news:

Sul de Minas

Surto de gripe em asilo deixa 35 idosos doentes em cidade sul-mineira

Publicado por TV Minas em 05/08/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Segundo Secretaria de Saúde, cidade foi uma das duas de Minas Gerais que registraram surto da doença.

 

Trinta e cinco idosos de um asilo tiveram a suspeita de gripe em Maria da Fé. A cidade é uma das duas em Minas Gerais que registraram um surto da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. A outra cidade foi Congonhas.

 

Maria da Fé é uma das cidades mais frias do Sul de Minas. Localizado na altitude da Serra da Mantiqueira, o município chega a registrar temperaturas negativas nesta época do ano. E é justamente neste período que ocorre a maior circulação do vírus da gripe. Tanto que só no asilo da cidade, 35 idosos ficaram doentes.

 

"Como aqui o frio judia muito, idoso para frio não dá certo, foi bem complicado pra gente este último mês que passou", disse a enfermeira Ana Flávia do Nascimento.

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em Maria da Fé foram cinco notificações de síndrome gripal aguda, que são os casos mais graves. Foram duas mortes por influenza na cidade, uma de um idoso de 75 anos no mês de junho e de outra idosa, de 81 anos, um mês depois, moradora do asilo.

 

"Na hora que a gente soube do resultado a gente ficou sem chão, mas graças a Deus todo mundo aqui já tomou o medicamento, a grande maioria que teve os sintomas já melhorou", disse a enfermeira.

 

Por causa disso, os cuidados tiveram que ser redobrados no asilo. Ao todo, são 50 idosos, mais os funcionários, em um mesmo ambiente. Todos foram vacinados no início da campanha da gripe pela prefeitura.

 

"Aqui é bem complicado, como é muito grande o tanto de pessoas, às vezes acaba que a gente tem contato com um, com outro e isso vai passando de um para outro também, teve funcionários que tiveram os sintomas, mas graças a Deus agora está tudo controlado", completou Ana Flávia.

 

 

Casos no Sul de Minas

 

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, só no Sul de Minas já são 52 casos confirmados de gripe e 12 mortes neste ano. Pouso Alegre aparece com o maior número de casos: 14 notificações e uma morte. Varginha tem nove casos e nenhuma morte registrada.

 

Em todo o estado, foram confirmados até agora 252 casos de gripe. Isso inclui vários tipos de gripe, como H1N2, H3N2 e a Influenza B. O número de mortes já chega a 64 em Minas Gerais.

 

Em 2017, foram 350 casos e 50 mortes. Ou seja, neste ano o número de mortes já é 28% maior do que o registrado em todo o ano passado. Em 2017, até o fim de julho, tinham sido 30 mortes.

 

Como a campanha de vacinação contra a gripe já terminou, quem não se vacinou deve procurar a dose em clínicas particulares, onde o preço da vacina varia de R$ 80 a R$ 120.

Matéria extraída do G1


 


Segundo Secretaria de Saúde, cidade foi uma das duas de Minas Gerais que registraram surto da doença.


 


Trinta e cinco idosos de um asilo tiveram a suspeita de gripe em Maria da Fé. A cidade é uma das duas em Minas Gerais que registraram um surto da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. A outra cidade foi Congonhas.


 


Maria da Fé é uma das cidades mais frias do Sul de Minas. Localizado na altitude da Serra da Mantiqueira, o município chega a registrar temperaturas negativas nesta época do ano. E é justamente neste período que ocorre a maior circulação do vírus da gripe. Tanto que só no asilo da cidade, 35 idosos ficaram doentes.


 


"Como aqui o frio judia muito, idoso para frio não dá certo, foi bem complicado pra gente este último mês que passou", disse a enfermeira Ana Flávia do Nascimento.


 


De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em Maria da Fé foram cinco notificações de síndrome gripal aguda, que são os casos mais graves. Foram duas mortes por influenza na cidade, uma de um idoso de 75 anos no mês de junho e de outra idosa, de 81 anos, um mês depois, moradora do asilo.


 


"Na hora que a gente soube do resultado a gente ficou sem chão, mas graças a Deus todo mundo aqui já tomou o medicamento, a grande maioria que teve os sintomas já melhorou", disse a enfermeira.


 


PATROCINADORES

Por causa disso, os cuidados tiveram que ser redobrados no asilo. Ao todo, são 50 idosos, mais os funcionários, em um mesmo ambiente. Todos foram vacinados no início da campanha da gripe pela prefeitura.


 


"Aqui é bem complicado, como é muito grande o tanto de pessoas, às vezes acaba que a gente tem contato com um, com outro e isso vai passando de um para outro também, teve funcionários que tiveram os sintomas, mas graças a Deus agora está tudo controlado", completou Ana Flávia.


 


 


Casos no Sul de Minas


 


Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, só no Sul de Minas já são 52 casos confirmados de gripe e 12 mortes neste ano. Pouso Alegre aparece com o maior número de casos: 14 notificações e uma morte. Varginha tem nove casos e nenhuma morte registrada.


 


Em todo o estado, foram confirmados até agora 252 casos de gripe. Isso inclui vários tipos de gripe, como H1N2, H3N2 e a Influenza B. O número de mortes já chega a 64 em Minas Gerais.


 


Em 2017, foram 350 casos e 50 mortes. Ou seja, neste ano o número de mortes já é 28% maior do que o registrado em todo o ano passado. Em 2017, até o fim de julho, tinham sido 30 mortes.


 


Como a campanha de vacinação contra a gripe já terminou, quem não se vacinou deve procurar a dose em clínicas particulares, onde o preço da vacina varia de R$ 80 a R$ 120.


Matéria extraída do G1



Segundo Secretaria de Saúde, cidade foi uma das duas de Minas Gerais que registraram surto da doença.



Trinta e cinco idosos de um asilo tiveram a suspeita de gripe em Maria da Fé. A cidade é uma das duas em Minas Gerais que registraram um surto da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. A outra cidade foi Congonhas.



Maria da Fé é uma das cidades mais frias do Sul de Minas. Localizado na altitude da Serra da Mantiqueira, o município chega a registrar temperaturas negativas nesta época do ano. E é justamente neste período que ocorre a maior circulação do vírus da gripe. Tanto que só no asilo da cidade, 35 idosos ficaram doentes.



"Como aqui o frio judia muito, idoso para frio não dá certo, foi bem complicado pra gente este último mês que passou", disse a enfermeira Ana Flávia do Nascimento.



PATROCINADORES

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em Maria da Fé foram cinco notificações de síndrome gripal aguda, que são os casos mais graves. Foram duas mortes por influenza na cidade, uma de um idoso de 75 anos no mês de junho e de outra idosa, de 81 anos, um mês depois, moradora do asilo.



"Na hora que a gente soube do resultado a gente ficou sem chão, mas graças a Deus todo mundo aqui já tomou o medicamento, a grande maioria que teve os sintomas já melhorou", disse a enfermeira.



Por causa disso, os cuidados tiveram que ser redobrados no asilo. Ao todo, são 50 idosos, mais os funcionários, em um mesmo ambiente. Todos foram vacinados no início da campanha da gripe pela prefeitura.



"Aqui é bem complicado, como é muito grande o tanto de pessoas, às vezes acaba que a gente tem contato com um, com outro e isso vai passando de um para outro também, teve funcionários que tiveram os sintomas, mas graças a Deus agora está tudo controlado", completou Ana Flávia.



PATROCINADORES

Casos no Sul de Minas



Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, só no Sul de Minas já são 52 casos confirmados de gripe e 12 mortes neste ano. Pouso Alegre aparece com o maior número de casos: 14 notificações e uma morte. Varginha tem nove casos e nenhuma morte registrada.



Em todo o estado, foram confirmados até agora 252 casos de gripe. Isso inclui vários tipos de gripe, como H1N2, H3N2 e a Influenza B. O número de mortes já chega a 64 em Minas Gerais.



Em 2017, foram 350 casos e 50 mortes. Ou seja, neste ano o número de mortes já é 28% maior do que o registrado em todo o ano passado. Em 2017, até o fim de julho, tinham sido 30 mortes.



Como a campanha de vacinação contra a gripe já terminou, quem não se vacinou deve procurar a dose em clínicas particulares, onde o preço da vacina varia de R$ 80 a R$ 120.



Veja Também