news:

Notícias

Líder do Irã faz apelo por união de países muçulmanos contra os EUA

Publicado por TV Minas em 26/04/2018

foto_principal.jpg

Aiatolá Ali Khamenei afirma que Teerã nunca cederá à "intimidação" dos americanos, segundo a televisão estatal iraniana.

 

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um apelo às nações muçulmanas para que se unam contra os Estados Unidos, afirmando que Teerã nunca cederá à “intimidação” dos americanos, informou a televisão estatal iraniana nesta quinta-feira.

 

“A nação iraniana resistiu com sucesso às tentativas de intimidação dos Estados Unidos e de outras potências arrogantes e continuaremos a resistir. Todas as nações muçulmanas devem permanecer unidas contra a América e outros inimigos”, disse Khamenei.

 

A principal autoridade do Irã criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por ter dito na terça-feira que alguns países do Oriente Médio “não durariam uma semana” sem a proteção americana.

 

“Tais observações são humilhantes para os muçulmanos. Infelizmente, há guerra em nossa região entre os países muçulmanos. Os governos atrasados ​​de alguns países muçulmanos estão lutando com outros países”, afirma Khamenei. O Irã e a Arábia Saudita travam há muito tempo uma disputa intensa na região, competindo pela supremacia regional do Iraque à Síria e do Líbano ao Iêmen.

 

Trump ameaçou deixar o acordo internacional firmado com o Irã em 2015 para controlar o programa nuclear do país muçulmano. O presidente francês, Emmanuel Macron, foi pessoalmente a Washington na segunda-feira para convencer o líder americano a não abandonar o pacto, defendendo que termos adicionais pudessem ser criados para resolver possíveis questões pendentes.

Aiatolá Ali Khamenei afirma que Teerã nunca cederá à "intimidação" dos americanos, segundo a televisão estatal iraniana.


 


O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um apelo às nações muçulmanas para que se unam contra os Estados Unidos, afirmando que Teerã nunca cederá à “intimidação” dos americanos, informou a televisão estatal iraniana nesta quinta-feira.


 


“A nação iraniana resistiu com sucesso às tentativas de intimidação dos Estados Unidos e de outras potências arrogantes e continuaremos a resistir. Todas as nações muçulmanas devem permanecer unidas contra a América e outros inimigos”, disse Khamenei.


PATROCINADORES

 


A principal autoridade do Irã criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por ter dito na terça-feira que alguns países do Oriente Médio “não durariam uma semana” sem a proteção americana.


 


“Tais observações são humilhantes para os muçulmanos. Infelizmente, há guerra em nossa região entre os países muçulmanos. Os governos atrasados ​​de alguns países muçulmanos estão lutando com outros países”, afirma Khamenei. O Irã e a Arábia Saudita travam há muito tempo uma disputa intensa na região, competindo pela supremacia regional do Iraque à Síria e do Líbano ao Iêmen.


 


Trump ameaçou deixar o acordo internacional firmado com o Irã em 2015 para controlar o programa nuclear do país muçulmano. O presidente francês, Emmanuel Macron, foi pessoalmente a Washington na segunda-feira para convencer o líder americano a não abandonar o pacto, defendendo que termos adicionais pudessem ser criados para resolver possíveis questões pendentes.


Aiatolá Ali Khamenei afirma que Teerã nunca cederá à "intimidação" dos americanos, segundo a televisão estatal iraniana.



O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um apelo às nações muçulmanas para que se unam contra os Estados Unidos, afirmando que Teerã nunca cederá à “intimidação” dos americanos, informou a televisão estatal iraniana nesta quinta-feira.



“A nação iraniana resistiu com sucesso às tentativas de intimidação dos Estados Unidos e de outras potências arrogantes e continuaremos a resistir. Todas as nações muçulmanas devem permanecer unidas contra a América e outros inimigos”, disse Khamenei.



PATROCINADORES

A principal autoridade do Irã criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por ter dito na terça-feira que alguns países do Oriente Médio “não durariam uma semana” sem a proteção americana.



“Tais observações são humilhantes para os muçulmanos. Infelizmente, há guerra em nossa região entre os países muçulmanos. Os governos atrasados ​​de alguns países muçulmanos estão lutando com outros países”, afirma Khamenei. O Irã e a Arábia Saudita travam há muito tempo uma disputa intensa na região, competindo pela supremacia regional do Iraque à Síria e do Líbano ao Iêmen.



Trump ameaçou deixar o acordo internacional firmado com o Irã em 2015 para controlar o programa nuclear do país muçulmano. O presidente francês, Emmanuel Macron, foi pessoalmente a Washington na segunda-feira para convencer o líder americano a não abandonar o pacto, defendendo que termos adicionais pudessem ser criados para resolver possíveis questões pendentes.



Veja Também