news:

Sul de Minas

Polícia investiga motivação de assassinato de taxista no Sul de Minas

Publicado por TV Minas em 14/08/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do G1

 

Motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.

 

A Polícia Civil investiga a motivação do assassinato do taxista José Venâncio da Silva, de 57 anos, em Três Corações. O taxista foi morto com um tiro na cabeça ao atender um pedido de corrida no bairro Jussara. O motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.

 

A polícia já começou a ouvir os taxistas do ponto onde a vítima trabalhava. Um homem de 21 anos foi preso suspeito de ter participado do crime. No entanto, segundo o delegado do caso, ainda não há nada que vincule o suspeito ao crime, já que ele já tinha um mandado de prisão em aberto.

 

"Até agora não há nada que o vincule ao caso não. Ele foi encaminhado à penitenciária porque ele saiu de saída-temporária e não retornou à penitenciária", disse o delegado Otávio Miari Branquinho.

 

Segundo as investigações, o taxista estava com R$ 500 na carteira. Ele trabalhava há pelo menos 9 anos no ponto da Rodoviária de Três Corações. Segundo os colegas de profissão, ele preferia rodar à noite.

 

"Ele só trabalhava à noite e é um cara que tinha, o patrão dele era um cara muito exigente, então para trabalhar com uma pessoa exigente 10 anos, é porque era bom", disse o taxista José Hugo Naves.

 

Segundo os motoristas, na semana passada um outro taxista foi assaltado. Por lá, todos estão preocupados com a violência.

 

"Isso aqui está uma verdadeira roleta-russa. Você não sabe quem entra dentro do carro e quem sai. É uma profissão de muito risco, um risco muito alto", completou o taxista.

 

A Polícia Civil vai analisar as imagens do circuto de segurança da rodoviária para tentar identificar suspeitos que possam ter participado do crime.

Matéria extraída do G1


 


Motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.


 


A Polícia Civil investiga a motivação do assassinato do taxista José Venâncio da Silva, de 57 anos, em Três Corações. O taxista foi morto com um tiro na cabeça ao atender um pedido de corrida no bairro Jussara. O motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.


 


A polícia já começou a ouvir os taxistas do ponto onde a vítima trabalhava. Um homem de 21 anos foi preso suspeito de ter participado do crime. No entanto, segundo o delegado do caso, ainda não há nada que vincule o suspeito ao crime, já que ele já tinha um mandado de prisão em aberto.


 


"Até agora não há nada que o vincule ao caso não. Ele foi encaminhado à penitenciária porque ele saiu de saída-temporária e não retornou à penitenciária", disse o delegado Otávio Miari Branquinho.


PATROCINADORES

 


Segundo as investigações, o taxista estava com R$ 500 na carteira. Ele trabalhava há pelo menos 9 anos no ponto da Rodoviária de Três Corações. Segundo os colegas de profissão, ele preferia rodar à noite.


 


"Ele só trabalhava à noite e é um cara que tinha, o patrão dele era um cara muito exigente, então para trabalhar com uma pessoa exigente 10 anos, é porque era bom", disse o taxista José Hugo Naves.


 


Segundo os motoristas, na semana passada um outro taxista foi assaltado. Por lá, todos estão preocupados com a violência.


 


"Isso aqui está uma verdadeira roleta-russa. Você não sabe quem entra dentro do carro e quem sai. É uma profissão de muito risco, um risco muito alto", completou o taxista.


 


A Polícia Civil vai analisar as imagens do circuto de segurança da rodoviária para tentar identificar suspeitos que possam ter participado do crime.


Matéria extraída do G1



Motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.



A Polícia Civil investiga a motivação do assassinato do taxista José Venâncio da Silva, de 57 anos, em Três Corações. O taxista foi morto com um tiro na cabeça ao atender um pedido de corrida no bairro Jussara. O motivo do crime ainda é um mistério para a polícia, já que nada foi levado da vítima.



PATROCINADORES

A polícia já começou a ouvir os taxistas do ponto onde a vítima trabalhava. Um homem de 21 anos foi preso suspeito de ter participado do crime. No entanto, segundo o delegado do caso, ainda não há nada que vincule o suspeito ao crime, já que ele já tinha um mandado de prisão em aberto.



"Até agora não há nada que o vincule ao caso não. Ele foi encaminhado à penitenciária porque ele saiu de saída-temporária e não retornou à penitenciária", disse o delegado Otávio Miari Branquinho.



Segundo as investigações, o taxista estava com R$ 500 na carteira. Ele trabalhava há pelo menos 9 anos no ponto da Rodoviária de Três Corações. Segundo os colegas de profissão, ele preferia rodar à noite.



PATROCINADORES

"Ele só trabalhava à noite e é um cara que tinha, o patrão dele era um cara muito exigente, então para trabalhar com uma pessoa exigente 10 anos, é porque era bom", disse o taxista José Hugo Naves.



Segundo os motoristas, na semana passada um outro taxista foi assaltado. Por lá, todos estão preocupados com a violência.



"Isso aqui está uma verdadeira roleta-russa. Você não sabe quem entra dentro do carro e quem sai. É uma profissão de muito risco, um risco muito alto", completou o taxista.



A Polícia Civil vai analisar as imagens do circuto de segurança da rodoviária para tentar identificar suspeitos que possam ter participado do crime.



Veja Também