news:

Esporte

Dependente de Cristiano Ronaldo, Portugal vence e não convence

Publicado por TV Minas em 20/06/2018

foto_principal.jpg

Pressionado por Marrocos em boa parte do jogo, time de CR7 tem vitória sofrida e lidera Grupo B.

 

Cristiano Ronaldo está disposto a alcançar o topo e sua fome de bola nesta Copa do Mundo da Rússia tem impressionado. Mas levar sua modesta seleção portuguesa longe será mesmo uma tarefa de supercraque. Na sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Marrocos, o melhor jogador do mundo — e da competição, até aqui — foi decisivo, mas sorriu pouco. Afinal, adversários mais qualificados o esperam nas próximas fases.

 

Logo aos quatro minutos, o dono do jogo se impôs. Em cobrança de escanteio ensaiada, Cristiano completou o cruzamento de Cédric. Pênalti, de fora da área, de falta e agora de cabeça: repertório variado do artilheiro da Copa, com quatro gols. Para não parecer solista, seu próximo ato foi uma assistência para Gonçalo Guedes, aos 38, que exigiu ação do goleiro El Kajoui. Apesar de Rui Patrício não praticar nenhuma defesa difícil, os marroquinos construíram jogadas ofensivas num primeiro tempo equilibrado.

 

Depois do intervalo, CR7 teve a chance de triunfar novamente, aos seis minutos, mas mandou a bola na arquibancada, predominantemente marroquina. Os torcedores africanos, aliás, gritavam “Messi” para provocar o português. A vitória lusitana esteve ameaçada aos doze, quando Rui Patrício se esticou para salvar cabeceio de Belhanda. A partir daí, Marrocos dominou a partida, mas não mudou o placar. Restou o choro e a constatação de que em Copa do Mundo é preciso um pouco mais do que vontade. Ter um craque, como Portugal tem Cristiano, ajuda muito.

 

Portugal chegou a quatro pontos no Grupo B e buscará a liderança na próxima segunda-feira, 25 de junho, contra o Irã, às 15h. No mesmo dia e horário, Marrocos, já desclassificado, despede-se do Mundial contra a Espanha.

 

 

Ponto alto

 

Além dos animados marroquinos, muita gente quer ver CR7. A partida igualou o recorde de público do jogo da abertura (Rússia 5 x 0 Arábia Saudita) e da vitória do México sobre a Alemanha (1 a 0). Toda a carga de ingressos (78.011) do estádio Lujniki foi vendida.

 

 

Ponto baixo

 

O técnico Hervé Renard pôde escalar o lateral Dirar, um dos destaques do time, e devolveu Amrabat a sua posição inicial, pela ponta-direita. Trocou o centroavante — apostou em Boutaib —, mas foram o zagueiro Benatia e o meia Ziyach quem mais buscaram o gol. Contra a Espanha, a missão será não voltar para casa sem balançar as redes.

Pressionado por Marrocos em boa parte do jogo, time de CR7 tem vitória sofrida e lidera Grupo B.


 


Cristiano Ronaldo está disposto a alcançar o topo e sua fome de bola nesta Copa do Mundo da Rússia tem impressionado. Mas levar sua modesta seleção portuguesa longe será mesmo uma tarefa de supercraque. Na sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Marrocos, o melhor jogador do mundo — e da competição, até aqui — foi decisivo, mas sorriu pouco. Afinal, adversários mais qualificados o esperam nas próximas fases.


 


Logo aos quatro minutos, o dono do jogo se impôs. Em cobrança de escanteio ensaiada, Cristiano completou o cruzamento de Cédric. Pênalti, de fora da área, de falta e agora de cabeça: repertório variado do artilheiro da Copa, com quatro gols. Para não parecer solista, seu próximo ato foi uma assistência para Gonçalo Guedes, aos 38, que exigiu ação do goleiro El Kajoui. Apesar de Rui Patrício não praticar nenhuma defesa difícil, os marroquinos construíram jogadas ofensivas num primeiro tempo equilibrado.


 


Depois do intervalo, CR7 teve a chance de triunfar novamente, aos seis minutos, mas mandou a bola na arquibancada, predominantemente marroquina. Os torcedores africanos, aliás, gritavam “Messi” para provocar o português. A vitória lusitana esteve ameaçada aos doze, quando Rui Patrício se esticou para salvar cabeceio de Belhanda. A partir daí, Marrocos dominou a partida, mas não mudou o placar. Restou o choro e a constatação de que em Copa do Mundo é preciso um pouco mais do que vontade. Ter um craque, como Portugal tem Cristiano, ajuda muito.


 


Portugal chegou a quatro pontos no Grupo B e buscará a liderança na próxima segunda-feira, 25 de junho, contra o Irã, às 15h. No mesmo dia e horário, Marrocos, já desclassificado, despede-se do Mundial contra a Espanha.


PATROCINADORES

 


 


Ponto alto


 


Além dos animados marroquinos, muita gente quer ver CR7. A partida igualou o recorde de público do jogo da abertura (Rússia 5 x 0 Arábia Saudita) e da vitória do México sobre a Alemanha (1 a 0). Toda a carga de ingressos (78.011) do estádio Lujniki foi vendida.


 


 


Ponto baixo


 


O técnico Hervé Renard pôde escalar o lateral Dirar, um dos destaques do time, e devolveu Amrabat a sua posição inicial, pela ponta-direita. Trocou o centroavante — apostou em Boutaib —, mas foram o zagueiro Benatia e o meia Ziyach quem mais buscaram o gol. Contra a Espanha, a missão será não voltar para casa sem balançar as redes.


Pressionado por Marrocos em boa parte do jogo, time de CR7 tem vitória sofrida e lidera Grupo B.



Cristiano Ronaldo está disposto a alcançar o topo e sua fome de bola nesta Copa do Mundo da Rússia tem impressionado. Mas levar sua modesta seleção portuguesa longe será mesmo uma tarefa de supercraque. Na sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Marrocos, o melhor jogador do mundo — e da competição, até aqui — foi decisivo, mas sorriu pouco. Afinal, adversários mais qualificados o esperam nas próximas fases.



Logo aos quatro minutos, o dono do jogo se impôs. Em cobrança de escanteio ensaiada, Cristiano completou o cruzamento de Cédric. Pênalti, de fora da área, de falta e agora de cabeça: repertório variado do artilheiro da Copa, com quatro gols. Para não parecer solista, seu próximo ato foi uma assistência para Gonçalo Guedes, aos 38, que exigiu ação do goleiro El Kajoui. Apesar de Rui Patrício não praticar nenhuma defesa difícil, os marroquinos construíram jogadas ofensivas num primeiro tempo equilibrado.



PATROCINADORES

Depois do intervalo, CR7 teve a chance de triunfar novamente, aos seis minutos, mas mandou a bola na arquibancada, predominantemente marroquina. Os torcedores africanos, aliás, gritavam “Messi” para provocar o português. A vitória lusitana esteve ameaçada aos doze, quando Rui Patrício se esticou para salvar cabeceio de Belhanda. A partir daí, Marrocos dominou a partida, mas não mudou o placar. Restou o choro e a constatação de que em Copa do Mundo é preciso um pouco mais do que vontade. Ter um craque, como Portugal tem Cristiano, ajuda muito.



Portugal chegou a quatro pontos no Grupo B e buscará a liderança na próxima segunda-feira, 25 de junho, contra o Irã, às 15h. No mesmo dia e horário, Marrocos, já desclassificado, despede-se do Mundial contra a Espanha.



Ponto alto



PATROCINADORES

Além dos animados marroquinos, muita gente quer ver CR7. A partida igualou o recorde de público do jogo da abertura (Rússia 5 x 0 Arábia Saudita) e da vitória do México sobre a Alemanha (1 a 0). Toda a carga de ingressos (78.011) do estádio Lujniki foi vendida.



Ponto baixo



O técnico Hervé Renard pôde escalar o lateral Dirar, um dos destaques do time, e devolveu Amrabat a sua posição inicial, pela ponta-direita. Trocou o centroavante — apostou em Boutaib —, mas foram o zagueiro Benatia e o meia Ziyach quem mais buscaram o gol. Contra a Espanha, a missão será não voltar para casa sem balançar as redes.



Veja Também