news:

Entretenimento e Curiosidade

Professor vira herói ao aplicar prova pela janela para aluno atrasado

Publicado por TV Minas em 23/05/2018

599792127.jpg

Direção impediu aluno de entrar por ter se atrasado, mas professor deu um 'jeitinho'.

 

Um vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula para um aluno do lado de fora está dividindo opiniões. O estudante, de 17 anos, havia chegado atrasado ao colégio e, como encontrou o portão de acesso à sala de aula fechado e foi impedido pela direção de entrar, acabou ajudado pelo professor de inglês Hudson Fernandes.

 

O caso aconteceu na Escola Estadual Santos Dumont, na região de Venda Nova, na capital, onde Hudson virou herói para alunos e ex-alunos. Todos elogiaram a “forcinha” dada ao adolescente. No entanto, o professor também virou alvo de críticas de alguns colegas e terá que se explicar à Secretaria de Estado de Educação.

 

No vídeo, o professor Hudson aparece com uma prova na mão, lendo as perguntas em voz alta para o aluno, que está distante alguns metros. O adolescente, que parece ter a matéria na ponta da língua, responde a todas as questões prontamente.

 

No final da prova oral, aluno e professor são aplaudidos por outros estudantes. “Ganhou os pontos”, comenta a pessoa que fez o vídeo. As imagens postadas no perfil do professor no Facebook tinham, até ontem, mais de 48 mil visualizações.

 

Nas redes sociais, a “quebra de protocolo”também foi bastante elogiada. “Parabéns pela atitude”, postou Jefferson James. “Você é ótimo, guerreiro”, escreveu Beatriz Santos. “Se falarem que o Hudson não tem os melhores métodos de ensino, estarão mentindo!”, aplaudiu Genésio Brandão Alves.

 

Um professor que trabalha com Hudson, e que pediu para não ter o nome revelado, considerou a atitude do colega “populista”. “Acredito que sempre deve ser dada oportunidade aos alunos, mas achei desnecessário. Uma atitude populista, pois a escola garante diversos meios para que atividades avaliativas sejam repetidas”, criticou. A escola tem fama de ser bastante rigorosa com horários.

 

A direção da escola informou, por meio de nota da secretaria de Educação, “que qualquer professor tem autonomia para repetir uma avaliação, em momento adequado e acertado entre as partes.”

 

O professor Hudson Fernandes falou com a reportagem do O Tempo. Ele explicou que decidiu aplicar a prova ao aluno porque há um prazo de tolerância aos estudantes e que era o último dia para aquela avaliação. “O aluno ficou do lado de fora olhando eu aplicar o teste oral nos demais alunos. Ele é um ótimo aluno e repetia as frases. E eu o vendo lá fora, perguntei se ele queria fazer o teste. Ele falou que sim. E eu fiz as perguntas para ele daquele local mesmo”, explicou Hudson.

 

 

Vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula.

 

 

O professor disse que não esperava a repercussão do vídeo gravado uma pessoa que estava do lado externo. “Eu me sinto lisonjeado com o carinho manifestado nas redes sociais. O reconhecimento dos alunos é muito grande. Eu sempre me preocupei muito com eles. Faço um trabalho de incentivo, de autoestima. São alunos de escola pública e precisam acreditar que eles também podem lograr êxito”, disse o professor.

 

Hudson tem reunião nesta quarta-feira com a direção e a inspetoria escolar da Santos Dumont para conversarem sobre o episódio e a conduta dele. “A direção esclarece que, de acordo com o regimento escolar da unidade, após o início da aula, o aluno que chegou atrasado deverá aguardar o próximo horário para entrar na sala de aula”, informou a Secretaria de Estado de Educação.

Direção impediu aluno de entrar por ter se atrasado, mas professor deu um 'jeitinho'.


 


Um vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula para um aluno do lado de fora está dividindo opiniões. O estudante, de 17 anos, havia chegado atrasado ao colégio e, como encontrou o portão de acesso à sala de aula fechado e foi impedido pela direção de entrar, acabou ajudado pelo professor de inglês Hudson Fernandes.


 


O caso aconteceu na Escola Estadual Santos Dumont, na região de Venda Nova, na capital, onde Hudson virou herói para alunos e ex-alunos. Todos elogiaram a “forcinha” dada ao adolescente. No entanto, o professor também virou alvo de críticas de alguns colegas e terá que se explicar à Secretaria de Estado de Educação.


 


No vídeo, o professor Hudson aparece com uma prova na mão, lendo as perguntas em voz alta para o aluno, que está distante alguns metros. O adolescente, que parece ter a matéria na ponta da língua, responde a todas as questões prontamente.


 


No final da prova oral, aluno e professor são aplaudidos por outros estudantes. “Ganhou os pontos”, comenta a pessoa que fez o vídeo. As imagens postadas no perfil do professor no Facebook tinham, até ontem, mais de 48 mil visualizações.


 


Nas redes sociais, a “quebra de protocolo”também foi bastante elogiada. “Parabéns pela atitude”, postou Jefferson James. “Você é ótimo, guerreiro”, escreveu Beatriz Santos. “Se falarem que o Hudson não tem os melhores métodos de ensino, estarão mentindo!”, aplaudiu Genésio Brandão Alves.


 


Um professor que trabalha com Hudson, e que pediu para não ter o nome revelado, considerou a atitude do colega “populista”. “Acredito que sempre deve ser dada oportunidade aos alunos, mas achei desnecessário. Uma atitude populista, pois a escola garante diversos meios para que atividades avaliativas sejam repetidas”, criticou. A escola tem fama de ser bastante rigorosa com horários.


PATROCINADORES

 


A direção da escola informou, por meio de nota da secretaria de Educação, “que qualquer professor tem autonomia para repetir uma avaliação, em momento adequado e acertado entre as partes.”


 


O professor Hudson Fernandes falou com a reportagem do O Tempo. Ele explicou que decidiu aplicar a prova ao aluno porque há um prazo de tolerância aos estudantes e que era o último dia para aquela avaliação. “O aluno ficou do lado de fora olhando eu aplicar o teste oral nos demais alunos. Ele é um ótimo aluno e repetia as frases. E eu o vendo lá fora, perguntei se ele queria fazer o teste. Ele falou que sim. E eu fiz as perguntas para ele daquele local mesmo”, explicou Hudson.


 


 



Vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula.


 


 


O professor disse que não esperava a repercussão do vídeo gravado uma pessoa que estava do lado externo. “Eu me sinto lisonjeado com o carinho manifestado nas redes sociais. O reconhecimento dos alunos é muito grande. Eu sempre me preocupei muito com eles. Faço um trabalho de incentivo, de autoestima. São alunos de escola pública e precisam acreditar que eles também podem lograr êxito”, disse o professor.


 


Hudson tem reunião nesta quarta-feira com a direção e a inspetoria escolar da Santos Dumont para conversarem sobre o episódio e a conduta dele. “A direção esclarece que, de acordo com o regimento escolar da unidade, após o início da aula, o aluno que chegou atrasado deverá aguardar o próximo horário para entrar na sala de aula”, informou a Secretaria de Estado de Educação.


Direção impediu aluno de entrar por ter se atrasado, mas professor deu um 'jeitinho'.



Um vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula para um aluno do lado de fora está dividindo opiniões. O estudante, de 17 anos, havia chegado atrasado ao colégio e, como encontrou o portão de acesso à sala de aula fechado e foi impedido pela direção de entrar, acabou ajudado pelo professor de inglês Hudson Fernandes.



O caso aconteceu na Escola Estadual Santos Dumont, na região de Venda Nova, na capital, onde Hudson virou herói para alunos e ex-alunos. Todos elogiaram a “forcinha” dada ao adolescente. No entanto, o professor também virou alvo de críticas de alguns colegas e terá que se explicar à Secretaria de Estado de Educação.



No vídeo, o professor Hudson aparece com uma prova na mão, lendo as perguntas em voz alta para o aluno, que está distante alguns metros. O adolescente, que parece ter a matéria na ponta da língua, responde a todas as questões prontamente.



PATROCINADORES

No final da prova oral, aluno e professor são aplaudidos por outros estudantes. “Ganhou os pontos”, comenta a pessoa que fez o vídeo. As imagens postadas no perfil do professor no Facebook tinham, até ontem, mais de 48 mil visualizações.



Nas redes sociais, a “quebra de protocolo”também foi bastante elogiada. “Parabéns pela atitude”, postou Jefferson James. “Você é ótimo, guerreiro”, escreveu Beatriz Santos. “Se falarem que o Hudson não tem os melhores métodos de ensino, estarão mentindo!”, aplaudiu Genésio Brandão Alves.



Um professor que trabalha com Hudson, e que pediu para não ter o nome revelado, considerou a atitude do colega “populista”. “Acredito que sempre deve ser dada oportunidade aos alunos, mas achei desnecessário. Uma atitude populista, pois a escola garante diversos meios para que atividades avaliativas sejam repetidas”, criticou. A escola tem fama de ser bastante rigorosa com horários.



A direção da escola informou, por meio de nota da secretaria de Educação, “que qualquer professor tem autonomia para repetir uma avaliação, em momento adequado e acertado entre as partes.”



PATROCINADORES

O professor Hudson Fernandes falou com a reportagem do O Tempo. Ele explicou que decidiu aplicar a prova ao aluno porque há um prazo de tolerância aos estudantes e que era o último dia para aquela avaliação. “O aluno ficou do lado de fora olhando eu aplicar o teste oral nos demais alunos. Ele é um ótimo aluno e repetia as frases. E eu o vendo lá fora, perguntei se ele queria fazer o teste. Ele falou que sim. E eu fiz as perguntas para ele daquele local mesmo”, explicou Hudson.





Vídeo que viralizou nas redes sociais com imagens de um professor aplicando uma prova oral da janela da sala de aula.



O professor disse que não esperava a repercussão do vídeo gravado uma pessoa que estava do lado externo. “Eu me sinto lisonjeado com o carinho manifestado nas redes sociais. O reconhecimento dos alunos é muito grande. Eu sempre me preocupei muito com eles. Faço um trabalho de incentivo, de autoestima. São alunos de escola pública e precisam acreditar que eles também podem lograr êxito”, disse o professor.



Hudson tem reunião nesta quarta-feira com a direção e a inspetoria escolar da Santos Dumont para conversarem sobre o episódio e a conduta dele. “A direção esclarece que, de acordo com o regimento escolar da unidade, após o início da aula, o aluno que chegou atrasado deverá aguardar o próximo horário para entrar na sala de aula”, informou a Secretaria de Estado de Educação.



Veja Também