news:

Ciência & Tecnologia

Maior laboratório tecnológico da America Latina será construído em MG

Publicado por TV Minas em 12/05/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Laboratório, que será construído em Itajubá, vai desenvolver tecnologia para empresas do setor elétrico e eletrônico nacionais e estrangeiras.

 

Um laboratório tecnológico para o setor elétrico e eletrônico está sendo construído em Itajubá. O objetivo é desenvolver tecnologia para empresas de todo o país e também da América Latina. O investimento é de cerca de R$ 425 milhões e conta com a ajuda de financiamento do BNDES.

 

O Instituto Senai de Inovação foi projetado para ser o maio centro de desenvolvimento empresarial e de inovação da indústria elétrica e eletrônica. O laboratório é uma parceria da Federação das Indústrias com o governo de Minas Gerais.

 

"A indústria nacional, não só elétrica, mecânica, de eletrônica, precisa de um laboratório como este, mas também as outras indústrias também terão aplicações que poderão fazer neste laboratório", disse o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior.

 

A estrutura já começou a ser construída em Itajubá, em uma área com 210 mil metros quadrados. A previsão do término é para 2020. Os laboratórios vão desenvolver tecnologias no setor de produção de energia elétrica.

 

Uma comitiva com representantes da Fiemg e de indústrias esteve no local. Eles também visitaram uma fábrica que produz helicópteros e também uma outra voltada para o setor de energia elétrica. A indústria fabrica transformadores de energia, que serão utilizados por concessionárias de todo o país. Alguns testes, de tão complexos, são feitos até fora do país. Mas com a chegada do instituto, isso deve mudar. O diretor destacou os ganhos com a tecnologia desenvolvida no Sul de Minas.

 

"Isso vai fazer com que Minas Gerais se posicione como um centro de tecnologia, um centro de inovação, um centro de ensaios, se comparando aos principais países do mundo", disse o diretor financeiro da empresa, André Luiz Gesualdi.

 

Para o prefeito de Itajubá, Rodrigo Rieira, a chegada do laboratório também deverá beneficiar as empresas da cidade.

 

"Esperança muito grande de desenvolvimento pela inovação, porque não existe outro caminho hoje que eu vejo para a indústria, a não ser pela inovação. E pela competitividade que nós estamos tendo com outros países emergentes como a China, Índia e outros, acredito que este produto, que é o novo laboratório de alta tensão, com os investimentos que estão tendo, serão um novo passo para o Brasil e em especial para Itajubá também das empresas que vão gravitar em torno desse laboratório", disse o prefeito.

Matéria extraída do G1


 


Laboratório, que será construído em Itajubá, vai desenvolver tecnologia para empresas do setor elétrico e eletrônico nacionais e estrangeiras.


 


Um laboratório tecnológico para o setor elétrico e eletrônico está sendo construído em Itajubá. O objetivo é desenvolver tecnologia para empresas de todo o país e também da América Latina. O investimento é de cerca de R$ 425 milhões e conta com a ajuda de financiamento do BNDES.


 


O Instituto Senai de Inovação foi projetado para ser o maio centro de desenvolvimento empresarial e de inovação da indústria elétrica e eletrônica. O laboratório é uma parceria da Federação das Indústrias com o governo de Minas Gerais.


 


"A indústria nacional, não só elétrica, mecânica, de eletrônica, precisa de um laboratório como este, mas também as outras indústrias também terão aplicações que poderão fazer neste laboratório", disse o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior.


PATROCINADORES

 


A estrutura já começou a ser construída em Itajubá, em uma área com 210 mil metros quadrados. A previsão do término é para 2020. Os laboratórios vão desenvolver tecnologias no setor de produção de energia elétrica.


 


Uma comitiva com representantes da Fiemg e de indústrias esteve no local. Eles também visitaram uma fábrica que produz helicópteros e também uma outra voltada para o setor de energia elétrica. A indústria fabrica transformadores de energia, que serão utilizados por concessionárias de todo o país. Alguns testes, de tão complexos, são feitos até fora do país. Mas com a chegada do instituto, isso deve mudar. O diretor destacou os ganhos com a tecnologia desenvolvida no Sul de Minas.


 


"Isso vai fazer com que Minas Gerais se posicione como um centro de tecnologia, um centro de inovação, um centro de ensaios, se comparando aos principais países do mundo", disse o diretor financeiro da empresa, André Luiz Gesualdi.


 


Para o prefeito de Itajubá, Rodrigo Rieira, a chegada do laboratório também deverá beneficiar as empresas da cidade.


 


"Esperança muito grande de desenvolvimento pela inovação, porque não existe outro caminho hoje que eu vejo para a indústria, a não ser pela inovação. E pela competitividade que nós estamos tendo com outros países emergentes como a China, Índia e outros, acredito que este produto, que é o novo laboratório de alta tensão, com os investimentos que estão tendo, serão um novo passo para o Brasil e em especial para Itajubá também das empresas que vão gravitar em torno desse laboratório", disse o prefeito.


Matéria extraída do G1



Laboratório, que será construído em Itajubá, vai desenvolver tecnologia para empresas do setor elétrico e eletrônico nacionais e estrangeiras.



Um laboratório tecnológico para o setor elétrico e eletrônico está sendo construído em Itajubá. O objetivo é desenvolver tecnologia para empresas de todo o país e também da América Latina. O investimento é de cerca de R$ 425 milhões e conta com a ajuda de financiamento do BNDES.



PATROCINADORES

O Instituto Senai de Inovação foi projetado para ser o maio centro de desenvolvimento empresarial e de inovação da indústria elétrica e eletrônica. O laboratório é uma parceria da Federação das Indústrias com o governo de Minas Gerais.



"A indústria nacional, não só elétrica, mecânica, de eletrônica, precisa de um laboratório como este, mas também as outras indústrias também terão aplicações que poderão fazer neste laboratório", disse o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior.



A estrutura já começou a ser construída em Itajubá, em uma área com 210 mil metros quadrados. A previsão do término é para 2020. Os laboratórios vão desenvolver tecnologias no setor de produção de energia elétrica.



PATROCINADORES

Uma comitiva com representantes da Fiemg e de indústrias esteve no local. Eles também visitaram uma fábrica que produz helicópteros e também uma outra voltada para o setor de energia elétrica. A indústria fabrica transformadores de energia, que serão utilizados por concessionárias de todo o país. Alguns testes, de tão complexos, são feitos até fora do país. Mas com a chegada do instituto, isso deve mudar. O diretor destacou os ganhos com a tecnologia desenvolvida no Sul de Minas.



"Isso vai fazer com que Minas Gerais se posicione como um centro de tecnologia, um centro de inovação, um centro de ensaios, se comparando aos principais países do mundo", disse o diretor financeiro da empresa, André Luiz Gesualdi.



Para o prefeito de Itajubá, Rodrigo Rieira, a chegada do laboratório também deverá beneficiar as empresas da cidade.



"Esperança muito grande de desenvolvimento pela inovação, porque não existe outro caminho hoje que eu vejo para a indústria, a não ser pela inovação. E pela competitividade que nós estamos tendo com outros países emergentes como a China, Índia e outros, acredito que este produto, que é o novo laboratório de alta tensão, com os investimentos que estão tendo, serão um novo passo para o Brasil e em especial para Itajubá também das empresas que vão gravitar em torno desse laboratório", disse o prefeito.



Veja Também