news:

Notícias

Adolescente é estuprada e queimada viva na Índia

Publicado por TV Minas em 05/05/2018

foto_principal.jpeg

Um dia depois da violência sexual, homens voltaram à casa da jovem para matá-la.

 

Dois homens queimaram uma adolescente viva em sua casa no leste da Índia, um dia depois de estuprá-la, informou neste sábado a polícia, em um novo caso de violência sexual no país.

 

A jovem de 16 anos foi raptada de sua casa quando sua família estava fora, em um casamento, e foi estuprada pelos homens na quinta-feira em um parque florestal do estado de Jharkhand, segundo a polícia local.

 

A família denunciou o crime ao Conselho local, que ordenou que os acusados pagassem uma indenização de 50 mil rúpias (750 dólares).

 

O Conselho local, uma entidade formada pelos membros mais velhos da comunidade, geralmente resolve disputas, evitando assim o sistema judiciário indiano lento e caro.

 

Segundo a polícia, esta decisão irritou os homens, que espancaram os pais da jovem antes de atearem fogo nela, indicou à AFP um funcionário da polícia local, Ashok Ram. “Os dois homens fugiram. Uma investigação sobre o caso foi aberta”, informou.

 

A Índia reforçou suas leis para os crimes de agressão sexual em 2013, depois de um estupro coletivo em Nova Déli. Mas a violência sexual é comum no país, com 11 mil casos de estupros infantis registrados em 2015.

 

Em 2016, foram registrados cerca de 40.000 casos de estupro na Índia, mas estima-se que muitos mais não foram denunciados porque na patriarcal sociedade indiana as vítimas de crimes sexuais também sofrem de um estigma.

Um dia depois da violência sexual, homens voltaram à casa da jovem para matá-la.


 


Dois homens queimaram uma adolescente viva em sua casa no leste da Índia, um dia depois de estuprá-la, informou neste sábado a polícia, em um novo caso de violência sexual no país.


 


A jovem de 16 anos foi raptada de sua casa quando sua família estava fora, em um casamento, e foi estuprada pelos homens na quinta-feira em um parque florestal do estado de Jharkhand, segundo a polícia local.


 


A família denunciou o crime ao Conselho local, que ordenou que os acusados pagassem uma indenização de 50 mil rúpias (750 dólares).


PATROCINADORES

 


O Conselho local, uma entidade formada pelos membros mais velhos da comunidade, geralmente resolve disputas, evitando assim o sistema judiciário indiano lento e caro.


 


Segundo a polícia, esta decisão irritou os homens, que espancaram os pais da jovem antes de atearem fogo nela, indicou à AFP um funcionário da polícia local, Ashok Ram. “Os dois homens fugiram. Uma investigação sobre o caso foi aberta”, informou.


 


A Índia reforçou suas leis para os crimes de agressão sexual em 2013, depois de um estupro coletivo em Nova Déli. Mas a violência sexual é comum no país, com 11 mil casos de estupros infantis registrados em 2015.


 


Em 2016, foram registrados cerca de 40.000 casos de estupro na Índia, mas estima-se que muitos mais não foram denunciados porque na patriarcal sociedade indiana as vítimas de crimes sexuais também sofrem de um estigma.


Um dia depois da violência sexual, homens voltaram à casa da jovem para matá-la.



Dois homens queimaram uma adolescente viva em sua casa no leste da Índia, um dia depois de estuprá-la, informou neste sábado a polícia, em um novo caso de violência sexual no país.



A jovem de 16 anos foi raptada de sua casa quando sua família estava fora, em um casamento, e foi estuprada pelos homens na quinta-feira em um parque florestal do estado de Jharkhand, segundo a polícia local.



PATROCINADORES

A família denunciou o crime ao Conselho local, que ordenou que os acusados pagassem uma indenização de 50 mil rúpias (750 dólares).



O Conselho local, uma entidade formada pelos membros mais velhos da comunidade, geralmente resolve disputas, evitando assim o sistema judiciário indiano lento e caro.



PATROCINADORES

Segundo a polícia, esta decisão irritou os homens, que espancaram os pais da jovem antes de atearem fogo nela, indicou à AFP um funcionário da polícia local, Ashok Ram. “Os dois homens fugiram. Uma investigação sobre o caso foi aberta”, informou.



A Índia reforçou suas leis para os crimes de agressão sexual em 2013, depois de um estupro coletivo em Nova Déli. Mas a violência sexual é comum no país, com 11 mil casos de estupros infantis registrados em 2015.



Em 2016, foram registrados cerca de 40.000 casos de estupro na Índia, mas estima-se que muitos mais não foram denunciados porque na patriarcal sociedade indiana as vítimas de crimes sexuais também sofrem de um estigma.



Veja Também