news:

Notícias

Ex-militar do Exército é preso em operação contra tráfico de armas

Publicado por TV Minas em 23/03/2018

foto_principal.jpg

Operação Shooter cumpre 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão em Brasília.

 

O ex-militar do Exército Mauro de Souza Ferreira foi preso na manhã desta sexta-feira (23) durante a operação Shooter (atirador, em inglês), que desarticula esquema de tráfico de armas no Distrito Federal. A ação mobilizou 180 policias civis para cumprir 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão.

 

Além dele, segundo a Polícia Civil, também são alvos da operação dois militares ativos, dois ex-militares do Exército e um da reserva da Aeronáutica. Os pedidos de prisão são temporários, ou seja, valem por cinco dias prorrogáveis.

 

Por volta das 9h30, cerca de 10 pessoas haviam sido presas. Entre elas, o ex-militar Mauro de Souza Ferreira, apontado como líder do grupo. Um helicóptero estava sendo usado para dar suporte à operação.

 

As buscas e apreensões estão sendo cumpridas em seis regiões do DF (Cruzeiro, Santa Maria, Jardim Botânico, Guará, Gama) e duas do Entorno (Valparaíso de Goiás e Novo Gama). Entre os alvos estão, também, colecionadores que teriam comprado armas ilegais de traficantes.

 

 

Investigações

 

As investigações começaram há cerca de quatro meses, quando policiais da Coordenação de Combate ao Crime Organizado trabalhavam em outra operação que também envolvia facções.

 

Na ocasião, eles perceberam a movimentação de um grupo para venda de armas de uso restrito e de uso permitido – estas, pistolas 9 mm e espingardas calibre .12, estavam com numeração raspada.

Operação Shooter cumpre 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão em Brasília.


 


O ex-militar do Exército Mauro de Souza Ferreira foi preso na manhã desta sexta-feira (23) durante a operação Shooter (atirador, em inglês), que desarticula esquema de tráfico de armas no Distrito Federal. A ação mobilizou 180 policias civis para cumprir 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão.


 


Além dele, segundo a Polícia Civil, também são alvos da operação dois militares ativos, dois ex-militares do Exército e um da reserva da Aeronáutica. Os pedidos de prisão são temporários, ou seja, valem por cinco dias prorrogáveis.


 


Por volta das 9h30, cerca de 10 pessoas haviam sido presas. Entre elas, o ex-militar Mauro de Souza Ferreira, apontado como líder do grupo. Um helicóptero estava sendo usado para dar suporte à operação.


 


PATROCINADORES

As buscas e apreensões estão sendo cumpridas em seis regiões do DF (Cruzeiro, Santa Maria, Jardim Botânico, Guará, Gama) e duas do Entorno (Valparaíso de Goiás e Novo Gama). Entre os alvos estão, também, colecionadores que teriam comprado armas ilegais de traficantes.


 


 


Investigações


 


As investigações começaram há cerca de quatro meses, quando policiais da Coordenação de Combate ao Crime Organizado trabalhavam em outra operação que também envolvia facções.


 


Na ocasião, eles perceberam a movimentação de um grupo para venda de armas de uso restrito e de uso permitido – estas, pistolas 9 mm e espingardas calibre .12, estavam com numeração raspada.


Operação Shooter cumpre 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão em Brasília.



O ex-militar do Exército Mauro de Souza Ferreira foi preso na manhã desta sexta-feira (23) durante a operação Shooter (atirador, em inglês), que desarticula esquema de tráfico de armas no Distrito Federal. A ação mobilizou 180 policias civis para cumprir 22 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão.



Além dele, segundo a Polícia Civil, também são alvos da operação dois militares ativos, dois ex-militares do Exército e um da reserva da Aeronáutica. Os pedidos de prisão são temporários, ou seja, valem por cinco dias prorrogáveis.



PATROCINADORES

Por volta das 9h30, cerca de 10 pessoas haviam sido presas. Entre elas, o ex-militar Mauro de Souza Ferreira, apontado como líder do grupo. Um helicóptero estava sendo usado para dar suporte à operação.



As buscas e apreensões estão sendo cumpridas em seis regiões do DF (Cruzeiro, Santa Maria, Jardim Botânico, Guará, Gama) e duas do Entorno (Valparaíso de Goiás e Novo Gama). Entre os alvos estão, também, colecionadores que teriam comprado armas ilegais de traficantes.



PATROCINADORES

Investigações



As investigações começaram há cerca de quatro meses, quando policiais da Coordenação de Combate ao Crime Organizado trabalhavam em outra operação que também envolvia facções.



Na ocasião, eles perceberam a movimentação de um grupo para venda de armas de uso restrito e de uso permitido – estas, pistolas 9 mm e espingardas calibre .12, estavam com numeração raspada.



Veja Também