news:

Sul de Minas

Mulheres fazem ‘curso de pedreira’ e assumem obra em Pouso Alegre

Publicado por TV Minas em 13/06/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Em projeto gratuito, oito mulheres aprendem a rotina de trabalho nas obras e ganham nova profissão.

 

A possibilidade de trabalhar em uma nova área, geralmente masculina, levou oito mulheres a um curso gratuito para se tornarem pedreiras em Pouso Alegre. Mesmo em fase de curso, o projeto já é executado em uma obra real, que será a futura sede de uma associação de moradores.

 

O curso de Construção Civil é uma parceria de um projeto federal com empresas privadas da cidade. Entre as novas pedreiras, há mulheres que já trabalham em outras funções como auxiliares de limpeza, babás e autônomas.

 

Algumas viram a vontade de trabalhar como pedreira na família. “Na minha família tem genro, meu pai é pedreiro, então já tá no sangue. Essa oportunidade de fazer o curso de pedreiro foi muito bom, uma coisa super agradável. É um sonho que tô realizando”, conta a auxiliar de limpeza Eunice Silva Santiago.

 

“Eu tava à toa, só fazia pequenas coisinhas em casas. Mas imaginar erguendo uma casa futuramente...”, comemora a autônoma Simony Pereira dos Santos.

 

Para o instrutor do curso, Jairo Rios, são várias as vantagens em trabalhar com o grupo. “As mulheres em uns pontos têm mais facilidade, dedicação, mais empenho”.

 

A obra da futura sede da associação de moradores é para um dos bairros mais populosos de Pouso Alegre, o Cidade Jardim, com cerca de 7 mil pessoas. E todas as mulheres no curso de pedreiras são moradoras.

 

Todo o material da sede foi doado por moradores, mas não será suficiente para finalizar a obra. Agora a equipe espera ajuda para terminar.

 

“Quem puder ajudar com material e aqueles que não podem com material, mas podem com a mão de obra, pode vir que nós estamos aceitando. Tanto homem, quanto mulher”.

 

 

Mulheres trabalham em obra de Pouso Alegre.

Matéria extraída do G1


 


Em projeto gratuito, oito mulheres aprendem a rotina de trabalho nas obras e ganham nova profissão.


 


A possibilidade de trabalhar em uma nova área, geralmente masculina, levou oito mulheres a um curso gratuito para se tornarem pedreiras em Pouso Alegre. Mesmo em fase de curso, o projeto já é executado em uma obra real, que será a futura sede de uma associação de moradores.


 


O curso de Construção Civil é uma parceria de um projeto federal com empresas privadas da cidade. Entre as novas pedreiras, há mulheres que já trabalham em outras funções como auxiliares de limpeza, babás e autônomas.


 


Algumas viram a vontade de trabalhar como pedreira na família. “Na minha família tem genro, meu pai é pedreiro, então já tá no sangue. Essa oportunidade de fazer o curso de pedreiro foi muito bom, uma coisa super agradável. É um sonho que tô realizando”, conta a auxiliar de limpeza Eunice Silva Santiago.


 


“Eu tava à toa, só fazia pequenas coisinhas em casas. Mas imaginar erguendo uma casa futuramente...”, comemora a autônoma Simony Pereira dos Santos.


PATROCINADORES

 


Para o instrutor do curso, Jairo Rios, são várias as vantagens em trabalhar com o grupo. “As mulheres em uns pontos têm mais facilidade, dedicação, mais empenho”.


 


A obra da futura sede da associação de moradores é para um dos bairros mais populosos de Pouso Alegre, o Cidade Jardim, com cerca de 7 mil pessoas. E todas as mulheres no curso de pedreiras são moradoras.


 


Todo o material da sede foi doado por moradores, mas não será suficiente para finalizar a obra. Agora a equipe espera ajuda para terminar.


 


“Quem puder ajudar com material e aqueles que não podem com material, mas podem com a mão de obra, pode vir que nós estamos aceitando. Tanto homem, quanto mulher”.


 


 



Mulheres trabalham em obra de Pouso Alegre.


Matéria extraída do G1



Em projeto gratuito, oito mulheres aprendem a rotina de trabalho nas obras e ganham nova profissão.



A possibilidade de trabalhar em uma nova área, geralmente masculina, levou oito mulheres a um curso gratuito para se tornarem pedreiras em Pouso Alegre. Mesmo em fase de curso, o projeto já é executado em uma obra real, que será a futura sede de uma associação de moradores.



O curso de Construção Civil é uma parceria de um projeto federal com empresas privadas da cidade. Entre as novas pedreiras, há mulheres que já trabalham em outras funções como auxiliares de limpeza, babás e autônomas.



PATROCINADORES

Algumas viram a vontade de trabalhar como pedreira na família. “Na minha família tem genro, meu pai é pedreiro, então já tá no sangue. Essa oportunidade de fazer o curso de pedreiro foi muito bom, uma coisa super agradável. É um sonho que tô realizando”, conta a auxiliar de limpeza Eunice Silva Santiago.



“Eu tava à toa, só fazia pequenas coisinhas em casas. Mas imaginar erguendo uma casa futuramente...”, comemora a autônoma Simony Pereira dos Santos.



Para o instrutor do curso, Jairo Rios, são várias as vantagens em trabalhar com o grupo. “As mulheres em uns pontos têm mais facilidade, dedicação, mais empenho”.



PATROCINADORES

A obra da futura sede da associação de moradores é para um dos bairros mais populosos de Pouso Alegre, o Cidade Jardim, com cerca de 7 mil pessoas. E todas as mulheres no curso de pedreiras são moradoras.



Todo o material da sede foi doado por moradores, mas não será suficiente para finalizar a obra. Agora a equipe espera ajuda para terminar.



“Quem puder ajudar com material e aqueles que não podem com material, mas podem com a mão de obra, pode vir que nós estamos aceitando. Tanto homem, quanto mulher”.





Mulheres trabalham em obra de Pouso Alegre.



Veja Também