news:

Sul de Minas

Governo anuncia abertura de centro socioeducativo no Sul de Minas

Publicado por TV Minas em 28/03/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Após abertura ser adiada seis vezes, Estado diz que unidade deve começar a funcionar em até 60 dias.

 

Governo de Minas Gerais anunciou nesta semana o repasse de R$ 2,2 milhões para colocar o Centro Socioeducativo de Passos em funcionamento. Segundo o Estado, o prazo para o espaço começar a funcionar é de 60 dias.

 

A inauguração do centro já foi adiada seis vezes. Durante esse período, o Ministério Público entrou com uma ação para acelerar a abertura da unidade, que seria a primeira do Sul de Minas e deve abrigar 40 menores quando estiver funcionando.

 

Após ganhar a ação, o Estado passou a ter que pagar R$ 50 mil por dia em que a unidade continuasse fechada. Apesar de ter recorrido, o Governo de Minas Gerais não conseguiu derrubar a liminar.

 

Agora, segundo o Estado, a verba deve ser repassada para o Instituto Jurídico para Efetivação da Cidadania (Ijuci), que vai ser responsável com administrar a Casa do Menor em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).

 

Com isso, o instituto tem 30 para estruturar o imóvel e efetivar os funcionários, de modo que o centro comece a funcionar em até 60 dias.

 

“Poderá acabar e irá diminuir com a impunidade juvenil. A sensação de impunidade juvenil que está presente nas mentes dos adolescentes infratores”, afirma o delegado regional Marcos Pimenta, da Polícia Civil.

 

A abertura da Casa do Menor é tão aguardada porque atualmente o adolescente que é apreendido em Passos não tem para onde ir. Ou ele é liberado ou tem que aguardar uma vaga em um Centro Socioeducativo em Divinópolis ou Belo Horizonte.

 

“De 2011 até o presente momento, os adolescentes infratores estavam presentes em 50% do número dos homicídios em Passos. Já sabendo da lacuna na legislação e dessa ausência de centros socioeducativos, os grandes criminosos estavam utilizando os adolescentes infratores para a prática de crimes contra o patrimônio e crimes contra a vida”, completa o delegado.

Matéria extraída do G1


 


Após abertura ser adiada seis vezes, Estado diz que unidade deve começar a funcionar em até 60 dias.


 


Governo de Minas Gerais anunciou nesta semana o repasse de R$ 2,2 milhões para colocar o Centro Socioeducativo de Passos em funcionamento. Segundo o Estado, o prazo para o espaço começar a funcionar é de 60 dias.


 


A inauguração do centro já foi adiada seis vezes. Durante esse período, o Ministério Público entrou com uma ação para acelerar a abertura da unidade, que seria a primeira do Sul de Minas e deve abrigar 40 menores quando estiver funcionando.


 


Após ganhar a ação, o Estado passou a ter que pagar R$ 50 mil por dia em que a unidade continuasse fechada. Apesar de ter recorrido, o Governo de Minas Gerais não conseguiu derrubar a liminar.


PATROCINADORES

 


Agora, segundo o Estado, a verba deve ser repassada para o Instituto Jurídico para Efetivação da Cidadania (Ijuci), que vai ser responsável com administrar a Casa do Menor em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).


 


Com isso, o instituto tem 30 para estruturar o imóvel e efetivar os funcionários, de modo que o centro comece a funcionar em até 60 dias.


 


“Poderá acabar e irá diminuir com a impunidade juvenil. A sensação de impunidade juvenil que está presente nas mentes dos adolescentes infratores”, afirma o delegado regional Marcos Pimenta, da Polícia Civil.


 


A abertura da Casa do Menor é tão aguardada porque atualmente o adolescente que é apreendido em Passos não tem para onde ir. Ou ele é liberado ou tem que aguardar uma vaga em um Centro Socioeducativo em Divinópolis ou Belo Horizonte.


 


“De 2011 até o presente momento, os adolescentes infratores estavam presentes em 50% do número dos homicídios em Passos. Já sabendo da lacuna na legislação e dessa ausência de centros socioeducativos, os grandes criminosos estavam utilizando os adolescentes infratores para a prática de crimes contra o patrimônio e crimes contra a vida”, completa o delegado.


Matéria extraída do G1



Após abertura ser adiada seis vezes, Estado diz que unidade deve começar a funcionar em até 60 dias.



Governo de Minas Gerais anunciou nesta semana o repasse de R$ 2,2 milhões para colocar o Centro Socioeducativo de Passos em funcionamento. Segundo o Estado, o prazo para o espaço começar a funcionar é de 60 dias.



PATROCINADORES

A inauguração do centro já foi adiada seis vezes. Durante esse período, o Ministério Público entrou com uma ação para acelerar a abertura da unidade, que seria a primeira do Sul de Minas e deve abrigar 40 menores quando estiver funcionando.



Após ganhar a ação, o Estado passou a ter que pagar R$ 50 mil por dia em que a unidade continuasse fechada. Apesar de ter recorrido, o Governo de Minas Gerais não conseguiu derrubar a liminar.



Agora, segundo o Estado, a verba deve ser repassada para o Instituto Jurídico para Efetivação da Cidadania (Ijuci), que vai ser responsável com administrar a Casa do Menor em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).



PATROCINADORES

Com isso, o instituto tem 30 para estruturar o imóvel e efetivar os funcionários, de modo que o centro comece a funcionar em até 60 dias.



“Poderá acabar e irá diminuir com a impunidade juvenil. A sensação de impunidade juvenil que está presente nas mentes dos adolescentes infratores”, afirma o delegado regional Marcos Pimenta, da Polícia Civil.



A abertura da Casa do Menor é tão aguardada porque atualmente o adolescente que é apreendido em Passos não tem para onde ir. Ou ele é liberado ou tem que aguardar uma vaga em um Centro Socioeducativo em Divinópolis ou Belo Horizonte.



“De 2011 até o presente momento, os adolescentes infratores estavam presentes em 50% do número dos homicídios em Passos. Já sabendo da lacuna na legislação e dessa ausência de centros socioeducativos, os grandes criminosos estavam utilizando os adolescentes infratores para a prática de crimes contra o patrimônio e crimes contra a vida”, completa o delegado.



Veja Também