news:

Notícias

Militantes encerram greve de fome por Lula

Publicado por TV Minas em 26/08/2018

foto_principal.jpg

Uma militante passou mal e foi hospitalizada por falta de nutrição. Objetivo final do protesto, de conseguir a libertação de Lula no STF, não foi atingido.

 

Os sete militantes do Movimento Sem Terra (MST) que faziam greve de fome pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerraram neste sábado a manifestação.

 

Ao todo, eles ficaram 26 dias sem ingerir alimentos – a grevista Zonália Santos chegou a passar mal durante um ato em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e precisou ser hospitalizada. No primeiro dia da greve, os militantes disseram que o ato só iria acabar quando o ex-presidente fosse solto. Lula continua preso em Curitiba, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

 

Os manifestantes também tinham como pleito forçar o STF a rever a decisão de cumprimento da pena a partir de condenação em segunda instância, o que levou Lula para a cadeia. O tema não foi pautado, mas eles conseguiram pelo menos se reunir com os ministros do STF Ricardo Lewandowski e Rosa Weber.

 

Da cadeia, Lula escreveu uma carta aos manifestantes, agradecendo-lhes pelo protesto em prol do “seu direito de ser candidato à presidente”. No fim do texto, divulgado ontem, ele pediu para os militantes se cuidarem porque precisava do voto deles.

Uma militante passou mal e foi hospitalizada por falta de nutrição. Objetivo final do protesto, de conseguir a libertação de Lula no STF, não foi atingido.


 


Os sete militantes do Movimento Sem Terra (MST) que faziam greve de fome pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerraram neste sábado a manifestação.


 


PATROCINADORES

Ao todo, eles ficaram 26 dias sem ingerir alimentos – a grevista Zonália Santos chegou a passar mal durante um ato em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e precisou ser hospitalizada. No primeiro dia da greve, os militantes disseram que o ato só iria acabar quando o ex-presidente fosse solto. Lula continua preso em Curitiba, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.


 


Os manifestantes também tinham como pleito forçar o STF a rever a decisão de cumprimento da pena a partir de condenação em segunda instância, o que levou Lula para a cadeia. O tema não foi pautado, mas eles conseguiram pelo menos se reunir com os ministros do STF Ricardo Lewandowski e Rosa Weber.


 


Da cadeia, Lula escreveu uma carta aos manifestantes, agradecendo-lhes pelo protesto em prol do “seu direito de ser candidato à presidente”. No fim do texto, divulgado ontem, ele pediu para os militantes se cuidarem porque precisava do voto deles.


Uma militante passou mal e foi hospitalizada por falta de nutrição. Objetivo final do protesto, de conseguir a libertação de Lula no STF, não foi atingido.



Os sete militantes do Movimento Sem Terra (MST) que faziam greve de fome pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerraram neste sábado a manifestação.



Ao todo, eles ficaram 26 dias sem ingerir alimentos – a grevista Zonália Santos chegou a passar mal durante um ato em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e precisou ser hospitalizada. No primeiro dia da greve, os militantes disseram que o ato só iria acabar quando o ex-presidente fosse solto. Lula continua preso em Curitiba, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.



PATROCINADORES

Os manifestantes também tinham como pleito forçar o STF a rever a decisão de cumprimento da pena a partir de condenação em segunda instância, o que levou Lula para a cadeia. O tema não foi pautado, mas eles conseguiram pelo menos se reunir com os ministros do STF Ricardo Lewandowski e Rosa Weber.



Da cadeia, Lula escreveu uma carta aos manifestantes, agradecendo-lhes pelo protesto em prol do “seu direito de ser candidato à presidente”. No fim do texto, divulgado ontem, ele pediu para os militantes se cuidarem porque precisava do voto deles.



Veja Também