news:

Sul de Minas

Pelo menos 55 pessoas morreram nas rodovias do Sul de Minas em 2018

Publicado por TV Minas em 02/04/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Levantamento do G1 aponta pelo menos 45 acidentes em trechos federais e estaduais. Fernão Dias e BR-265 foram rodovias com mais mortes.

 

Os três primeiros meses de 2018 deixaram pelo menos 55 pessoas mortas em acidentes nas rodovias federais e estaduais do Sul de Minas. O levantamento exclusivo do G1 mostra ao menos 45 acidentes nos trechos da região de 1º de janeiro a 31 de março. Os dados foram obtidos junto às polícias rodoviárias e ao Corpo de Bombeiros.

 

Os números apontam a BR-381, a rodovia Fernão Dias, como a mais violenta da região. O primeiro acidente do ano foi no dia 8, quando uma van com 10 ocupantes, com placas de Duque de Caxias (RJ), capotou após o motorista perder o controle em curva no quilômetro 813, em Careaçu.

 

Todos os passageiros ficaram feridos e foram levados ao hospital. Uma das vítimas morreu após dias internada. Izabel de Matos Fernandes tinha de 52 anos.

 

Outro acidente com 10 feridos e uma morte foi de um ônibus da empresa Novo Horizonte, com 36 passageiros no dia 1º de março. O veículo bateu na traseira de uma carreta no quilômetro 672, em Perdões. O motorista, natural de Oliveira, morreu no local do acidente. A frente do ônibus ficou destruída.

 

 

Acidente entre ônibus e caminhões foi no quilômetro 672 da Fernão Dias em MG.

 

 

Atropelamentos

 

Dos 8 mortos na rodovia Fernão Dias, pelo menos 5 foram atropelados. No primeiro registro, duas pessoas foram atropeladas em trechos diferentes no mesmo dia, em 20 de março.

 

Entre 19 e 22 de março, foram dois atropelamentos de pedestres. No primeiro, um homem não identificado, com idade entre 35 a 40 anos, foi atingido por uma carreta. O acidente foi próximo a uma fábrica de freios em Extrema (MG). O motorista não viu a vítima.

 

No outro registro, um lavrador de 28 anos, morador de uma comunidade rural de Lavras, foi atingido ao atravessar a pista. O motorista do carro contou à polícia que não conseguiu desviar. Segundo os militares, ele ficou no trecho até a chegada da polícia rodoviária. A vítima morreu no local.

 

Além destes 5 atropelamentos na Fernão Dias, pelos menos outros 5 foram registrados na região.

 

 

BR-265

 

A rodovia BR-265, em trechos que incluem as cidades de Lavras, Santana da Vargem, Itumirim e Boa Esperança, foi a segunda mais violenta. Segundo o levantamento do G1, pelo menos 7 pessoas morreram na rodovia federal.

 

O acidente mais grave foi no dia 27 de janeiro, em Lavras, com três mortes. Um dos carros teria invadido a contramão para fazer uma ultrapassagem e acabou batendo de frente com outro carro que seguia no sentido contrário. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, a ultrapassagem é proibida no local.

 

 

Acidente deixa três mortos na BR-265, em Lavras.

 

 

Morreram no acidente Geraldo Canestri Filho, de 66 anos; Maria Esmênia Carvalho Canestri, esposa de Geraldo, de 62 anos e Carlos Alberto de Oliveira, de 51 anos.

 

As outras rodovias com mais mortes registradas no período foram a rodovia estadual MG-050, com quatro mortes, e a BR-491, com o mesmo número.

Matéria extraída do G1


 


Levantamento do G1 aponta pelo menos 45 acidentes em trechos federais e estaduais. Fernão Dias e BR-265 foram rodovias com mais mortes.


 


Os três primeiros meses de 2018 deixaram pelo menos 55 pessoas mortas em acidentes nas rodovias federais e estaduais do Sul de Minas. O levantamento exclusivo do G1 mostra ao menos 45 acidentes nos trechos da região de 1º de janeiro a 31 de março. Os dados foram obtidos junto às polícias rodoviárias e ao Corpo de Bombeiros.


 


Os números apontam a BR-381, a rodovia Fernão Dias, como a mais violenta da região. O primeiro acidente do ano foi no dia 8, quando uma van com 10 ocupantes, com placas de Duque de Caxias (RJ), capotou após o motorista perder o controle em curva no quilômetro 813, em Careaçu.


 


Todos os passageiros ficaram feridos e foram levados ao hospital. Uma das vítimas morreu após dias internada. Izabel de Matos Fernandes tinha de 52 anos.


 


Outro acidente com 10 feridos e uma morte foi de um ônibus da empresa Novo Horizonte, com 36 passageiros no dia 1º de março. O veículo bateu na traseira de uma carreta no quilômetro 672, em Perdões. O motorista, natural de Oliveira, morreu no local do acidente. A frente do ônibus ficou destruída.


 


 



Acidente entre ônibus e caminhões foi no quilômetro 672 da Fernão Dias em MG.


 


 


Atropelamentos


 


Dos 8 mortos na rodovia Fernão Dias, pelo menos 5 foram atropelados. No primeiro registro, duas pessoas foram atropeladas em trechos diferentes no mesmo dia, em 20 de março.


 


PATROCINADORES

Entre 19 e 22 de março, foram dois atropelamentos de pedestres. No primeiro, um homem não identificado, com idade entre 35 a 40 anos, foi atingido por uma carreta. O acidente foi próximo a uma fábrica de freios em Extrema (MG). O motorista não viu a vítima.


 


No outro registro, um lavrador de 28 anos, morador de uma comunidade rural de Lavras, foi atingido ao atravessar a pista. O motorista do carro contou à polícia que não conseguiu desviar. Segundo os militares, ele ficou no trecho até a chegada da polícia rodoviária. A vítima morreu no local.


 


Além destes 5 atropelamentos na Fernão Dias, pelos menos outros 5 foram registrados na região.


 


 


BR-265


 


A rodovia BR-265, em trechos que incluem as cidades de Lavras, Santana da Vargem, Itumirim e Boa Esperança, foi a segunda mais violenta. Segundo o levantamento do G1, pelo menos 7 pessoas morreram na rodovia federal.


 


O acidente mais grave foi no dia 27 de janeiro, em Lavras, com três mortes. Um dos carros teria invadido a contramão para fazer uma ultrapassagem e acabou batendo de frente com outro carro que seguia no sentido contrário. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, a ultrapassagem é proibida no local.


 


 



Acidente deixa três mortos na BR-265, em Lavras.


 


 


Morreram no acidente Geraldo Canestri Filho, de 66 anos; Maria Esmênia Carvalho Canestri, esposa de Geraldo, de 62 anos e Carlos Alberto de Oliveira, de 51 anos.


 


As outras rodovias com mais mortes registradas no período foram a rodovia estadual MG-050, com quatro mortes, e a BR-491, com o mesmo número.


Matéria extraída do G1



Levantamento do G1 aponta pelo menos 45 acidentes em trechos federais e estaduais. Fernão Dias e BR-265 foram rodovias com mais mortes.



Os três primeiros meses de 2018 deixaram pelo menos 55 pessoas mortas em acidentes nas rodovias federais e estaduais do Sul de Minas. O levantamento exclusivo do G1 mostra ao menos 45 acidentes nos trechos da região de 1º de janeiro a 31 de março. Os dados foram obtidos junto às polícias rodoviárias e ao Corpo de Bombeiros.



Os números apontam a BR-381, a rodovia Fernão Dias, como a mais violenta da região. O primeiro acidente do ano foi no dia 8, quando uma van com 10 ocupantes, com placas de Duque de Caxias (RJ), capotou após o motorista perder o controle em curva no quilômetro 813, em Careaçu.



Todos os passageiros ficaram feridos e foram levados ao hospital. Uma das vítimas morreu após dias internada. Izabel de Matos Fernandes tinha de 52 anos.



Outro acidente com 10 feridos e uma morte foi de um ônibus da empresa Novo Horizonte, com 36 passageiros no dia 1º de março. O veículo bateu na traseira de uma carreta no quilômetro 672, em Perdões. O motorista, natural de Oliveira, morreu no local do acidente. A frente do ônibus ficou destruída.





PATROCINADORES

Acidente entre ônibus e caminhões foi no quilômetro 672 da Fernão Dias em MG.



Atropelamentos



Dos 8 mortos na rodovia Fernão Dias, pelo menos 5 foram atropelados. No primeiro registro, duas pessoas foram atropeladas em trechos diferentes no mesmo dia, em 20 de março.



Entre 19 e 22 de março, foram dois atropelamentos de pedestres. No primeiro, um homem não identificado, com idade entre 35 a 40 anos, foi atingido por uma carreta. O acidente foi próximo a uma fábrica de freios em Extrema (MG). O motorista não viu a vítima.



No outro registro, um lavrador de 28 anos, morador de uma comunidade rural de Lavras, foi atingido ao atravessar a pista. O motorista do carro contou à polícia que não conseguiu desviar. Segundo os militares, ele ficou no trecho até a chegada da polícia rodoviária. A vítima morreu no local.



Além destes 5 atropelamentos na Fernão Dias, pelos menos outros 5 foram registrados na região.



PATROCINADORES

BR-265



A rodovia BR-265, em trechos que incluem as cidades de Lavras, Santana da Vargem, Itumirim e Boa Esperança, foi a segunda mais violenta. Segundo o levantamento do G1, pelo menos 7 pessoas morreram na rodovia federal.



O acidente mais grave foi no dia 27 de janeiro, em Lavras, com três mortes. Um dos carros teria invadido a contramão para fazer uma ultrapassagem e acabou batendo de frente com outro carro que seguia no sentido contrário. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, a ultrapassagem é proibida no local.





Acidente deixa três mortos na BR-265, em Lavras.



Morreram no acidente Geraldo Canestri Filho, de 66 anos; Maria Esmênia Carvalho Canestri, esposa de Geraldo, de 62 anos e Carlos Alberto de Oliveira, de 51 anos.



As outras rodovias com mais mortes registradas no período foram a rodovia estadual MG-050, com quatro mortes, e a BR-491, com o mesmo número.



Veja Também