news:

Sul de Minas

Livro reúne dados sobre características geográficas do Sul de Minas

Publicado por TV Minas em 06/04/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.

 

A Universidade Federal de Alfenas fez um levantamento inédito sobre as características geográficas do Sul de Minas. Todas as informações foram publicadas em um livro. A obra, escrita por vários professores, traz dados coletados durante 10 anos no Sul de Minas.

 

Um dos assuntos tratados no livro é a chamada ruralidade dentro das cidades, característica comum dos municípios da região, que conseguem preservar a essência do campo.

 

"Do ponto de vista econômico, muitas cidades têm uma população urbana, mas essa população urbana trabalha no campo, então a população economicamente ativa desses municípios, agrícola, às vezes é maior do que a população rural, porque a ruralidade também está presente na cidade, então seria essa definição em linhas gerais", disse o professor de geografia humana da Unifal, Flamarion Dutra Alves.

 

O livro "Dinâmicas Geográficas no Sul de Minas Gerais" foi lançado pela Universidade Federal de Alfenas em comemoração aos 10 anos do curso de geografia. A obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.

 

"Porque a ferrovia acaba impondo um transporte, a linha por ser um transporte linear, ela acaba polarizando o crescimento à margem da ferrovia e estações e como era uma ferrovia para escoar a produção, principalmente cafeeira, ela escoava para esses grandes centros Rio e São Paulo, que era a região onde estavam os portos, então ela acabava não articulando a rede urbana entre essas cidades do Sul de Minas e aí não permitia um desenvolvimento de uma cidade maior aqui dentro", disse o professor de geografia urbana da Unifal, Evânio dos Santos Branquinho.

 

O caminho para o crescimento de uma forma mais equilibrada só veio com a formação de um dos símbolos da região. Conhecido como "Mar de Minas", o Lago de Furnas inundou parte das estradas de ferro. A alternativa foi seguir a tendência de investimento em rodovias, entre elas a Fernão Dias, que até poderia ter ajudado mais no desenvolvimento da região, não fosse a demora para ser duplicada.

 

"Então essa atração, essa acessibilidade, demorou mais para acontecer no Sul de Minas, só recentemente que houve essa atração e por isso esse crescimento mais recente dessas cidades, principalmente na divisa com São Paulo", disse Branquinho.

 

 

Livro mostra características geográficas do Sul de Minas.

 

 

Um exemplo do que isso trouxe para as cidades do Sul de Minas foi o que aconteceu em Pouso Alegre. Às margens da rodovia, o número de indústrias na cidade saltou de 4.751 em 2006, para mais de 6 mil em 2013. No mesmo período, a quantidade de pessoas empregadas também aumentou: 70%. Os dados foram coletados em diversos estudos feitos na Unifal ao longo dos anos.

 

"O resultado de um trabalho de 10 anos ao longo do curso, das orientações dos professores das mais diferentes áreas e a comemoração dos 10 anos, a ideia foi essa de juntar essas pesquisas", disse a organizadora do livro, Ana Rute do Vale.

Matéria extraída do G1


 


Obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.


 


A Universidade Federal de Alfenas fez um levantamento inédito sobre as características geográficas do Sul de Minas. Todas as informações foram publicadas em um livro. A obra, escrita por vários professores, traz dados coletados durante 10 anos no Sul de Minas.


 


Um dos assuntos tratados no livro é a chamada ruralidade dentro das cidades, característica comum dos municípios da região, que conseguem preservar a essência do campo.


 


"Do ponto de vista econômico, muitas cidades têm uma população urbana, mas essa população urbana trabalha no campo, então a população economicamente ativa desses municípios, agrícola, às vezes é maior do que a população rural, porque a ruralidade também está presente na cidade, então seria essa definição em linhas gerais", disse o professor de geografia humana da Unifal, Flamarion Dutra Alves.


 


O livro "Dinâmicas Geográficas no Sul de Minas Gerais" foi lançado pela Universidade Federal de Alfenas em comemoração aos 10 anos do curso de geografia. A obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.


 


"Porque a ferrovia acaba impondo um transporte, a linha por ser um transporte linear, ela acaba polarizando o crescimento à margem da ferrovia e estações e como era uma ferrovia para escoar a produção, principalmente cafeeira, ela escoava para esses grandes centros Rio e São Paulo, que era a região onde estavam os portos, então ela acabava não articulando a rede urbana entre essas cidades do Sul de Minas e aí não permitia um desenvolvimento de uma cidade maior aqui dentro", disse o professor de geografia urbana da Unifal, Evânio dos Santos Branquinho.


PATROCINADORES

 


O caminho para o crescimento de uma forma mais equilibrada só veio com a formação de um dos símbolos da região. Conhecido como "Mar de Minas", o Lago de Furnas inundou parte das estradas de ferro. A alternativa foi seguir a tendência de investimento em rodovias, entre elas a Fernão Dias, que até poderia ter ajudado mais no desenvolvimento da região, não fosse a demora para ser duplicada.


 


"Então essa atração, essa acessibilidade, demorou mais para acontecer no Sul de Minas, só recentemente que houve essa atração e por isso esse crescimento mais recente dessas cidades, principalmente na divisa com São Paulo", disse Branquinho.


 


 



Livro mostra características geográficas do Sul de Minas.


 


 


Um exemplo do que isso trouxe para as cidades do Sul de Minas foi o que aconteceu em Pouso Alegre. Às margens da rodovia, o número de indústrias na cidade saltou de 4.751 em 2006, para mais de 6 mil em 2013. No mesmo período, a quantidade de pessoas empregadas também aumentou: 70%. Os dados foram coletados em diversos estudos feitos na Unifal ao longo dos anos.


 


"O resultado de um trabalho de 10 anos ao longo do curso, das orientações dos professores das mais diferentes áreas e a comemoração dos 10 anos, a ideia foi essa de juntar essas pesquisas", disse a organizadora do livro, Ana Rute do Vale.


Matéria extraída do G1



Obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.



A Universidade Federal de Alfenas fez um levantamento inédito sobre as características geográficas do Sul de Minas. Todas as informações foram publicadas em um livro. A obra, escrita por vários professores, traz dados coletados durante 10 anos no Sul de Minas.



Um dos assuntos tratados no livro é a chamada ruralidade dentro das cidades, característica comum dos municípios da região, que conseguem preservar a essência do campo.



PATROCINADORES

"Do ponto de vista econômico, muitas cidades têm uma população urbana, mas essa população urbana trabalha no campo, então a população economicamente ativa desses municípios, agrícola, às vezes é maior do que a população rural, porque a ruralidade também está presente na cidade, então seria essa definição em linhas gerais", disse o professor de geografia humana da Unifal, Flamarion Dutra Alves.



O livro "Dinâmicas Geográficas no Sul de Minas Gerais" foi lançado pela Universidade Federal de Alfenas em comemoração aos 10 anos do curso de geografia. A obra, escrita por vários professores, explica, por exemplo, o motivo da região não ter nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes.



"Porque a ferrovia acaba impondo um transporte, a linha por ser um transporte linear, ela acaba polarizando o crescimento à margem da ferrovia e estações e como era uma ferrovia para escoar a produção, principalmente cafeeira, ela escoava para esses grandes centros Rio e São Paulo, que era a região onde estavam os portos, então ela acabava não articulando a rede urbana entre essas cidades do Sul de Minas e aí não permitia um desenvolvimento de uma cidade maior aqui dentro", disse o professor de geografia urbana da Unifal, Evânio dos Santos Branquinho.



O caminho para o crescimento de uma forma mais equilibrada só veio com a formação de um dos símbolos da região. Conhecido como "Mar de Minas", o Lago de Furnas inundou parte das estradas de ferro. A alternativa foi seguir a tendência de investimento em rodovias, entre elas a Fernão Dias, que até poderia ter ajudado mais no desenvolvimento da região, não fosse a demora para ser duplicada.



PATROCINADORES

"Então essa atração, essa acessibilidade, demorou mais para acontecer no Sul de Minas, só recentemente que houve essa atração e por isso esse crescimento mais recente dessas cidades, principalmente na divisa com São Paulo", disse Branquinho.





Livro mostra características geográficas do Sul de Minas.



Um exemplo do que isso trouxe para as cidades do Sul de Minas foi o que aconteceu em Pouso Alegre. Às margens da rodovia, o número de indústrias na cidade saltou de 4.751 em 2006, para mais de 6 mil em 2013. No mesmo período, a quantidade de pessoas empregadas também aumentou: 70%. Os dados foram coletados em diversos estudos feitos na Unifal ao longo dos anos.



"O resultado de um trabalho de 10 anos ao longo do curso, das orientações dos professores das mais diferentes áreas e a comemoração dos 10 anos, a ideia foi essa de juntar essas pesquisas", disse a organizadora do livro, Ana Rute do Vale.



Veja Também