news:

Sul de Minas

Artistas de Pouso Alegre defendem o direito de arte na rua

Publicado por TV Minas em 29/06/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do Terra do Mandu

 

Recentemente, houve três casos em que artistas foram abordados por fiscais de postura e policiais. Em nota, a Superintendência de Cultura afirma que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuarem se apresentando e apoia a arte de rua.

 

A Superintendência Municipal de Cultura de Pouso Alegre se manifestou neta quinta-feira (28) e divulgou nota em defesa da arte de rua. A nota saiu depois que um grupo de artistas criou um movimento para defender o direito de promover atos artísticos nas ruas da cidade. E o movimento dos artistas foi criado depois que um instrumentista foi impedido de continuar tocando numa calçada no centro. Segundo os artistas, foi o terceiro caso recente.

 

Com a hastag arte de rua é legal, o núcleo que reúno artistas independentes tem feito vídeos em pontos diferentes de Pouso Alegre para dizer que o direito está na Constituição. A mobilização teve início porque no último sábado (23) o instrumentista André Busker Neves montou seus equipamentos na calçada em frente ao Theatro Municipal para sua apresentação. Policiais Militares abordaram o músico e pediram para interromper o show de blues. Nessa semana, em um outro ponto da cidade (vídeo) o instrumentista voltou a se apresentar, dessa vez, sem ser incomodado. Ele preferiu não polemizar a situação e apenas mencionou que foi um contratempo.

 

André não mora em Pouso Alegre. Tem amigos na cidade e estava apenas de passagem. Porém, artistas locais não concordaram com os últimos casos e se mobilizam.

 

A atriz e professora no Conservatório de Música, Fernanda Tersi, diz que não buscam culpados. “Queremos soluções e sábado estaremos na praça e vamos continuar em luta na rede até a isso seja real, porque é a terceira vez que acontece isso em oito meses na cidade, duas vezes foi a polícia e uma a [Fiscalização] de Postura. E eu, sinceramente, acredito que a polícia está lotada de criminalidade e violência para combater. Sinceramente acho que não “perseguiria” artistas. Não somos bandidos”.

 

Em nota, a Superintendência de Cultura defende a arte de rua. Afirma ainda que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuar se apresentando.

 

O comunicado do órgão municipal também afirma que “está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento.

 

 

O artista de rua André Busker Neves foi impedido de continuar sua paresentação na Avendia Doutor Lisboa.

 

 

NOTA OFICIAL DA SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

 

Diante do recente caso de impedimento de manifestação musical amplificada na calçada do Teatro Municipal, ocorrida no último sábado, dia 23 de junho de 2018, por ação da Polícia Militar, essa Superintendência Municipal de Cultura explica que não teve envolvimento na ação impeditiva, não sendo acionada formalmente pelas partes e tomando ciência juntamente com a população por meio das redes sociais.

 

Explica ainda que é a favor da manifestação da arte de rua e da diversidade cultural, e que, como ação efetiva, já está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento no Conselho Municipal de Políticas Culturais e Patrimoniais – CPCP-PA na elaboração de suas diretrizes.

 

Tal iniciativa tem como inspiração os municípios brasileiros e europeus onde a arte de rua é uma política de Estado, com a devida regulamentação municipal da legislação federal à realidade do município, por meio de instrumento legal específico que garante os direitos individuais e coletivos de todas as partes envolvidas na livre manifestação artística e cultural nos espaços públicos.

 

Esta Superintendência informa ainda, que está sempre à disposição de todos os profissionais da arte, e conta com a participação e a colaboração na busca de soluções de interesse coletivo, como agora.

 

SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA
PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO ALEGRE-MG

Matéria extraída do Terra do Mandu


 


Recentemente, houve três casos em que artistas foram abordados por fiscais de postura e policiais. Em nota, a Superintendência de Cultura afirma que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuarem se apresentando e apoia a arte de rua.


 


A Superintendência Municipal de Cultura de Pouso Alegre se manifestou neta quinta-feira (28) e divulgou nota em defesa da arte de rua. A nota saiu depois que um grupo de artistas criou um movimento para defender o direito de promover atos artísticos nas ruas da cidade. E o movimento dos artistas foi criado depois que um instrumentista foi impedido de continuar tocando numa calçada no centro. Segundo os artistas, foi o terceiro caso recente.


 


Com a hastag arte de rua é legal, o núcleo que reúno artistas independentes tem feito vídeos em pontos diferentes de Pouso Alegre para dizer que o direito está na Constituição. A mobilização teve início porque no último sábado (23) o instrumentista André Busker Neves montou seus equipamentos na calçada em frente ao Theatro Municipal para sua apresentação. Policiais Militares abordaram o músico e pediram para interromper o show de blues. Nessa semana, em um outro ponto da cidade (vídeo) o instrumentista voltou a se apresentar, dessa vez, sem ser incomodado. Ele preferiu não polemizar a situação e apenas mencionou que foi um contratempo.


 


André não mora em Pouso Alegre. Tem amigos na cidade e estava apenas de passagem. Porém, artistas locais não concordaram com os últimos casos e se mobilizam.


 


A atriz e professora no Conservatório de Música, Fernanda Tersi, diz que não buscam culpados. “Queremos soluções e sábado estaremos na praça e vamos continuar em luta na rede até a isso seja real, porque é a terceira vez que acontece isso em oito meses na cidade, duas vezes foi a polícia e uma a [Fiscalização] de Postura. E eu, sinceramente, acredito que a polícia está lotada de criminalidade e violência para combater. Sinceramente acho que não “perseguiria” artistas. Não somos bandidos”.


 


Em nota, a Superintendência de Cultura defende a arte de rua. Afirma ainda que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuar se apresentando.


 


O comunicado do órgão municipal também afirma que “está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento.


 


PATROCINADORES

 



O artista de rua André Busker Neves foi impedido de continuar sua paresentação na Avendia Doutor Lisboa.


 


 


NOTA OFICIAL DA SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA


 


Diante do recente caso de impedimento de manifestação musical amplificada na calçada do Teatro Municipal, ocorrida no último sábado, dia 23 de junho de 2018, por ação da Polícia Militar, essa Superintendência Municipal de Cultura explica que não teve envolvimento na ação impeditiva, não sendo acionada formalmente pelas partes e tomando ciência juntamente com a população por meio das redes sociais.


 


Explica ainda que é a favor da manifestação da arte de rua e da diversidade cultural, e que, como ação efetiva, já está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento no Conselho Municipal de Políticas Culturais e Patrimoniais – CPCP-PA na elaboração de suas diretrizes.


 


Tal iniciativa tem como inspiração os municípios brasileiros e europeus onde a arte de rua é uma política de Estado, com a devida regulamentação municipal da legislação federal à realidade do município, por meio de instrumento legal específico que garante os direitos individuais e coletivos de todas as partes envolvidas na livre manifestação artística e cultural nos espaços públicos.


 


Esta Superintendência informa ainda, que está sempre à disposição de todos os profissionais da arte, e conta com a participação e a colaboração na busca de soluções de interesse coletivo, como agora.


 


SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA
PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO ALEGRE-MG


Matéria extraída do Terra do Mandu



Recentemente, houve três casos em que artistas foram abordados por fiscais de postura e policiais. Em nota, a Superintendência de Cultura afirma que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuarem se apresentando e apoia a arte de rua.



A Superintendência Municipal de Cultura de Pouso Alegre se manifestou neta quinta-feira (28) e divulgou nota em defesa da arte de rua. A nota saiu depois que um grupo de artistas criou um movimento para defender o direito de promover atos artísticos nas ruas da cidade. E o movimento dos artistas foi criado depois que um instrumentista foi impedido de continuar tocando numa calçada no centro. Segundo os artistas, foi o terceiro caso recente.



Com a hastag arte de rua é legal, o núcleo que reúno artistas independentes tem feito vídeos em pontos diferentes de Pouso Alegre para dizer que o direito está na Constituição. A mobilização teve início porque no último sábado (23) o instrumentista André Busker Neves montou seus equipamentos na calçada em frente ao Theatro Municipal para sua apresentação. Policiais Militares abordaram o músico e pediram para interromper o show de blues. Nessa semana, em um outro ponto da cidade (vídeo) o instrumentista voltou a se apresentar, dessa vez, sem ser incomodado. Ele preferiu não polemizar a situação e apenas mencionou que foi um contratempo.



André não mora em Pouso Alegre. Tem amigos na cidade e estava apenas de passagem. Porém, artistas locais não concordaram com os últimos casos e se mobilizam.



PATROCINADORES

A atriz e professora no Conservatório de Música, Fernanda Tersi, diz que não buscam culpados. “Queremos soluções e sábado estaremos na praça e vamos continuar em luta na rede até a isso seja real, porque é a terceira vez que acontece isso em oito meses na cidade, duas vezes foi a polícia e uma a [Fiscalização] de Postura. E eu, sinceramente, acredito que a polícia está lotada de criminalidade e violência para combater. Sinceramente acho que não “perseguiria” artistas. Não somos bandidos”.



Em nota, a Superintendência de Cultura defende a arte de rua. Afirma ainda que não teve nenhuma participação nos atos que impediram os artistas de continuar se apresentando.



O comunicado do órgão municipal também afirma que “está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento.





O artista de rua André Busker Neves foi impedido de continuar sua paresentação na Avendia Doutor Lisboa.



PATROCINADORES

NOTA OFICIAL DA SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA



Diante do recente caso de impedimento de manifestação musical amplificada na calçada do Teatro Municipal, ocorrida no último sábado, dia 23 de junho de 2018, por ação da Polícia Militar, essa Superintendência Municipal de Cultura explica que não teve envolvimento na ação impeditiva, não sendo acionada formalmente pelas partes e tomando ciência juntamente com a população por meio das redes sociais.



Explica ainda que é a favor da manifestação da arte de rua e da diversidade cultural, e que, como ação efetiva, já está em andamento, por iniciativa desta Superintendência, a criação de uma política cultural de mapeamento e regularização da Arte de Rua no município, com a participação efetiva de artistas de rua e representantes do segmento no Conselho Municipal de Políticas Culturais e Patrimoniais – CPCP-PA na elaboração de suas diretrizes.



Tal iniciativa tem como inspiração os municípios brasileiros e europeus onde a arte de rua é uma política de Estado, com a devida regulamentação municipal da legislação federal à realidade do município, por meio de instrumento legal específico que garante os direitos individuais e coletivos de todas as partes envolvidas na livre manifestação artística e cultural nos espaços públicos.



Esta Superintendência informa ainda, que está sempre à disposição de todos os profissionais da arte, e conta com a participação e a colaboração na busca de soluções de interesse coletivo, como agora.



SUPERINTENDÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA
PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO ALEGRE-MG



Veja Também