news:

Ciência & Tecnologia

Cidade holandesa receberá primeiro bairro com casas “impressas” em 3D

Publicado por TV Minas em 14/06/2018

foto_principal.jpg

Eindhoven receberá casas futuristas do "Projeto Milestone".

 

Morar em uma casa construída por uma impressora 3D em breve não será mais um sonho. A empresa de construção holandesa Van Wijnen revelou o “Projeto Milestone”, o primeiro programa habitacional baseado em empreendimentos “impressos” em 3D, com concreto.

 

Em seu site, a companhia compartilhou imagens de como será o bairro construído para habitação na cidade de Eindhoven, na Holanda. Cinco casas serão feitas separadamente, as primeiras fora do local, mas transportadas para ele. Já a quinta e última, uma das residências mais de um andar, será impressa inteiramente no local.

 

O plano é que elas comecem a ser entregues no início de 2019. Os empreendimentos terão uma aparência distinta de casas comuns, aquelas com paredes retas e um telhado como estamos acostumados.

 

Todas as residências têm um visual meio oval, com o exterior feito inteiramente em concreto e grandes janelas para iluminação. O formato inusitado é uma consequência do que a nova tecnologia de construção permite: uma liberdade na forma aliada à rigidez do concreto. A cor cinza do projeto foi planejada para combinar com o bosque que cerca a área onde as casas ficarão.

 

As casas serão as “pedras” do ambiente, em contraste Esse novo estilo de construção, em tese, será mais rápido, econômico e sustentável do que os métodos tradicionais. Com menos trabalhadores, há menos riscos de acidente. A “impressora” do concreto também é mais precisa no uso dos materiais de construção, o que evita desperdícios, minimiza o impacto ambiental e os gastos da obra.

 

Como a tecnologia ainda não foi adotada em larga escala, não dá para afirmar que essas previsões de sustentabilidade e economia ocorrerão na prática – sem falar na segurança das estruturas impressas. A teoria, no entanto, é bela.

Eindhoven receberá casas futuristas do "Projeto Milestone".


 


Morar em uma casa construída por uma impressora 3D em breve não será mais um sonho. A empresa de construção holandesa Van Wijnen revelou o “Projeto Milestone”, o primeiro programa habitacional baseado em empreendimentos “impressos” em 3D, com concreto.


 


Em seu site, a companhia compartilhou imagens de como será o bairro construído para habitação na cidade de Eindhoven, na Holanda. Cinco casas serão feitas separadamente, as primeiras fora do local, mas transportadas para ele. Já a quinta e última, uma das residências mais de um andar, será impressa inteiramente no local.


 


PATROCINADORES

O plano é que elas comecem a ser entregues no início de 2019. Os empreendimentos terão uma aparência distinta de casas comuns, aquelas com paredes retas e um telhado como estamos acostumados.


 


Todas as residências têm um visual meio oval, com o exterior feito inteiramente em concreto e grandes janelas para iluminação. O formato inusitado é uma consequência do que a nova tecnologia de construção permite: uma liberdade na forma aliada à rigidez do concreto. A cor cinza do projeto foi planejada para combinar com o bosque que cerca a área onde as casas ficarão.


 


As casas serão as “pedras” do ambiente, em contraste Esse novo estilo de construção, em tese, será mais rápido, econômico e sustentável do que os métodos tradicionais. Com menos trabalhadores, há menos riscos de acidente. A “impressora” do concreto também é mais precisa no uso dos materiais de construção, o que evita desperdícios, minimiza o impacto ambiental e os gastos da obra.


 


Como a tecnologia ainda não foi adotada em larga escala, não dá para afirmar que essas previsões de sustentabilidade e economia ocorrerão na prática – sem falar na segurança das estruturas impressas. A teoria, no entanto, é bela.


Eindhoven receberá casas futuristas do "Projeto Milestone".



Morar em uma casa construída por uma impressora 3D em breve não será mais um sonho. A empresa de construção holandesa Van Wijnen revelou o “Projeto Milestone”, o primeiro programa habitacional baseado em empreendimentos “impressos” em 3D, com concreto.



Em seu site, a companhia compartilhou imagens de como será o bairro construído para habitação na cidade de Eindhoven, na Holanda. Cinco casas serão feitas separadamente, as primeiras fora do local, mas transportadas para ele. Já a quinta e última, uma das residências mais de um andar, será impressa inteiramente no local.



PATROCINADORES

O plano é que elas comecem a ser entregues no início de 2019. Os empreendimentos terão uma aparência distinta de casas comuns, aquelas com paredes retas e um telhado como estamos acostumados.



Todas as residências têm um visual meio oval, com o exterior feito inteiramente em concreto e grandes janelas para iluminação. O formato inusitado é uma consequência do que a nova tecnologia de construção permite: uma liberdade na forma aliada à rigidez do concreto. A cor cinza do projeto foi planejada para combinar com o bosque que cerca a área onde as casas ficarão.



As casas serão as “pedras” do ambiente, em contraste Esse novo estilo de construção, em tese, será mais rápido, econômico e sustentável do que os métodos tradicionais. Com menos trabalhadores, há menos riscos de acidente. A “impressora” do concreto também é mais precisa no uso dos materiais de construção, o que evita desperdícios, minimiza o impacto ambiental e os gastos da obra.



Como a tecnologia ainda não foi adotada em larga escala, não dá para afirmar que essas previsões de sustentabilidade e economia ocorrerão na prática – sem falar na segurança das estruturas impressas. A teoria, no entanto, é bela.



Veja Também