news:

Notícias

Rússia reage contra britânicos: expulsão de diplomatas é "hostil"

Publicado por TV Minas em 15/03/2018

foto_principal.jpg

Embaixador russo acusa Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre caso de ex-espião.

 

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou que a decisão do Reino Unido de expulsar diplomatas do país é “bruta” e “hostil”. Em comunicado nesta quarta-feira, a chancelaria russa não anunciou medidas retaliatórias, mas disse que “nossa resposta não demorará muito a chegar”.

 

Horas antes, a premiê britânica Theresa May anunciou a expulsão de 23 diplomatas russos, em resposta ao envenenamento na Inglaterra de um ex-espião russo e de sua filha. A chancelaria russa qualificou a declaração de May como “uma provocação bruta sem precedentes, que mina as fundações de um diálogo normal entre Estados”.

 

“Nós consideramos categoricamente inaceitável e sem valor que o governo britânico, em seus objetivos indecorosamente políticos, agrave mais seriamente as relações, anunciando uma série de medidas hostis, incluindo a expulsão de 23 diplomatas russos do país”, afirma a nota russa.

 

O ex-espião russo Sergei Skripal, de 66 anos, foi envenenado junto com a filha, Yulia, de 33, em Salisbury, na Inglaterra. Os dois estão em estado grave, mas estável.

 

 

Reunião na ONU

 

Durante a reunião no Conselho de Segurança da ONU, a Rússia voltou a afirmar que não tem envolvimento com o envenenamento, acusando o Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre o caso.

A última coisa na qual as autoridades do Reino Unido estão interessadas é em encontrar a verdade”, disse o embaixador russo na ONU, Vasyl Nebenzia.

 

A sessão do Conselho de Segurança da ONU foi convocada pelo Reino Unido para informar sobre o envenenamento e pedir apoio da comunidade internacional contra o Kremlin. Na reunião, o Reino Unido acusou a Rússia de estar por trás da “tentativa de assassinato” de Skripal e de sua filha. E também disse que o Kremlin “colocou em risco vidas britânicas”.

 

Na resposta, Nebenzia atacou o Reino Unido e sugeriu que o governo britânico pode ter utilizado o agente químico, identificado como a substânica “Novichok”, de origem russa.

Se o Reino Unido está tão convencido que é o ‘Novichok’, então é porque eles têm amostras (da substância), têm a fórmula e são capazes de produzi-la”, afirmou o diplomata russo.

 

Nebenzia afirmou também que seu país não aceitará nenhum ultimato do Reino Unido, reiterando que as acusações britânicas são uma provocação às vésperas das eleições presidenciais do próximo domingo. “O Reino Unido está usando táticas de guerra de propaganda para influenciar um público não muito educado”, afirmou o diplomata.

 

Em um longo discurso, Nebenzia também fez críticas à embaixadora americana, Nikki Haley, que pouco antes havia afirmado que a Rússia era responsável pelo envenenamento.

 

O diplomata russo ironizou Haley, perguntando se a embaixadora americana era especialista em química, e a criticou por ter ido mais longe do que May nas acusações contra a Rússia.

Embaixador russo acusa Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre caso de ex-espião.


 


O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou que a decisão do Reino Unido de expulsar diplomatas do país é “bruta” e “hostil”. Em comunicado nesta quarta-feira, a chancelaria russa não anunciou medidas retaliatórias, mas disse que “nossa resposta não demorará muito a chegar”.


 


Horas antes, a premiê britânica Theresa May anunciou a expulsão de 23 diplomatas russos, em resposta ao envenenamento na Inglaterra de um ex-espião russo e de sua filha. A chancelaria russa qualificou a declaração de May como “uma provocação bruta sem precedentes, que mina as fundações de um diálogo normal entre Estados”.


 


“Nós consideramos categoricamente inaceitável e sem valor que o governo britânico, em seus objetivos indecorosamente políticos, agrave mais seriamente as relações, anunciando uma série de medidas hostis, incluindo a expulsão de 23 diplomatas russos do país”, afirma a nota russa.


 


O ex-espião russo Sergei Skripal, de 66 anos, foi envenenado junto com a filha, Yulia, de 33, em Salisbury, na Inglaterra. Os dois estão em estado grave, mas estável.


 


 


Reunião na ONU


 


Durante a reunião no Conselho de Segurança da ONU, a Rússia voltou a afirmar que não tem envolvimento com o envenenamento, acusando o Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre o caso.


PATROCINADORES


A última coisa na qual as autoridades do Reino Unido estão interessadas é em encontrar a verdade”, disse o embaixador russo na ONU, Vasyl Nebenzia.


 


A sessão do Conselho de Segurança da ONU foi convocada pelo Reino Unido para informar sobre o envenenamento e pedir apoio da comunidade internacional contra o Kremlin. Na reunião, o Reino Unido acusou a Rússia de estar por trás da “tentativa de assassinato” de Skripal e de sua filha. E também disse que o Kremlin “colocou em risco vidas britânicas”.


 


Na resposta, Nebenzia atacou o Reino Unido e sugeriu que o governo britânico pode ter utilizado o agente químico, identificado como a substânica “Novichok”, de origem russa.



Se o Reino Unido está tão convencido que é o ‘Novichok’, então é porque eles têm amostras (da substância), têm a fórmula e são capazes de produzi-la”, afirmou o diplomata russo.


 


Nebenzia afirmou também que seu país não aceitará nenhum ultimato do Reino Unido, reiterando que as acusações britânicas são uma provocação às vésperas das eleições presidenciais do próximo domingo. “O Reino Unido está usando táticas de guerra de propaganda para influenciar um público não muito educado”, afirmou o diplomata.


 


Em um longo discurso, Nebenzia também fez críticas à embaixadora americana, Nikki Haley, que pouco antes havia afirmado que a Rússia era responsável pelo envenenamento.


 


O diplomata russo ironizou Haley, perguntando se a embaixadora americana era especialista em química, e a criticou por ter ido mais longe do que May nas acusações contra a Rússia.


Embaixador russo acusa Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre caso de ex-espião.



O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou que a decisão do Reino Unido de expulsar diplomatas do país é “bruta” e “hostil”. Em comunicado nesta quarta-feira, a chancelaria russa não anunciou medidas retaliatórias, mas disse que “nossa resposta não demorará muito a chegar”.



Horas antes, a premiê britânica Theresa May anunciou a expulsão de 23 diplomatas russos, em resposta ao envenenamento na Inglaterra de um ex-espião russo e de sua filha. A chancelaria russa qualificou a declaração de May como “uma provocação bruta sem precedentes, que mina as fundações de um diálogo normal entre Estados”.



“Nós consideramos categoricamente inaceitável e sem valor que o governo britânico, em seus objetivos indecorosamente políticos, agrave mais seriamente as relações, anunciando uma série de medidas hostis, incluindo a expulsão de 23 diplomatas russos do país”, afirma a nota russa.



O ex-espião russo Sergei Skripal, de 66 anos, foi envenenado junto com a filha, Yulia, de 33, em Salisbury, na Inglaterra. Os dois estão em estado grave, mas estável.



PATROCINADORES

Reunião na ONU



Durante a reunião no Conselho de Segurança da ONU, a Rússia voltou a afirmar que não tem envolvimento com o envenenamento, acusando o Reino Unido de fazer propaganda em vez de buscar a verdade sobre o caso.





A última coisa na qual as autoridades do Reino Unido estão interessadas é em encontrar a verdade”, disse o embaixador russo na ONU, Vasyl Nebenzia.



A sessão do Conselho de Segurança da ONU foi convocada pelo Reino Unido para informar sobre o envenenamento e pedir apoio da comunidade internacional contra o Kremlin. Na reunião, o Reino Unido acusou a Rússia de estar por trás da “tentativa de assassinato” de Skripal e de sua filha. E também disse que o Kremlin “colocou em risco vidas britânicas”.



PATROCINADORES

Na resposta, Nebenzia atacou o Reino Unido e sugeriu que o governo britânico pode ter utilizado o agente químico, identificado como a substânica “Novichok”, de origem russa.





Se o Reino Unido está tão convencido que é o ‘Novichok’, então é porque eles têm amostras (da substância), têm a fórmula e são capazes de produzi-la”, afirmou o diplomata russo.



Nebenzia afirmou também que seu país não aceitará nenhum ultimato do Reino Unido, reiterando que as acusações britânicas são uma provocação às vésperas das eleições presidenciais do próximo domingo. “O Reino Unido está usando táticas de guerra de propaganda para influenciar um público não muito educado”, afirmou o diplomata.



Em um longo discurso, Nebenzia também fez críticas à embaixadora americana, Nikki Haley, que pouco antes havia afirmado que a Rússia era responsável pelo envenenamento.



O diplomata russo ironizou Haley, perguntando se a embaixadora americana era especialista em química, e a criticou por ter ido mais longe do que May nas acusações contra a Rússia.



Veja Também