news:

Notícias

Vírus da gripe que infectou milhares nos EUA mata uma pessoa em MG

Publicado por TV Minas em 14/05/2018

foto_principal.jpg

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A.

 

O vírus H3N2, o mesmo que provocou a pior temporada de gripe nos Estados Unidos desde 2009, fez a primeira vítima em Minas Gerais. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A. Uma das formas mais eficazes de prevenir a doença é a vacinação. Doses estão disponíveis gratuitamente nas unidades do Sistema  Único de Saúde (SUS) para o público-alvo. 

 

A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocadas pelo Influenza vem aumentando a cada semana. Até esta segunda-feira, foram registrados 53 casos, um aumento de 152% no número de registros do último balanço divulgado pela SES/MG em 24 de abril. Do total, 33 pacientes foram infectados pelo vírus H3N2, cinco por Influenza A (H1N1), 12 por Influenza A não subtipado, e três por Influenza B. 

 

Em Minas Gerais, 26 cidades apresentaram casos confirmados de Influenza neste ano. Belo Horizonte, e Mariana, na Região Central, são os municípios com mais infectados. Na capital mineira, 14 pacientes contraíram o H3N2, um H1N1, e dois foram infectados por Influenza A não subtipado. Mariana teve três casos de H3N2, e um de H1N1.

 

A Influenza é uma doença respiratória que pode levar a morte. Ela é grave, principalmente, quando atinge crianças até cinco anos, gestantes, adultos acima de 60 anos, e portadores de doenças crônicas e que apresentam outras condições clínicas especiais. A infecção pela doença pode causar sintomas que se confundem com outras infecções virais e bacterianas. Ela se manifesta, normalmente, como uma Síndrome Gripal. O paciente pode ter sintomas como, febre, dor de cabeça e musculares, tosse, dor de garganta, e fadiga. Se for associado com dificuldade respiratória, o quadro passa para SRAG. Neste caso, a notificação é compulsória. 

 

 

Dia D

 

A campanha de vacinação contra a gripe continua em Minas Gerais. No último sábado, foi realizado o Dia D de Mobilização Nacional. As unidades básicas de saúde (UBS) ficaram abertas para receber a população. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a cobertura vacinal subiu de 37% para 43% com a ação. O objetivo é vacinar mais de 5 milhões de mineiros durante toda a campanha que vai até o dia 1° de junho.

 

As doses que compõem a campanha de vacinação estão disponíveis pelo SUS para crianças de seis meses e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias); adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; gestantes; puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto); mulheres e homens com 60 anos ou mais; trabalhadores da área de saúde; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais que comprometam a imunidade; e professores de escolas públicas ou privadas. 

 

 

Informação Segura

 

Saiba o que é mito e o que verdade sobre a gripe e a vacina contra a doença.

 

 

Mitos

 

1. É possível pegar gripe pela vacina?

 

Isso não é possível. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.

 

2. Em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?

 

Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.

 

3. A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?

 

A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:

 

  • Lavar e higienizar as mãos com frequência
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa
  • Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca
  • Ter boa alimentação e beber bastante líquido
  • Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe
  • Manter a sua casa bem arejada

 

 

Verdades

 

1. É preciso tomar a vacina todos os anos? 

 

Sim. Isso acontece por dois motivos. Primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses. Segundo, porque a cada ano temos vírus diferentes, que causam diferentes tipos de gripe, e a vacina é produzida a partir dos vírus que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.

 

2. A gripe pode matar?

 

Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.

 

3. Gripe e resfriado são doenças diferentes?

 

Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não evoluir para uma pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A.


 


O vírus H3N2, o mesmo que provocou a pior temporada de gripe nos Estados Unidos desde 2009, fez a primeira vítima em Minas Gerais. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A. Uma das formas mais eficazes de prevenir a doença é a vacinação. Doses estão disponíveis gratuitamente nas unidades do Sistema  Único de Saúde (SUS) para o público-alvo. 


 


A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocadas pelo Influenza vem aumentando a cada semana. Até esta segunda-feira, foram registrados 53 casos, um aumento de 152% no número de registros do último balanço divulgado pela SES/MG em 24 de abril. Do total, 33 pacientes foram infectados pelo vírus H3N2, cinco por Influenza A (H1N1), 12 por Influenza A não subtipado, e três por Influenza B. 


 


Em Minas Gerais, 26 cidades apresentaram casos confirmados de Influenza neste ano. Belo Horizonte, e Mariana, na Região Central, são os municípios com mais infectados. Na capital mineira, 14 pacientes contraíram o H3N2, um H1N1, e dois foram infectados por Influenza A não subtipado. Mariana teve três casos de H3N2, e um de H1N1.


 


A Influenza é uma doença respiratória que pode levar a morte. Ela é grave, principalmente, quando atinge crianças até cinco anos, gestantes, adultos acima de 60 anos, e portadores de doenças crônicas e que apresentam outras condições clínicas especiais. A infecção pela doença pode causar sintomas que se confundem com outras infecções virais e bacterianas. Ela se manifesta, normalmente, como uma Síndrome Gripal. O paciente pode ter sintomas como, febre, dor de cabeça e musculares, tosse, dor de garganta, e fadiga. Se for associado com dificuldade respiratória, o quadro passa para SRAG. Neste caso, a notificação é compulsória. 


 


 


Dia D


 


A campanha de vacinação contra a gripe continua em Minas Gerais. No último sábado, foi realizado o Dia D de Mobilização Nacional. As unidades básicas de saúde (UBS) ficaram abertas para receber a população. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a cobertura vacinal subiu de 37% para 43% com a ação. O objetivo é vacinar mais de 5 milhões de mineiros durante toda a campanha que vai até o dia 1° de junho.


 


As doses que compõem a campanha de vacinação estão disponíveis pelo SUS para crianças de seis meses e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias); adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; gestantes; puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto); mulheres e homens com 60 anos ou mais; trabalhadores da área de saúde; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais que comprometam a imunidade; e professores de escolas públicas ou privadas. 


 


 


Informação Segura


 


Saiba o que é mito e o que verdade sobre a gripe e a vacina contra a doença.


 


 


Mitos


 


1. É possível pegar gripe pela vacina?


PATROCINADORES

 


Isso não é possível. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.


 


2. Em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?


 


Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.


 


3. A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?


 


A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:


 

  • Lavar e higienizar as mãos com frequência
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa
  • Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca
  • Ter boa alimentação e beber bastante líquido
  • Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe
  • Manter a sua casa bem arejada

 


 


Verdades


 


1. É preciso tomar a vacina todos os anos? 


 


Sim. Isso acontece por dois motivos. Primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses. Segundo, porque a cada ano temos vírus diferentes, que causam diferentes tipos de gripe, e a vacina é produzida a partir dos vírus que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.


 


2. A gripe pode matar?


 


Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.


 


3. Gripe e resfriado são doenças diferentes?


 


Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não evoluir para uma pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.


Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A.



O vírus H3N2, o mesmo que provocou a pior temporada de gripe nos Estados Unidos desde 2009, fez a primeira vítima em Minas Gerais. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgados nesta segunda-feira, mostram que duas pessoas perderam a vida em 2018 depois de contraírem o Influenza, sendo um pelo subtipo H3N2 e outro por Influenza A. Uma das formas mais eficazes de prevenir a doença é a vacinação. Doses estão disponíveis gratuitamente nas unidades do Sistema  Único de Saúde (SUS) para o público-alvo. 



A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocadas pelo Influenza vem aumentando a cada semana. Até esta segunda-feira, foram registrados 53 casos, um aumento de 152% no número de registros do último balanço divulgado pela SES/MG em 24 de abril. Do total, 33 pacientes foram infectados pelo vírus H3N2, cinco por Influenza A (H1N1), 12 por Influenza A não subtipado, e três por Influenza B. 



Em Minas Gerais, 26 cidades apresentaram casos confirmados de Influenza neste ano. Belo Horizonte, e Mariana, na Região Central, são os municípios com mais infectados. Na capital mineira, 14 pacientes contraíram o H3N2, um H1N1, e dois foram infectados por Influenza A não subtipado. Mariana teve três casos de H3N2, e um de H1N1.



A Influenza é uma doença respiratória que pode levar a morte. Ela é grave, principalmente, quando atinge crianças até cinco anos, gestantes, adultos acima de 60 anos, e portadores de doenças crônicas e que apresentam outras condições clínicas especiais. A infecção pela doença pode causar sintomas que se confundem com outras infecções virais e bacterianas. Ela se manifesta, normalmente, como uma Síndrome Gripal. O paciente pode ter sintomas como, febre, dor de cabeça e musculares, tosse, dor de garganta, e fadiga. Se for associado com dificuldade respiratória, o quadro passa para SRAG. Neste caso, a notificação é compulsória. 



Dia D



A campanha de vacinação contra a gripe continua em Minas Gerais. No último sábado, foi realizado o Dia D de Mobilização Nacional. As unidades básicas de saúde (UBS) ficaram abertas para receber a população. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a cobertura vacinal subiu de 37% para 43% com a ação. O objetivo é vacinar mais de 5 milhões de mineiros durante toda a campanha que vai até o dia 1° de junho.



As doses que compõem a campanha de vacinação estão disponíveis pelo SUS para crianças de seis meses e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias); adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; gestantes; puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto); mulheres e homens com 60 anos ou mais; trabalhadores da área de saúde; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais que comprometam a imunidade; e professores de escolas públicas ou privadas. 



PATROCINADORES

Informação Segura



Saiba o que é mito e o que verdade sobre a gripe e a vacina contra a doença.



Mitos



1. É possível pegar gripe pela vacina?



Isso não é possível. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.



2. Em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?



Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.



3. A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?



PATROCINADORES

A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:



 

  • Lavar e higienizar as mãos com frequência
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa
  • Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca
  • Ter boa alimentação e beber bastante líquido
  • Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe
  • Manter a sua casa bem arejada


Verdades



1. É preciso tomar a vacina todos os anos? 



Sim. Isso acontece por dois motivos. Primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses. Segundo, porque a cada ano temos vírus diferentes, que causam diferentes tipos de gripe, e a vacina é produzida a partir dos vírus que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.



2. A gripe pode matar?



Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.



3. Gripe e resfriado são doenças diferentes?



Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não evoluir para uma pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.



Veja Também