news:

Notícias

Após Copa, Putin faz encontro privado com Trump na Finlândia

Publicado por TV Minas em 16/07/2018

foto_principal.jpg

Presidente americano disse querer estabelecer 'relação extraordinária' com mandatário russo. Conversa privada deve durar por volta de uma hora e meia.

 

Os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, deram início a um encontro em Helsinque, na Finlândia, nesta segunda-feira (16). A conversa dos dois líderes no Salão Gótico do Palácio Presidencial, que começou com atraso, terá como testemunhas apenas seus intérpretes.

 

Antes do início da conversa privada, Putin afirmou diante dos jornalistas que é hora de falar sobre as relações entre Rússia e Estados Unidos, além de questões internacionais.

 

Trump disse esperar conseguir estabelecer uma "relação extraordinária" com o mandatário russo. Para Trump, entender-se bem com a Rússia é "uma boa coisa". Ele ainda elogiou a Copa do Mundo, que terminou neste domingo (15), e o desempenho da seleção russa na competição.

 

O encontro privado deve durar uma hora e meia. Em seguida, os presidentes serão acompanhados por um grupo em um almoço de trabalho no Salão de Espelhos.

 

Enquanto Trump estiver com Putin, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, participa de uma reunião com o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

 

Putin e Trump darão uma entrevista coletiva, prevista inicialmente para as 16h50 locais (10h50 em Brasília), mas não devem divulgar um documento conjunto, como adiantou um porta-voz do Kremlin na última sexta-feira.

 

 

Pauta de discussões

 

Além das sempre conturbadas relações entre EUA e Rússia, outros assuntos devem tornar a pauta ainda mais delicada: os países combatem em lados opostos na Síria, a questão da anexação da Crimeia pela Rússia e a crise diplomática provocada pelo envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido este ano.

 

Trump já afirmou que voltará a questionar Putin sobre a questão das eleições presidenciais americanas em 2016, embora admita que o russo jamais confessaria um possível envolvimento, se fosse o caso. Segundo o Kremlin, o desarmamento nuclear global deve ser o tema-chave da reunião.

 

O presidente russo só chegou a Helsinque nesta manhã, pois no domingo (15) ainda celebrava a final da Copa do Mundo em seu país.

 

Antes do encontro com Putin, Trump se encontrou com o presidente finlandês, Sauli Niinistö. O presidente americano voltou a falar da reunião da Otan, da qual participou em Bruxelas, na semana passada. "A Otan nunca foi tão forte, a Otan nunca esteve tão unida. Foi um pouco complicado no início, mas finalmente surgiu o amor", declarou Trump.

Presidente americano disse querer estabelecer 'relação extraordinária' com mandatário russo. Conversa privada deve durar por volta de uma hora e meia.


 


Os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, deram início a um encontro em Helsinque, na Finlândia, nesta segunda-feira (16). A conversa dos dois líderes no Salão Gótico do Palácio Presidencial, que começou com atraso, terá como testemunhas apenas seus intérpretes.


 


Antes do início da conversa privada, Putin afirmou diante dos jornalistas que é hora de falar sobre as relações entre Rússia e Estados Unidos, além de questões internacionais.


 


Trump disse esperar conseguir estabelecer uma "relação extraordinária" com o mandatário russo. Para Trump, entender-se bem com a Rússia é "uma boa coisa". Ele ainda elogiou a Copa do Mundo, que terminou neste domingo (15), e o desempenho da seleção russa na competição.


 


O encontro privado deve durar uma hora e meia. Em seguida, os presidentes serão acompanhados por um grupo em um almoço de trabalho no Salão de Espelhos.


 


Enquanto Trump estiver com Putin, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, participa de uma reunião com o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.


 


PATROCINADORES

Putin e Trump darão uma entrevista coletiva, prevista inicialmente para as 16h50 locais (10h50 em Brasília), mas não devem divulgar um documento conjunto, como adiantou um porta-voz do Kremlin na última sexta-feira.


 


 


Pauta de discussões


 


Além das sempre conturbadas relações entre EUA e Rússia, outros assuntos devem tornar a pauta ainda mais delicada: os países combatem em lados opostos na Síria, a questão da anexação da Crimeia pela Rússia e a crise diplomática provocada pelo envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido este ano.


 


Trump já afirmou que voltará a questionar Putin sobre a questão das eleições presidenciais americanas em 2016, embora admita que o russo jamais confessaria um possível envolvimento, se fosse o caso. Segundo o Kremlin, o desarmamento nuclear global deve ser o tema-chave da reunião.


 


O presidente russo só chegou a Helsinque nesta manhã, pois no domingo (15) ainda celebrava a final da Copa do Mundo em seu país.


 


Antes do encontro com Putin, Trump se encontrou com o presidente finlandês, Sauli Niinistö. O presidente americano voltou a falar da reunião da Otan, da qual participou em Bruxelas, na semana passada. "A Otan nunca foi tão forte, a Otan nunca esteve tão unida. Foi um pouco complicado no início, mas finalmente surgiu o amor", declarou Trump.


Presidente americano disse querer estabelecer 'relação extraordinária' com mandatário russo. Conversa privada deve durar por volta de uma hora e meia.



Os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, deram início a um encontro em Helsinque, na Finlândia, nesta segunda-feira (16). A conversa dos dois líderes no Salão Gótico do Palácio Presidencial, que começou com atraso, terá como testemunhas apenas seus intérpretes.



Antes do início da conversa privada, Putin afirmou diante dos jornalistas que é hora de falar sobre as relações entre Rússia e Estados Unidos, além de questões internacionais.



Trump disse esperar conseguir estabelecer uma "relação extraordinária" com o mandatário russo. Para Trump, entender-se bem com a Rússia é "uma boa coisa". Ele ainda elogiou a Copa do Mundo, que terminou neste domingo (15), e o desempenho da seleção russa na competição.



PATROCINADORES

O encontro privado deve durar uma hora e meia. Em seguida, os presidentes serão acompanhados por um grupo em um almoço de trabalho no Salão de Espelhos.



Enquanto Trump estiver com Putin, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, participa de uma reunião com o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.



Putin e Trump darão uma entrevista coletiva, prevista inicialmente para as 16h50 locais (10h50 em Brasília), mas não devem divulgar um documento conjunto, como adiantou um porta-voz do Kremlin na última sexta-feira.



Pauta de discussões



PATROCINADORES

Além das sempre conturbadas relações entre EUA e Rússia, outros assuntos devem tornar a pauta ainda mais delicada: os países combatem em lados opostos na Síria, a questão da anexação da Crimeia pela Rússia e a crise diplomática provocada pelo envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido este ano.



Trump já afirmou que voltará a questionar Putin sobre a questão das eleições presidenciais americanas em 2016, embora admita que o russo jamais confessaria um possível envolvimento, se fosse o caso. Segundo o Kremlin, o desarmamento nuclear global deve ser o tema-chave da reunião.



O presidente russo só chegou a Helsinque nesta manhã, pois no domingo (15) ainda celebrava a final da Copa do Mundo em seu país.



Antes do encontro com Putin, Trump se encontrou com o presidente finlandês, Sauli Niinistö. O presidente americano voltou a falar da reunião da Otan, da qual participou em Bruxelas, na semana passada. "A Otan nunca foi tão forte, a Otan nunca esteve tão unida. Foi um pouco complicado no início, mas finalmente surgiu o amor", declarou Trump.



Veja Também