news:

Sul de Minas

Cidadania italiana de mais de 30 moradores do Sul de Minas é cancelada

Publicado por TV Minas em 28/02/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Pessoas estão em grupo de 1.118 brasileiros que perderam a cidadania após descoberta de um esquema.

 

Pelo menos 32 moradores do Sul de Minas tiveram suas cidadanias italianas canceladas no mês de fevereiro. O anúncio dos cancelamentos aconteceu após a descoberta de um esquema de pagamento de propina a agentes públicos da prefeitura de Ospedaletto Lodigiano, na Lombardia.

 

Segundo a prefeitura, estas pessoas não atendiam aos requisitos para a concessão do documento. Elas fazem parte de um grupo de 1.118 brasileiros que tiveram seus documentos cancelados. Os processos de cidadania foram abertos entre julho de 2015 e julho de 2017.

 

No Sul de Minas, a maioria das cidadanias canceladas é de moradores de Poços de Caldas – 14 no total. Também foram invalidados documentos de pessoas em Perdões, Guaxupé, Cambuí, São Sebastião do Paraíso, Pouso Alegre, Areado, Lavras e Poço Fundo.

 

 

O esquema

 

Segundo a imprensa italiana, o esquema tinha participação de funcionários da prefeitura e de um casal de brasileiros, que faziam o repasse de propina para agentes públicos atestarem a residência de brasileiros que não atendiam o tempo mínimo de permanência necessário para obter a documentação.

 

Há ainda casos de brasileiros que sequer foram à cidade e que, mesmo assim, obtiveram o atestado de residência.

 

Residir na Itália é um requisito fundamental para que um brasileiro possa reconhecer a cidadania no país. Normalmente, o processo feito na Itália é mais rápido do que se feito no Brasil, devido às longas filas de espera dos Consulados para o reconhecimento da cidadania.

Matéria extraída do G1


 


Pessoas estão em grupo de 1.118 brasileiros que perderam a cidadania após descoberta de um esquema.


 


Pelo menos 32 moradores do Sul de Minas tiveram suas cidadanias italianas canceladas no mês de fevereiro. O anúncio dos cancelamentos aconteceu após a descoberta de um esquema de pagamento de propina a agentes públicos da prefeitura de Ospedaletto Lodigiano, na Lombardia.


 


Segundo a prefeitura, estas pessoas não atendiam aos requisitos para a concessão do documento. Elas fazem parte de um grupo de 1.118 brasileiros que tiveram seus documentos cancelados. Os processos de cidadania foram abertos entre julho de 2015 e julho de 2017.


 


No Sul de Minas, a maioria das cidadanias canceladas é de moradores de Poços de Caldas – 14 no total. Também foram invalidados documentos de pessoas em Perdões, Guaxupé, Cambuí, São Sebastião do Paraíso, Pouso Alegre, Areado, Lavras e Poço Fundo.


PATROCINADORES

 


 


O esquema


 


Segundo a imprensa italiana, o esquema tinha participação de funcionários da prefeitura e de um casal de brasileiros, que faziam o repasse de propina para agentes públicos atestarem a residência de brasileiros que não atendiam o tempo mínimo de permanência necessário para obter a documentação.


 


Há ainda casos de brasileiros que sequer foram à cidade e que, mesmo assim, obtiveram o atestado de residência.


 


Residir na Itália é um requisito fundamental para que um brasileiro possa reconhecer a cidadania no país. Normalmente, o processo feito na Itália é mais rápido do que se feito no Brasil, devido às longas filas de espera dos Consulados para o reconhecimento da cidadania.


Matéria extraída do G1



Pessoas estão em grupo de 1.118 brasileiros que perderam a cidadania após descoberta de um esquema.



Pelo menos 32 moradores do Sul de Minas tiveram suas cidadanias italianas canceladas no mês de fevereiro. O anúncio dos cancelamentos aconteceu após a descoberta de um esquema de pagamento de propina a agentes públicos da prefeitura de Ospedaletto Lodigiano, na Lombardia.



PATROCINADORES

Segundo a prefeitura, estas pessoas não atendiam aos requisitos para a concessão do documento. Elas fazem parte de um grupo de 1.118 brasileiros que tiveram seus documentos cancelados. Os processos de cidadania foram abertos entre julho de 2015 e julho de 2017.



No Sul de Minas, a maioria das cidadanias canceladas é de moradores de Poços de Caldas – 14 no total. Também foram invalidados documentos de pessoas em Perdões, Guaxupé, Cambuí, São Sebastião do Paraíso, Pouso Alegre, Areado, Lavras e Poço Fundo.



O esquema



PATROCINADORES

Segundo a imprensa italiana, o esquema tinha participação de funcionários da prefeitura e de um casal de brasileiros, que faziam o repasse de propina para agentes públicos atestarem a residência de brasileiros que não atendiam o tempo mínimo de permanência necessário para obter a documentação.



Há ainda casos de brasileiros que sequer foram à cidade e que, mesmo assim, obtiveram o atestado de residência.



Residir na Itália é um requisito fundamental para que um brasileiro possa reconhecer a cidadania no país. Normalmente, o processo feito na Itália é mais rápido do que se feito no Brasil, devido às longas filas de espera dos Consulados para o reconhecimento da cidadania.



Veja Também