news:

Notícias

Turquia aumenta tarifas de produtos americanos

Publicado por TV Minas em 15/08/2018

foto_principal.jpg

A Turquia anunciou nesta quarta-feira (15) um aumento das tarifas de vários produtos importados dos Estados Unidos, uma resposta às medidas similares aplicadas pelo governo americano ao aço e ao alumínio turcos.

 

“As taxas de importação de determinados produtos foram aumentadas de modo recíprocos aos ataques deliberados da administração americana a nossa economia”, anunciou no Twitter o vice-presidente turco, Fuat Oktay, que falou em “represálias”.

 

O decreto do aumento das tarifas assinado pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, foi publicado no Diário Oficial.

 

A lista de produtos inclui veículos de turismo (a nova tarifa é de 120%), determinadas bebidas alcoólicas (140%), tabaco (60%), arroz e produtos cosméticos.

 

De modo geral, as novas tarifas dobram as taxas aplicadas atualmente, segundo a agência estatal Anadolu.

 

As taxas respondem à medida adotada pelo governo dos Estados Unidos que dobra as tarifas sobre o aço e o alumínio turcos, o que provocou uma forte desvalorização da moeda turca e uma grande tensão entre Ancara e Washington.

 

Esta medida provocou a queda vertiginosa da divisa turca, que sofreu, na última sexta-feira, uma desvalorização de 16% em relação ao dólar. Desde o início do ano, o valor da lira turca caiu 40% frente ao dólar e ao euro.

 

Desde terça-feira, porém, a lira parece se estabilizar, graças às medidas do Banco Central de Ancara, às declarações tranquilizadoras do governo e ao apelo de Erdogan de converter ouro e divisas estrangeiras, que contou com a resposta de muitos turcos.

 

Nesta quarta, a divisa turca seguia sua recuperação frente ao dólar, passando inclusive abaixo do limite simbólico de 6 por dólar.

 

 

Trump ‘frustrado'

 

A elevação de tarifas de produtos importados americanos acontece um dia depois de Erdogan convocar um boicote aos produtos eletrônicos fabricados pelos Estados Unidos, como a marca Apple.

 

A escalada entre Washington e Ancara surgiu após a detenção por um ano e meio do pastor americano Andrew Brunson, submetido desde o final de julho à prisão domiciliar.

 

O pastor é acusado de envolvimento em atividades “terroristas”, o que ele nega de forma categórica.

 

A Casa Branca indicou que Trump sente “muita frustração pelo fato de o pastor não ser libertado”.

 

Nesta quarta, um tribunal turco desconsiderou um recurso, no qual Andrew Brunson pedia a suspensão da prisão domiciliar e da proibição de sair do território, informou a televisão TRT.

 

Em meio às virulentas declarações de Erdogan contra os Estados Unidos, a Turquia tenta preservar suas relações com outros sócios e aliados.

 

O presidente turco, que na semana passada se reuniu com seu colega russo, Vladimir Putin, recebe nesta quarta em Ancara o emir do emirado do Catar, xeque Tamim ben Hamad al-Thani.

 

Em outro movimento no xadrez político, na terça-feira, um tribunal turco libertou, inesperadamente, dois soldados gregos que haviam sido detidos em março na fronteira, um episódio que elevou a tensão nas relações entre Ancara e Atenas.

A Turquia anunciou nesta quarta-feira (15) um aumento das tarifas de vários produtos importados dos Estados Unidos, uma resposta às medidas similares aplicadas pelo governo americano ao aço e ao alumínio turcos.


 


“As taxas de importação de determinados produtos foram aumentadas de modo recíprocos aos ataques deliberados da administração americana a nossa economia”, anunciou no Twitter o vice-presidente turco, Fuat Oktay, que falou em “represálias”.


 


O decreto do aumento das tarifas assinado pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, foi publicado no Diário Oficial.


 


A lista de produtos inclui veículos de turismo (a nova tarifa é de 120%), determinadas bebidas alcoólicas (140%), tabaco (60%), arroz e produtos cosméticos.


 


De modo geral, as novas tarifas dobram as taxas aplicadas atualmente, segundo a agência estatal Anadolu.


 


As taxas respondem à medida adotada pelo governo dos Estados Unidos que dobra as tarifas sobre o aço e o alumínio turcos, o que provocou uma forte desvalorização da moeda turca e uma grande tensão entre Ancara e Washington.


 


Esta medida provocou a queda vertiginosa da divisa turca, que sofreu, na última sexta-feira, uma desvalorização de 16% em relação ao dólar. Desde o início do ano, o valor da lira turca caiu 40% frente ao dólar e ao euro.


 


Desde terça-feira, porém, a lira parece se estabilizar, graças às medidas do Banco Central de Ancara, às declarações tranquilizadoras do governo e ao apelo de Erdogan de converter ouro e divisas estrangeiras, que contou com a resposta de muitos turcos.


 


Nesta quarta, a divisa turca seguia sua recuperação frente ao dólar, passando inclusive abaixo do limite simbólico de 6 por dólar.


 


PATROCINADORES

 


Trump ‘frustrado'


 


A elevação de tarifas de produtos importados americanos acontece um dia depois de Erdogan convocar um boicote aos produtos eletrônicos fabricados pelos Estados Unidos, como a marca Apple.


 


A escalada entre Washington e Ancara surgiu após a detenção por um ano e meio do pastor americano Andrew Brunson, submetido desde o final de julho à prisão domiciliar.


 


O pastor é acusado de envolvimento em atividades “terroristas”, o que ele nega de forma categórica.


 


A Casa Branca indicou que Trump sente “muita frustração pelo fato de o pastor não ser libertado”.


 


Nesta quarta, um tribunal turco desconsiderou um recurso, no qual Andrew Brunson pedia a suspensão da prisão domiciliar e da proibição de sair do território, informou a televisão TRT.


 


Em meio às virulentas declarações de Erdogan contra os Estados Unidos, a Turquia tenta preservar suas relações com outros sócios e aliados.


 


O presidente turco, que na semana passada se reuniu com seu colega russo, Vladimir Putin, recebe nesta quarta em Ancara o emir do emirado do Catar, xeque Tamim ben Hamad al-Thani.


 


Em outro movimento no xadrez político, na terça-feira, um tribunal turco libertou, inesperadamente, dois soldados gregos que haviam sido detidos em março na fronteira, um episódio que elevou a tensão nas relações entre Ancara e Atenas.


A Turquia anunciou nesta quarta-feira (15) um aumento das tarifas de vários produtos importados dos Estados Unidos, uma resposta às medidas similares aplicadas pelo governo americano ao aço e ao alumínio turcos.



“As taxas de importação de determinados produtos foram aumentadas de modo recíprocos aos ataques deliberados da administração americana a nossa economia”, anunciou no Twitter o vice-presidente turco, Fuat Oktay, que falou em “represálias”.



O decreto do aumento das tarifas assinado pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, foi publicado no Diário Oficial.



A lista de produtos inclui veículos de turismo (a nova tarifa é de 120%), determinadas bebidas alcoólicas (140%), tabaco (60%), arroz e produtos cosméticos.



De modo geral, as novas tarifas dobram as taxas aplicadas atualmente, segundo a agência estatal Anadolu.



As taxas respondem à medida adotada pelo governo dos Estados Unidos que dobra as tarifas sobre o aço e o alumínio turcos, o que provocou uma forte desvalorização da moeda turca e uma grande tensão entre Ancara e Washington.



PATROCINADORES

Esta medida provocou a queda vertiginosa da divisa turca, que sofreu, na última sexta-feira, uma desvalorização de 16% em relação ao dólar. Desde o início do ano, o valor da lira turca caiu 40% frente ao dólar e ao euro.



Desde terça-feira, porém, a lira parece se estabilizar, graças às medidas do Banco Central de Ancara, às declarações tranquilizadoras do governo e ao apelo de Erdogan de converter ouro e divisas estrangeiras, que contou com a resposta de muitos turcos.



Nesta quarta, a divisa turca seguia sua recuperação frente ao dólar, passando inclusive abaixo do limite simbólico de 6 por dólar.



Trump ‘frustrado'



A elevação de tarifas de produtos importados americanos acontece um dia depois de Erdogan convocar um boicote aos produtos eletrônicos fabricados pelos Estados Unidos, como a marca Apple.



A escalada entre Washington e Ancara surgiu após a detenção por um ano e meio do pastor americano Andrew Brunson, submetido desde o final de julho à prisão domiciliar.



PATROCINADORES

O pastor é acusado de envolvimento em atividades “terroristas”, o que ele nega de forma categórica.



A Casa Branca indicou que Trump sente “muita frustração pelo fato de o pastor não ser libertado”.



Nesta quarta, um tribunal turco desconsiderou um recurso, no qual Andrew Brunson pedia a suspensão da prisão domiciliar e da proibição de sair do território, informou a televisão TRT.



Em meio às virulentas declarações de Erdogan contra os Estados Unidos, a Turquia tenta preservar suas relações com outros sócios e aliados.



O presidente turco, que na semana passada se reuniu com seu colega russo, Vladimir Putin, recebe nesta quarta em Ancara o emir do emirado do Catar, xeque Tamim ben Hamad al-Thani.



Em outro movimento no xadrez político, na terça-feira, um tribunal turco libertou, inesperadamente, dois soldados gregos que haviam sido detidos em março na fronteira, um episódio que elevou a tensão nas relações entre Ancara e Atenas.



Veja Também