada além de lavar roupas.

 

“Para que os Tide Pods devem ser usados? LAVAR ROUPA. Mais nada. Comer Tide POD é uma MÁ IDEIA, e nós pedimos que nosso amigo @robgronkowski ajude a explicar”, diz a publicação.

 

O YouTube e o Facebook se prontificaram a deletar qualquer conteúdo de pessoas comendo as cápsulas e a Amazon,que comercializa o produto, disse que está trabalhando para remover os comentários que fazem apologia à ingestão do detergente.

A 'brincadeira', que consiste em ingerir cápsulas de detergente líquido, já provocou a intoxicação de 86 jovens apenas este ano.


 


Ao contrário do ‘desafio do balde de gelo‘, que não trazia risco nenhum para a saúde e tinha como objetivo angariar fundos para pesquisas sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA), o ‘desafio de comer cápsulas de sabão‘ não é nada nobre e está se tornando um problema de saúde pública nos Estados Unidos. A prática, realizada principalmente por adolescentes, já provocou a intoxicação de 86 pessoas com idade entre 13 e 19 anos, apenas nas três primeiras semanas de janeiro deste ano, de acordo com um relatório da Associação Americana de Centros de Controle de Veneno (AAPCC, na sigla em inglês). O número já ultrapassa o total de casos registrados em 2017 (57 intoxicações) e em 2016.


 


 


O Tide Pod Challenge


 


A ‘brincadeira’, chamada de ‘Tide Pod Challenge‘, que em tradução livre para o português seria ‘Desafio Tide Pod’, começou quando diversos adolescentes publicaram vídeos nas redes sociais em que mastigam cápsulas de detergente e desafiam outras pessoas a fazerem o mesmo. Nos vídeos, vistos por milhares de pessoas, as pessoas colocam a cápsula na boca e quando ela estoura e o detergente é liberado, a reação é a mesma: muita espuma e a tentativa de expelir o produto. Tem até quem cozinhe o detergente ou utilize-o como ingrediente em receitas, para deixa-lo mais apetitoso.


 


O nome Tide Pod faz alusão à marca de sabão de lavar roupas comercializado em forma de cápsula colorida. Embora no desafio qualquer marca possa ser usada, a Tide, marca americana de material de limpeza fabricada pela P&G, é provavelmente a mais conhecida e acabou nomeando a prática. A embalagem chama a atenção por sua semelhança com um doce ou uma bala. Mas definitivamente não é nada disso.


 


A semelhança é tanta que um pouco depois do lançamento do produto em 2012, a Comissão Americana de Segurança de Produtos de Consumo publicou um alerta aos pais com filhos pequenos para manterem a mercadoria fora do alcance das crianças.  Segundo a agência, as cápsulas coloridas, maleáveis e cheirosas são atraentes para os pequenos, mas contêm detergente tóxico e altamente concentrado que pode causar danos.


 


PATROCINADORES

 


Possíveis danos


 


O produto oferece dois potenciais problemas às crianças, de acordo com um porta-voz do Centro de Informações sobre Veneno da Flórida: acidentalmente aspirar o líquido para os pulmões ao inala-lo ou ingeri-lo, o que pode causar sintomas de intoxicação, como vômito e diarreia, alterações de pressão sanguínea e frequência cardíaca, perda de consciência, convulsões e até morte, dependendo da dose.


 


Além disso, as substâncias químicas que compõem o produto podem causar queimaduras na boca, no esôfago e no trato respiratório. “Não podemos enfatizar o quanto isso é perigoso para a saúde dos indivíduos. Isso pode levar a convulsões, edema pulmonar, parada respiratória, coma e até a morte”, diz Stephen Kaminski, CEO da AAPCC.


 


No entanto, uma coisa é manter o produto longe de crianças pequenas que correm o risco de engoli-lo acidentalmente e outra são adolescentes inconsequentes que tomam essa atitude conscientemente. A solução é tentar inibir a prática e mostrar os riscos.


 


Empresas como o YouTube, a P&G e a Amazon estão se mobilizando para tentar combater a prática. A conta oficial da marca Tide no Twitter publicou um vídeo estrelado por Rob Gronkowski, jogador do time de futebol americano New England Patriots, alertando que o sabão não deve ser usado para nada além de lavar roupas.


 


“Para que os Tide Pods devem ser usados? LAVAR ROUPA. Mais nada. Comer Tide POD é uma MÁ IDEIA, e nós pedimos que nosso amigo @robgronkowski ajude a explicar”, diz a publicação.


 


O YouTube e o Facebook se prontificaram a deletar qualquer conteúdo de pessoas comendo as cápsulas e a Amazon,que comercializa o produto, disse que está trabalhando para remover os comentários que fazem apologia à ingestão do detergente.


A 'brincadeira', que consiste em ingerir cápsulas de detergente líquido, já provocou a intoxicação de 86 jovens apenas este ano.



Ao contrário do ‘desafio do balde de gelo‘, que não trazia risco nenhum para a saúde e tinha como objetivo angariar fundos para pesquisas sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA), o ‘desafio de comer cápsulas de sabão‘ não é nada nobre e está se tornando um problema de saúde pública nos Estados Unidos. A prática, realizada principalmente por adolescentes, já provocou a intoxicação de 86 pessoas com idade entre 13 e 19 anos, apenas nas três primeiras semanas de janeiro deste ano, de acordo com um relatório da Associação Americana de Centros de Controle de Veneno (AAPCC, na sigla em inglês). O número já ultrapassa o total de casos registrados em 2017 (57 intoxicações) e em 2016.



O Tide Pod Challenge



A ‘brincadeira’, chamada de ‘Tide Pod Challenge‘, que em tradução livre para o português seria ‘Desafio Tide Pod’, começou quando diversos adolescentes publicaram vídeos nas redes sociais em que mastigam cápsulas de detergente e desafiam outras pessoas a fazerem o mesmo. Nos vídeos, vistos por milhares de pessoas, as pessoas colocam a cápsula na boca e quando ela estoura e o detergente é liberado, a reação é a mesma: muita espuma e a tentativa de expelir o produto. Tem até quem cozinhe o detergente ou utilize-o como ingrediente em receitas, para deixa-lo mais apetitoso.



PATROCINADORES

O nome Tide Pod faz alusão à marca de sabão de lavar roupas comercializado em forma de cápsula colorida. Embora no desafio qualquer marca possa ser usada, a Tide, marca americana de material de limpeza fabricada pela P&G, é provavelmente a mais conhecida e acabou nomeando a prática. A embalagem chama a atenção por sua semelhança com um doce ou uma bala. Mas definitivamente não é nada disso.



A semelhança é tanta que um pouco depois do lançamento do produto em 2012, a Comissão Americana de Segurança de Produtos de Consumo publicou um alerta aos pais com filhos pequenos para manterem a mercadoria fora do alcance das crianças.  Segundo a agência, as cápsulas coloridas, maleáveis e cheirosas são atraentes para os pequenos, mas contêm detergente tóxico e altamente concentrado que pode causar danos.



Possíveis danos



O produto oferece dois potenciais problemas às crianças, de acordo com um porta-voz do Centro de Informações sobre Veneno da Flórida: acidentalmente aspirar o líquido para os pulmões ao inala-lo ou ingeri-lo, o que pode causar sintomas de intoxicação, como vômito e diarreia, alterações de pressão sanguínea e frequência cardíaca, perda de consciência, convulsões e até morte, dependendo da dose.



PATROCINADORES

Além disso, as substâncias químicas que compõem o produto podem causar queimaduras na boca, no esôfago e no trato respiratório. “Não podemos enfatizar o quanto isso é perigoso para a saúde dos indivíduos. Isso pode levar a convulsões, edema pulmonar, parada respiratória, coma e até a morte”, diz Stephen Kaminski, CEO da AAPCC.



No entanto, uma coisa é manter o produto longe de crianças pequenas que correm o risco de engoli-lo acidentalmente e outra são adolescentes inconsequentes que tomam essa atitude conscientemente. A solução é tentar inibir a prática e mostrar os riscos.



Empresas como o YouTube, a P&G e a Amazon estão se mobilizando para tentar combater a prática. A conta oficial da marca Tide no Twitter publicou um vídeo estrelado por Rob Gronkowski, jogador do time de futebol americano New England Patriots, alertando que o sabão não deve ser usado para nada além de lavar roupas.



“Para que os Tide Pods devem ser usados? LAVAR ROUPA. Mais nada. Comer Tide POD é uma MÁ IDEIA, e nós pedimos que nosso amigo @robgronkowski ajude a explicar”, diz a publicação.



O YouTube e o Facebook se prontificaram a deletar qualquer conteúdo de pessoas comendo as cápsulas e a Amazon,que comercializa o produto, disse que está trabalhando para remover os comentários que fazem apologia à ingestão do detergente.



Veja Também