news:

Notícias

Ex-presidente da Catalunha é detido na Alemanha

Publicado por TV Minas em 25/03/2018

foto_principal.jpg

Carles Puigdemont foi detido na fronteira com a Dinamarca, quando voltava de carro de uma viagem que fez à Finlândia.

 

O ex-presidente da Catalunha Carles Puigdemont foi detido, neste domingo (25), pela polícia alemã. De acordo com o jornal espanhol 'El País', ele cruzava de carro a fronteira com a Dinamarca, voltando de uma viagem que fez à Finlândia.

 

Puigdemont é alvo de uma ordem internacional de prisão, expedida na sexta-feira (23), pelo Tribunal Supremo da Espanha. O mandado, de abrangência europeia, mira envolvidos no processo de tentativa de independência da Catalunha que estão foragidos da Justiça.

 

As ordens de prisão já haviam sido enviadas à Interpol e Sirene - o sistema de informação Schengen, além de permanecerem vigentes os mandados de prisão na Espanha contra os mesmos foragidos.

 

Puigdemont saiu da Espanha para um auto-exílio na Bélgica no ano passado, pouco depois de o parlamento catalão fazer uma declaração simbólica de independência da Espanha. Ele chegou à Finlândia na última quinta-feira (22) para se encontrar com parlamentares e comparecer a uma conferência. Após a expedição da ordem de prisão, o ex-líder catalão deixou a Finlândia e se dirigia à Bélgica, onde, segundo aliados, planejava colaborar com as autoridades sobre as tentativas da Espanha de extradição.

 

 

Prisão de separatistas

 

Na sexta-feira, o juiz espanhol da suprema corte Pablo Llarena determinou que 25 políticos separatistas, incluindo Puigdemont, fossem a julgamento por rebelião, apropriação indevida de fundos ou desobedecimento ao Estado.

 

Destes 25, cinco foram presos na própria sexta-feira, antes de seus julgamentos. Entre os presos estavam Jordi Turull, um aliado próximo a Puigdemont que passaria por uma segunda eleição neste sábado para se tornar o próximo presidente regional.

Carles Puigdemont foi detido na fronteira com a Dinamarca, quando voltava de carro de uma viagem que fez à Finlândia.


 


O ex-presidente da Catalunha Carles Puigdemont foi detido, neste domingo (25), pela polícia alemã. De acordo com o jornal espanhol 'El País', ele cruzava de carro a fronteira com a Dinamarca, voltando de uma viagem que fez à Finlândia.


 


Puigdemont é alvo de uma ordem internacional de prisão, expedida na sexta-feira (23), pelo Tribunal Supremo da Espanha. O mandado, de abrangência europeia, mira envolvidos no processo de tentativa de independência da Catalunha que estão foragidos da Justiça.


 


As ordens de prisão já haviam sido enviadas à Interpol e Sirene - o sistema de informação Schengen, além de permanecerem vigentes os mandados de prisão na Espanha contra os mesmos foragidos.


 


PATROCINADORES

Puigdemont saiu da Espanha para um auto-exílio na Bélgica no ano passado, pouco depois de o parlamento catalão fazer uma declaração simbólica de independência da Espanha. Ele chegou à Finlândia na última quinta-feira (22) para se encontrar com parlamentares e comparecer a uma conferência. Após a expedição da ordem de prisão, o ex-líder catalão deixou a Finlândia e se dirigia à Bélgica, onde, segundo aliados, planejava colaborar com as autoridades sobre as tentativas da Espanha de extradição.


 


 


Prisão de separatistas


 


Na sexta-feira, o juiz espanhol da suprema corte Pablo Llarena determinou que 25 políticos separatistas, incluindo Puigdemont, fossem a julgamento por rebelião, apropriação indevida de fundos ou desobedecimento ao Estado.


 


Destes 25, cinco foram presos na própria sexta-feira, antes de seus julgamentos. Entre os presos estavam Jordi Turull, um aliado próximo a Puigdemont que passaria por uma segunda eleição neste sábado para se tornar o próximo presidente regional.


Carles Puigdemont foi detido na fronteira com a Dinamarca, quando voltava de carro de uma viagem que fez à Finlândia.



O ex-presidente da Catalunha Carles Puigdemont foi detido, neste domingo (25), pela polícia alemã. De acordo com o jornal espanhol 'El País', ele cruzava de carro a fronteira com a Dinamarca, voltando de uma viagem que fez à Finlândia.



Puigdemont é alvo de uma ordem internacional de prisão, expedida na sexta-feira (23), pelo Tribunal Supremo da Espanha. O mandado, de abrangência europeia, mira envolvidos no processo de tentativa de independência da Catalunha que estão foragidos da Justiça.



PATROCINADORES

As ordens de prisão já haviam sido enviadas à Interpol e Sirene - o sistema de informação Schengen, além de permanecerem vigentes os mandados de prisão na Espanha contra os mesmos foragidos.



Puigdemont saiu da Espanha para um auto-exílio na Bélgica no ano passado, pouco depois de o parlamento catalão fazer uma declaração simbólica de independência da Espanha. Ele chegou à Finlândia na última quinta-feira (22) para se encontrar com parlamentares e comparecer a uma conferência. Após a expedição da ordem de prisão, o ex-líder catalão deixou a Finlândia e se dirigia à Bélgica, onde, segundo aliados, planejava colaborar com as autoridades sobre as tentativas da Espanha de extradição.



PATROCINADORES

Prisão de separatistas



Na sexta-feira, o juiz espanhol da suprema corte Pablo Llarena determinou que 25 políticos separatistas, incluindo Puigdemont, fossem a julgamento por rebelião, apropriação indevida de fundos ou desobedecimento ao Estado.



Destes 25, cinco foram presos na própria sexta-feira, antes de seus julgamentos. Entre os presos estavam Jordi Turull, um aliado próximo a Puigdemont que passaria por uma segunda eleição neste sábado para se tornar o próximo presidente regional.



Veja Também