news:

Sul de Minas

Maiores cidades do Sul de MG registraram mais de 300 ataques de animais

Publicado por TV Minas em 26/06/2018

foto_principal.png

Matéra extraída do G1

 

Dados da Secretaria de Estado de Saúde mostram altos números em Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre.

 

Números da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais mostram que Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre já registraram pelo menos 321 ataques de animais peçonhentos em 2018. As cidades registraram o aparecimento destes animais, principalmente de cobras, em áreas urbanas e zonas rurais.

 

Alguns casos da região tiveram destaque. Em um deles, em março de 2018, uma cobra cascavel de 80 centímetros apareceu no estacionamento de uma padaria em Varginha. Já no mês de maio, uma cobra jiboia foi encontrada no telhado de uma casa em Guaxupé.

 

 

Veja o número de ataques nas três maiores cidades do Sul de Minas:

 

  • Varginha - 129 ataques
  • Poços de Caldas - 120 ataques
  • Pouso Alegre - 72 ataques

 

Passos também se destaca pelo alto número de ataques em 2018 - foram 90 até junho. Especialistas defendem que o aparecimento cada vez mais comum das cobras pode indicar um desequilíbrio no seu habitat. “Verão não tem mais sol, época de chuva não chove, é calor. Então isso influencia muito na natureza, no habitat não só das serpentes, mas de todos os animais. Então eles saem pra procurar comida, procurar água”, conta o educador ambiental Almir de Lima.

 

As ocorrências na zona rural, para o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabo Verde, onde já houve 28 ataques, são mais comuns com a chegada da época de colheita do café. “O fluxo de pessoas no meio da lavoura é muito grande. E aí são picadas não só de cobras, como também de aranha, taturana e caranguejeira. Este ano foi um ano até atípico. Fiquei surpreso pelo número”, explica o presidente Reginaldo Roberto da Silva.

 

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, os acidentes são monitorados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), através da ficha preenchida pelos profissionais de saúde.

 

 

Soro antiofídico

 

No Sul de Minas, 19 cidades têm o soro antiofídico para aplicação em caso de picadas de cobras e outros animais peçonhentos (Confira a lista completa abaixo). No último ano, algumas unidades de saúde em cidades menores registraram falta do medicamento.

 

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, a falta aconteceu pela redução na produção de soros no país. A solução foi concentrar as doses em cidades maiores, com mais estruturas em hospitais.

 

 

Confira as cidades onde há soro antiofídico:

 

Andradas

 

  • Santa Casa de Misericórdia Rua Capitão Cirilo, 668 - Alto Alegre (35) 3731-1345

 

 

Boa Esperança

 

  • Pronto Atendimento Municipal de Boa Esperança Av São Vicente de Paula, 107 - Alvorada (35) 3851-8102

 

 

Cambuí

 

  • Hospital Ana Moreira Salles Rua Alcino Salomom, 289 - Vila do Colégio (35) 3431-1120

 

 

Cruzília

 

  • Hospital Doutror Cândido Junqueira Rua Coronel Cornélio Maciel, 101 - Centro (35) 3346-1212

 

 

Extrema

 

  • Pronto Socorro Municipal Prefeito Jair Aparecido Olivotti Avenida Nicolau Cesarino, 4000 - Bela Vista (35) 3435-2006

 

 

Itajubá

 

  • Policlínica Amilcar Pellon Rua João Gomes de Lima, s/n - São Vicente (35) 3692 1173

 

 

Lambari

 

  • Hospital São Vicente Rua Bernardo, 112-162 - Centro (35) 3271-1011

 

 

Lavras

 

  • Unidade Regional De Pronto Atendimento Rua Ernesto Matioli, 885 - Santa Efigênia (35) 3821-0009

 

 

Ouro Fino

 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua 13 de Maio, 2054 -Bela Vista (35)3441-9468

 

 

Paraisópolis

 

  • Hospital Frei Caetano Praça Monsenhor Dutra, 211 - Centro (35) 3651-1121

 

 

Passos

 

  • Rede de Frio da Regional Av Comendador Francisco Avelino Maia, 1160 - Canjeranus (35) 3522 7177
  • Unidade Pronto Atendimento Rua Barão de Passos, 1785 - Centro (35) 3522 4214
  • Santa Casa Misericórdia Rua Santa Casa, 164 - Santa Casa (35) 3522-4214

 

 

Poços de Caldas

 

  • Unidade de Pronto Atendimento Praça Bandeira do Sul, s/n - Bairro José Carlos (35) 3697-5361

 

 

Pouso Alegre

 

  • Hospital Samuel Libânio Rua Comendador José Garcia, 777 - Centro (35) 3429-3200
  • Rede de Frio da Regional Avenida Vicente Simões, 984 - Nossa Senhora Aparecida (35) 2102-9647

 

 

São Sebastião do Paraíso

 

  • Santa Casa de Misericódia Praça João Pio Figueiredo Westin, s/n - Mocoquinha (35) 3539 1300

 

 

São Lourenço

 

  • Hospital Fundação Casa de Caridade Rua Ida Mascarenhas Laje, 310 - Centro (35) 3332-4000

 

 

Três Corações

 

  • Hospital São Sebastião Rua Pedro Bonésio, 236 - Centro (35) 3239-3950

 

 

Três Pontas

 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua Barão da Boa Esperança, 484 - Centro (35) 3266-6265

 

 

Varginha

 

  • Fundação Hospitalar do Município de Varginha - Hospital Bom Pastor Rua Pres Tancredo Neves, 500 - Bom Pastor (35) 3690-2800
  • Rede de Frio da Regional Av. Major Venâncio, 100 - Centro (35) 3690-2213

Matéra extraída do G1


 


Dados da Secretaria de Estado de Saúde mostram altos números em Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre.


 


Números da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais mostram que Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre já registraram pelo menos 321 ataques de animais peçonhentos em 2018. As cidades registraram o aparecimento destes animais, principalmente de cobras, em áreas urbanas e zonas rurais.


 


Alguns casos da região tiveram destaque. Em um deles, em março de 2018, uma cobra cascavel de 80 centímetros apareceu no estacionamento de uma padaria em Varginha. Já no mês de maio, uma cobra jiboia foi encontrada no telhado de uma casa em Guaxupé.


 


 


Veja o número de ataques nas três maiores cidades do Sul de Minas:


 

  • Varginha - 129 ataques
  • Poços de Caldas - 120 ataques
  • Pouso Alegre - 72 ataques

 


Passos também se destaca pelo alto número de ataques em 2018 - foram 90 até junho. Especialistas defendem que o aparecimento cada vez mais comum das cobras pode indicar um desequilíbrio no seu habitat. “Verão não tem mais sol, época de chuva não chove, é calor. Então isso influencia muito na natureza, no habitat não só das serpentes, mas de todos os animais. Então eles saem pra procurar comida, procurar água”, conta o educador ambiental Almir de Lima.


 


As ocorrências na zona rural, para o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabo Verde, onde já houve 28 ataques, são mais comuns com a chegada da época de colheita do café. “O fluxo de pessoas no meio da lavoura é muito grande. E aí são picadas não só de cobras, como também de aranha, taturana e caranguejeira. Este ano foi um ano até atípico. Fiquei surpreso pelo número”, explica o presidente Reginaldo Roberto da Silva.


 


Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, os acidentes são monitorados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), através da ficha preenchida pelos profissionais de saúde.


 


 


Soro antiofídico


 


No Sul de Minas, 19 cidades têm o soro antiofídico para aplicação em caso de picadas de cobras e outros animais peçonhentos (Confira a lista completa abaixo). No último ano, algumas unidades de saúde em cidades menores registraram falta do medicamento.


 


Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, a falta aconteceu pela redução na produção de soros no país. A solução foi concentrar as doses em cidades maiores, com mais estruturas em hospitais.


 


 


Confira as cidades onde há soro antiofídico:


 


Andradas


 

  • Santa Casa de Misericórdia Rua Capitão Cirilo, 668 - Alto Alegre (35) 3731-1345

 


 


Boa Esperança


 

  • Pronto Atendimento Municipal de Boa Esperança Av São Vicente de Paula, 107 - Alvorada (35) 3851-8102

 


 


Cambuí


 

  • Hospital Ana Moreira Salles Rua Alcino Salomom, 289 - Vila do Colégio (35) 3431-1120

 


 


Cruzília


 

  • Hospital Doutror Cândido Junqueira Rua Coronel Cornélio Maciel, 101 - Centro (35) 3346-1212

 


 


Extrema


 

  • Pronto Socorro Municipal Prefeito Jair Aparecido Olivotti Avenida Nicolau Cesarino, 4000 - Bela Vista (35) 3435-2006

 


 


Itajubá


PATROCINADORES

 

  • Policlínica Amilcar Pellon Rua João Gomes de Lima, s/n - São Vicente (35) 3692 1173

 


 


Lambari


 

  • Hospital São Vicente Rua Bernardo, 112-162 - Centro (35) 3271-1011

 


 


Lavras


 

  • Unidade Regional De Pronto Atendimento Rua Ernesto Matioli, 885 - Santa Efigênia (35) 3821-0009

 


 


Ouro Fino


 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua 13 de Maio, 2054 -Bela Vista (35)3441-9468

 


 


Paraisópolis


 

  • Hospital Frei Caetano Praça Monsenhor Dutra, 211 - Centro (35) 3651-1121

 


 


Passos


 

  • Rede de Frio da Regional Av Comendador Francisco Avelino Maia, 1160 - Canjeranus (35) 3522 7177
  • Unidade Pronto Atendimento Rua Barão de Passos, 1785 - Centro (35) 3522 4214
  • Santa Casa Misericórdia Rua Santa Casa, 164 - Santa Casa (35) 3522-4214

 


 


Poços de Caldas


 

  • Unidade de Pronto Atendimento Praça Bandeira do Sul, s/n - Bairro José Carlos (35) 3697-5361

 


 


Pouso Alegre


 

  • Hospital Samuel Libânio Rua Comendador José Garcia, 777 - Centro (35) 3429-3200
  • Rede de Frio da Regional Avenida Vicente Simões, 984 - Nossa Senhora Aparecida (35) 2102-9647

 


 


São Sebastião do Paraíso


 

  • Santa Casa de Misericódia Praça João Pio Figueiredo Westin, s/n - Mocoquinha (35) 3539 1300

 


 


São Lourenço


 

  • Hospital Fundação Casa de Caridade Rua Ida Mascarenhas Laje, 310 - Centro (35) 3332-4000

 


 


Três Corações


 

  • Hospital São Sebastião Rua Pedro Bonésio, 236 - Centro (35) 3239-3950

 


 


Três Pontas


 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua Barão da Boa Esperança, 484 - Centro (35) 3266-6265

 


 


Varginha


 

  • Fundação Hospitalar do Município de Varginha - Hospital Bom Pastor Rua Pres Tancredo Neves, 500 - Bom Pastor (35) 3690-2800
  • Rede de Frio da Regional Av. Major Venâncio, 100 - Centro (35) 3690-2213

Matéra extraída do G1



Dados da Secretaria de Estado de Saúde mostram altos números em Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre.



Números da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais mostram que Poços de Caldas, Varginha e Pouso Alegre já registraram pelo menos 321 ataques de animais peçonhentos em 2018. As cidades registraram o aparecimento destes animais, principalmente de cobras, em áreas urbanas e zonas rurais.



Alguns casos da região tiveram destaque. Em um deles, em março de 2018, uma cobra cascavel de 80 centímetros apareceu no estacionamento de uma padaria em Varginha. Já no mês de maio, uma cobra jiboia foi encontrada no telhado de uma casa em Guaxupé.



Veja o número de ataques nas três maiores cidades do Sul de Minas:



 

  • Varginha - 129 ataques
  • Poços de Caldas - 120 ataques
  • Pouso Alegre - 72 ataques


Passos também se destaca pelo alto número de ataques em 2018 - foram 90 até junho. Especialistas defendem que o aparecimento cada vez mais comum das cobras pode indicar um desequilíbrio no seu habitat. “Verão não tem mais sol, época de chuva não chove, é calor. Então isso influencia muito na natureza, no habitat não só das serpentes, mas de todos os animais. Então eles saem pra procurar comida, procurar água”, conta o educador ambiental Almir de Lima.



As ocorrências na zona rural, para o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabo Verde, onde já houve 28 ataques, são mais comuns com a chegada da época de colheita do café. “O fluxo de pessoas no meio da lavoura é muito grande. E aí são picadas não só de cobras, como também de aranha, taturana e caranguejeira. Este ano foi um ano até atípico. Fiquei surpreso pelo número”, explica o presidente Reginaldo Roberto da Silva.



Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, os acidentes são monitorados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), através da ficha preenchida pelos profissionais de saúde.



Soro antiofídico



No Sul de Minas, 19 cidades têm o soro antiofídico para aplicação em caso de picadas de cobras e outros animais peçonhentos (Confira a lista completa abaixo). No último ano, algumas unidades de saúde em cidades menores registraram falta do medicamento.



Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, a falta aconteceu pela redução na produção de soros no país. A solução foi concentrar as doses em cidades maiores, com mais estruturas em hospitais.



Confira as cidades onde há soro antiofídico:



Andradas



 

  • Santa Casa de Misericórdia Rua Capitão Cirilo, 668 - Alto Alegre (35) 3731-1345


PATROCINADORES

Boa Esperança



 

  • Pronto Atendimento Municipal de Boa Esperança Av São Vicente de Paula, 107 - Alvorada (35) 3851-8102


Cambuí



 

  • Hospital Ana Moreira Salles Rua Alcino Salomom, 289 - Vila do Colégio (35) 3431-1120


Cruzília



 

  • Hospital Doutror Cândido Junqueira Rua Coronel Cornélio Maciel, 101 - Centro (35) 3346-1212


Extrema



 

  • Pronto Socorro Municipal Prefeito Jair Aparecido Olivotti Avenida Nicolau Cesarino, 4000 - Bela Vista (35) 3435-2006


Itajubá



 

  • Policlínica Amilcar Pellon Rua João Gomes de Lima, s/n - São Vicente (35) 3692 1173


Lambari



 

  • Hospital São Vicente Rua Bernardo, 112-162 - Centro (35) 3271-1011


Lavras



 

  • Unidade Regional De Pronto Atendimento Rua Ernesto Matioli, 885 - Santa Efigênia (35) 3821-0009


Ouro Fino



 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua 13 de Maio, 2054 -Bela Vista (35)3441-9468


PATROCINADORES

Paraisópolis



 

  • Hospital Frei Caetano Praça Monsenhor Dutra, 211 - Centro (35) 3651-1121


Passos



 

  • Rede de Frio da Regional Av Comendador Francisco Avelino Maia, 1160 - Canjeranus (35) 3522 7177
  • Unidade Pronto Atendimento Rua Barão de Passos, 1785 - Centro (35) 3522 4214
  • Santa Casa Misericórdia Rua Santa Casa, 164 - Santa Casa (35) 3522-4214


Poços de Caldas



 

  • Unidade de Pronto Atendimento Praça Bandeira do Sul, s/n - Bairro José Carlos (35) 3697-5361


Pouso Alegre



 

  • Hospital Samuel Libânio Rua Comendador José Garcia, 777 - Centro (35) 3429-3200
  • Rede de Frio da Regional Avenida Vicente Simões, 984 - Nossa Senhora Aparecida (35) 2102-9647


São Sebastião do Paraíso



 

  • Santa Casa de Misericódia Praça João Pio Figueiredo Westin, s/n - Mocoquinha (35) 3539 1300


São Lourenço



 

  • Hospital Fundação Casa de Caridade Rua Ida Mascarenhas Laje, 310 - Centro (35) 3332-4000


Três Corações



 

  • Hospital São Sebastião Rua Pedro Bonésio, 236 - Centro (35) 3239-3950


Três Pontas



 

  • Pronto Atendimento Municipal Rua Barão da Boa Esperança, 484 - Centro (35) 3266-6265


Varginha



 

  • Fundação Hospitalar do Município de Varginha - Hospital Bom Pastor Rua Pres Tancredo Neves, 500 - Bom Pastor (35) 3690-2800
  • Rede de Frio da Regional Av. Major Venâncio, 100 - Centro (35) 3690-2213


Veja Também