news:

Sul de Minas

Furtos de fios de cobre causam prejuízos de pelo menos R$ 400 mil em MG

Publicado por TV Minas em 14/07/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Em Poços de Caldas moradores ficaram sem água; comerciantes também são vítimas de furto em Lavras e Pouso Alegre.

 

Os constantes furtos de fios de cobre têm causado prejuízos na região. O caso mais recente foi em Poços de Caldas onde mais de 70 mil moradores ficaram sem água no início desta semana e em Lavras e Pouso Alegre, os furtos acontecem nos galpões das industrias. Somados, os prejuízos chegam a, pelo menos, R$ 400 mil.

 

Em Poços de Caldas, na noite de segunda-feira (9), foram roubados fios elétricos da estação de tratamento ETA V, o que deixou parte dos bairros das regiões Central, Oeste e Sul da cidade sem água. O prejuízo foi estimado em quase R$ 100 mil.

 

Os criminoso desligaram a energia da central de capitação e levaram toda a fiação do padrão. A estimativa é que mais de cem quilos de cobre foram levados. As bombas ficaram 17h paradas e deixaram de captar mais de 22 milhões de metros cúbicos de água.

 

Segundo Antônio Roberto Menezes, diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Poços de Caldas (DMAE), o prejuízo foi maior para a população que ficou sem receber água. “Uma ação bastante perigosa até por parte de quem a executou, mas mostrando que a pessoa tinha conhecimento.do que estava fazendo”, observa.

 

Para evitar novos furtos, equipamentos de segurança estão sendo instalados no local. A polícia investiga o caso pra tentar localizar e prender quem furtou e também quem possa ter comprado os fios de cobre.

 

O delegado Gustavo Henrique Manzoli, explica que a pena para quem furta os fios pode chegar a oito anos de reclusão. “Aqueles que adquiriram este material, ainda que a atividade comercial seja considerada irregular exercida em residência, podem responder por receptação qualificada, cuja pena máxima é de oito anos de reclusão”, informa.

 

 

Empresas

 

Também em Poços de Caldas uma empresa que distribui fios e cabos teve prejuízo de mais de R$ 50 mil há pouco mais de dois meses, quando criminosos invadiram um galpão antigo da empresa e levaram bobinas de fio de cobre.

 

Segundo Leonardo de Oliveira Machado, coordenador de compras de uma empresa, os fios de cobre são os mais visados por serem mais caros. “Alguém conhecia e sabia que a vigilância tinha uma brecha e acabou utilizando disso e levando materiais novos que já estavam vendidos aos clientes. Tivemos que recomprar o material”, lamenta.

 

Ainda segundo ele, por essa razão, a própria indústria já tem substituição do uso desse tipo de fiação. “Acaba trocando os cabos de cobre pelos de alumínio. Além de ter uma economia porque o valor é três vezes menor, você acaba tendo uma diminuição do roubo”, completa.

Matéria extraída do G1


 


Em Poços de Caldas moradores ficaram sem água; comerciantes também são vítimas de furto em Lavras e Pouso Alegre.


 


Os constantes furtos de fios de cobre têm causado prejuízos na região. O caso mais recente foi em Poços de Caldas onde mais de 70 mil moradores ficaram sem água no início desta semana e em Lavras e Pouso Alegre, os furtos acontecem nos galpões das industrias. Somados, os prejuízos chegam a, pelo menos, R$ 400 mil.


 


Em Poços de Caldas, na noite de segunda-feira (9), foram roubados fios elétricos da estação de tratamento ETA V, o que deixou parte dos bairros das regiões Central, Oeste e Sul da cidade sem água. O prejuízo foi estimado em quase R$ 100 mil.


 


Os criminoso desligaram a energia da central de capitação e levaram toda a fiação do padrão. A estimativa é que mais de cem quilos de cobre foram levados. As bombas ficaram 17h paradas e deixaram de captar mais de 22 milhões de metros cúbicos de água.


 


Segundo Antônio Roberto Menezes, diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Poços de Caldas (DMAE), o prejuízo foi maior para a população que ficou sem receber água. “Uma ação bastante perigosa até por parte de quem a executou, mas mostrando que a pessoa tinha conhecimento.do que estava fazendo”, observa.


 


PATROCINADORES

Para evitar novos furtos, equipamentos de segurança estão sendo instalados no local. A polícia investiga o caso pra tentar localizar e prender quem furtou e também quem possa ter comprado os fios de cobre.


 


O delegado Gustavo Henrique Manzoli, explica que a pena para quem furta os fios pode chegar a oito anos de reclusão. “Aqueles que adquiriram este material, ainda que a atividade comercial seja considerada irregular exercida em residência, podem responder por receptação qualificada, cuja pena máxima é de oito anos de reclusão”, informa.


 


 


Empresas


 


Também em Poços de Caldas uma empresa que distribui fios e cabos teve prejuízo de mais de R$ 50 mil há pouco mais de dois meses, quando criminosos invadiram um galpão antigo da empresa e levaram bobinas de fio de cobre.


 


Segundo Leonardo de Oliveira Machado, coordenador de compras de uma empresa, os fios de cobre são os mais visados por serem mais caros. “Alguém conhecia e sabia que a vigilância tinha uma brecha e acabou utilizando disso e levando materiais novos que já estavam vendidos aos clientes. Tivemos que recomprar o material”, lamenta.


 


Ainda segundo ele, por essa razão, a própria indústria já tem substituição do uso desse tipo de fiação. “Acaba trocando os cabos de cobre pelos de alumínio. Além de ter uma economia porque o valor é três vezes menor, você acaba tendo uma diminuição do roubo”, completa.


Matéria extraída do G1



Em Poços de Caldas moradores ficaram sem água; comerciantes também são vítimas de furto em Lavras e Pouso Alegre.



Os constantes furtos de fios de cobre têm causado prejuízos na região. O caso mais recente foi em Poços de Caldas onde mais de 70 mil moradores ficaram sem água no início desta semana e em Lavras e Pouso Alegre, os furtos acontecem nos galpões das industrias. Somados, os prejuízos chegam a, pelo menos, R$ 400 mil.



Em Poços de Caldas, na noite de segunda-feira (9), foram roubados fios elétricos da estação de tratamento ETA V, o que deixou parte dos bairros das regiões Central, Oeste e Sul da cidade sem água. O prejuízo foi estimado em quase R$ 100 mil.



PATROCINADORES

Os criminoso desligaram a energia da central de capitação e levaram toda a fiação do padrão. A estimativa é que mais de cem quilos de cobre foram levados. As bombas ficaram 17h paradas e deixaram de captar mais de 22 milhões de metros cúbicos de água.



Segundo Antônio Roberto Menezes, diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Poços de Caldas (DMAE), o prejuízo foi maior para a população que ficou sem receber água. “Uma ação bastante perigosa até por parte de quem a executou, mas mostrando que a pessoa tinha conhecimento.do que estava fazendo”, observa.



Para evitar novos furtos, equipamentos de segurança estão sendo instalados no local. A polícia investiga o caso pra tentar localizar e prender quem furtou e também quem possa ter comprado os fios de cobre.



O delegado Gustavo Henrique Manzoli, explica que a pena para quem furta os fios pode chegar a oito anos de reclusão. “Aqueles que adquiriram este material, ainda que a atividade comercial seja considerada irregular exercida em residência, podem responder por receptação qualificada, cuja pena máxima é de oito anos de reclusão”, informa.



PATROCINADORES

Empresas



Também em Poços de Caldas uma empresa que distribui fios e cabos teve prejuízo de mais de R$ 50 mil há pouco mais de dois meses, quando criminosos invadiram um galpão antigo da empresa e levaram bobinas de fio de cobre.



Segundo Leonardo de Oliveira Machado, coordenador de compras de uma empresa, os fios de cobre são os mais visados por serem mais caros. “Alguém conhecia e sabia que a vigilância tinha uma brecha e acabou utilizando disso e levando materiais novos que já estavam vendidos aos clientes. Tivemos que recomprar o material”, lamenta.



Ainda segundo ele, por essa razão, a própria indústria já tem substituição do uso desse tipo de fiação. “Acaba trocando os cabos de cobre pelos de alumínio. Além de ter uma economia porque o valor é três vezes menor, você acaba tendo uma diminuição do roubo”, completa.



Veja Também