news:

Sul de Minas

Lobo resgatado no Sul de Minas, às margens da BR-381, está se recuperando

Publicado por TV Minas em 05/07/2018

foto_principal.jpg

Lobo deverá ser solto em seu habitat natural depois do dia 14, quando termina sua medicação.

 

O lobo guará que foi recolhido pela Polícia Militar do Meio Ambiente e por técnicos da Autopista Fernão Dias no dia 24 do mês passado, às margens da BR-381, no município de Santo Antônio do Amparo, foi levado para Lavras e internado no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Lavras (Ufla), a princípio, com suspeita de atropelamento, porém, foi constatado que o lobo estava era doente.

 

O animal foi encontrado prostrado com um ferimento na pata dianteira e não conseguia andar. No Hospital Veterinário ele passou por uma bateria de exames e constatou-se que o animal tinha uma pequena lesão na pata dianteira. A médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, responsável pelo atendimento do animal, disse que o lobo, apesar do ferimento na pata, não apresentava sinais de atropelamento. Ela acreditava que o animal estivesse doente e o encaminhou para uma série de exames, como Raio X, ultrassonografia, hemograma e tudo que a Universidade dispunha.

 

O lobo é um macho. Ele estava apático, mas se alimentando. Exames de sangue constataram que o animal havia contraído a doença do carrapato (erlichiose). O lobo, segundo contou a médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, estava sem reação, tanto que ele era manuseado pela equipe de veterinários sem nenhum problema.

 

Diagnosticada a doença, deu-se início ao tratamento e nesta quarta-feira, dia 4, Samantha informou que o lobo está se recuperando bem, já não é mais possível lidar com o animal sem sedá-lo, pois ele está agressivo, o que é um bom sinal de recuperação, já que essa é a reação natural e instintiva do animal selvagem, disse a veterinária.

 

O lobo se alimenta basicamente com frutas e quem quiser ajudar na sua recuperação, para que ele volte logo ao seu habitat natural, pode doar manga, mamão, banana e outras frutas. O Hospital Veterinário da Ufla, no setor de animais silvestres, tem, além do lobo, maritacas, garça e outras aves que também se alimentam de frutas e milho. 

 

A veterinária Samantha disse que o lobo deve receber alta depois do dia 14, dia em que termina a medicação que está sendo ministrada, depois disso, ele será entregue à guarda do Instituto Estadual de Floretas (IEF), que deverá soltá-lo em seu habitat natural.

Lobo deverá ser solto em seu habitat natural depois do dia 14, quando termina sua medicação.


 


O lobo guará que foi recolhido pela Polícia Militar do Meio Ambiente e por técnicos da Autopista Fernão Dias no dia 24 do mês passado, às margens da BR-381, no município de Santo Antônio do Amparo, foi levado para Lavras e internado no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Lavras (Ufla), a princípio, com suspeita de atropelamento, porém, foi constatado que o lobo estava era doente.


 


O animal foi encontrado prostrado com um ferimento na pata dianteira e não conseguia andar. No Hospital Veterinário ele passou por uma bateria de exames e constatou-se que o animal tinha uma pequena lesão na pata dianteira. A médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, responsável pelo atendimento do animal, disse que o lobo, apesar do ferimento na pata, não apresentava sinais de atropelamento. Ela acreditava que o animal estivesse doente e o encaminhou para uma série de exames, como Raio X, ultrassonografia, hemograma e tudo que a Universidade dispunha.


 


PATROCINADORES

O lobo é um macho. Ele estava apático, mas se alimentando. Exames de sangue constataram que o animal havia contraído a doença do carrapato (erlichiose). O lobo, segundo contou a médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, estava sem reação, tanto que ele era manuseado pela equipe de veterinários sem nenhum problema.


 


Diagnosticada a doença, deu-se início ao tratamento e nesta quarta-feira, dia 4, Samantha informou que o lobo está se recuperando bem, já não é mais possível lidar com o animal sem sedá-lo, pois ele está agressivo, o que é um bom sinal de recuperação, já que essa é a reação natural e instintiva do animal selvagem, disse a veterinária.


 


O lobo se alimenta basicamente com frutas e quem quiser ajudar na sua recuperação, para que ele volte logo ao seu habitat natural, pode doar manga, mamão, banana e outras frutas. O Hospital Veterinário da Ufla, no setor de animais silvestres, tem, além do lobo, maritacas, garça e outras aves que também se alimentam de frutas e milho. 


 


A veterinária Samantha disse que o lobo deve receber alta depois do dia 14, dia em que termina a medicação que está sendo ministrada, depois disso, ele será entregue à guarda do Instituto Estadual de Floretas (IEF), que deverá soltá-lo em seu habitat natural.


Lobo deverá ser solto em seu habitat natural depois do dia 14, quando termina sua medicação.



O lobo guará que foi recolhido pela Polícia Militar do Meio Ambiente e por técnicos da Autopista Fernão Dias no dia 24 do mês passado, às margens da BR-381, no município de Santo Antônio do Amparo, foi levado para Lavras e internado no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Lavras (Ufla), a princípio, com suspeita de atropelamento, porém, foi constatado que o lobo estava era doente.



O animal foi encontrado prostrado com um ferimento na pata dianteira e não conseguia andar. No Hospital Veterinário ele passou por uma bateria de exames e constatou-se que o animal tinha uma pequena lesão na pata dianteira. A médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, responsável pelo atendimento do animal, disse que o lobo, apesar do ferimento na pata, não apresentava sinais de atropelamento. Ela acreditava que o animal estivesse doente e o encaminhou para uma série de exames, como Raio X, ultrassonografia, hemograma e tudo que a Universidade dispunha.



PATROCINADORES

O lobo é um macho. Ele estava apático, mas se alimentando. Exames de sangue constataram que o animal havia contraído a doença do carrapato (erlichiose). O lobo, segundo contou a médica veterinária Samantha Mesquita Favoretto, estava sem reação, tanto que ele era manuseado pela equipe de veterinários sem nenhum problema.



Diagnosticada a doença, deu-se início ao tratamento e nesta quarta-feira, dia 4, Samantha informou que o lobo está se recuperando bem, já não é mais possível lidar com o animal sem sedá-lo, pois ele está agressivo, o que é um bom sinal de recuperação, já que essa é a reação natural e instintiva do animal selvagem, disse a veterinária.



O lobo se alimenta basicamente com frutas e quem quiser ajudar na sua recuperação, para que ele volte logo ao seu habitat natural, pode doar manga, mamão, banana e outras frutas. O Hospital Veterinário da Ufla, no setor de animais silvestres, tem, além do lobo, maritacas, garça e outras aves que também se alimentam de frutas e milho. 



A veterinária Samantha disse que o lobo deve receber alta depois do dia 14, dia em que termina a medicação que está sendo ministrada, depois disso, ele será entregue à guarda do Instituto Estadual de Floretas (IEF), que deverá soltá-lo em seu habitat natural.



Veja Também