news:

Ciência & Tecnologia

Startup testa solução para a mobilidade urbana no HackTown

Publicado por TV Minas em 05/09/2018

foto_principal.jpg

A mobilidade urbana é discutida no mundo todo e pensando no tema, uma startup pré-incubada na incubadora de empresas do Inatel pensou em uma alternativa que estimula o uso de bicicletas e de outros meios de transporte. A ideia inicial é de fornecer alternativas para eventos e ações na qual demandam o deslocamento de pessoas de um lugar para outro sempre pensando na solução de mobilidade na qual o evento acarretará. Uma dessas alternativas será testada pela startup Ellos.

 

A empresa desenvolve, por meio da tecnologia, soluções para a melhoria da mobilidade urbana em casos de um grande fluxo de pessoas em um determinado espaço. O teste envolverá o aluguel de bicicletas durante a segunda edição do HackTown que acontecerá em Santa Rita do Sapucaí entre os dias 7 a 9 de setembro.

 

Com um público estimado em quatro mil pessoas, o HackTown será para a startup o ponta pé inicial para os trabalhos e de validação da ideia. “Poder adicionar a mobilidade de forma personalizada a eventos e festivais é o nosso foco, este evento é um ambiente de testes perfeito para a ideia. Neste caso o uso das bicicletas foi o meio de transporte ideal para a ocasião, mas não se limitamos a apenas este meio, mas qualquer tipo de mobilidade, então dependendo do evento, pode ser realizado com patinetes, patins e até skates. A mobilidade é o que importa, então além do aluguel das bicicletas, fechamos ainda uma parceria com o trenzinho que estará na cidade e nossos clientes poderão utiliza-lo por meio do cashless”, disse o aluno de Engenharia de Controle de Automação do Inatel e sócio da Ellos, Roberto Luiz Assad Pinheiro.

 

Mas não só a mobilidade urbana é pensada. A startup também traz uma surpresa para quem utiliza as bicicletas. “Cada uma delas possui uma história. Ela possui um dono, vamos contar esta história para o usuário, que por meio do QR Code poderá ter acesso a este material em nosso site. Para conseguir as bicicletas, fizemos a campanha Cadê sua Bike e oferecemos para o dono o valor de 20% de cada aluguel e uma revisão. Logo muitas pessoas nos procuraram e a ideia deu certo. Vamos trabalhar no evento com mais de 35 unidades, distribuídas em três postos na cidade”, comentou.

 

“Estaremos já no credenciamento do evento e assim que a pessoa for credenciada e tiver a pulseira do HackTown ela já poderá ser um testador desta tecnologia. Neste momento o usuário será uma beta tester. Ele vai até nós e com a pulseira do evento cadastramos no nosso sistema. A partir daí o usuário poderá utilizar nossas bicicletas nos três diferentes postos que teremos na cidade. As bicicletas estarão no Inatel, na ETE – FMC e na Praça Santa Rita. A estratégia foi de pensar na quantidade de bicicletas e como iremos trabalhar para atender as demandas. Esperamos mobilizar entre 100 a 200 pessoas neste período”, disse o sócio da startup.

 

 

Planos e objetivos

 

Entre os objetivos da Ellos também está de observar como será a circulação destas bicicletas de um ponto para o outro e como o usuário utilizará a ferramenta. “Teremos dois planos de aluguel disponíveis para os usuários, um de curta duração de 30 minutos e outra de longa duração onde o usuário poderá utilizar a bicicleta o dia todo. O usuário, ao fim do seu destino, poderá deixar a bicicleta em qualquer dos três pontos disponíveis. Nestes locais, teremos pelo menos dois staffs que estarão disponíveis para tirar dúvidas ou auxiliar o usuário”, explicou a ex-aluna do curso de Engenharia de Computação do Inatel e também sócia da Ellos, Rafaela Lourenço de Paula.

 

Os sócios lembram que antes deste novo modelo de negócio, a ideia da Ellos era de trabalhar com um aplicativo para ganhar desconto ao pedalar, criado pelo Roberto para a Feira Tecnológica do Inatel. “Fizemos uma validação com três estabelecimentos de Santa Rita do Sapucaí, 10 ciclistas e daquela forma teria que ter que muitas pessoas para poder monetizar o negócio. Deu certo, as pessoas andaram, deu desconto, mas percebemos que iria ficar muito difícil para conseguirmos aplicar este modelo de negócio. Pivotamos o projeto inteiro, ele foi criado há dois anos, mas fizemos um estudo de mercado, passamos pela ideação da incubadora e reformulamos a ideia inteira. Agora a Ellos, une as pessoas”, comentaram.

 

Para a startup, os desafios deste novo modelo de negócio foram de encontrar nichos de mercado. “Inicialmente era só a ideia do uso da bicicleta, mas conseguimos pensar em outras possibilidades de transporte. Há um ano na pré-incubadora do Inatel nosso objetivo é sempre crescer, esperamos ser uma empresa incubada aqui na Instituição, mas só queremos este resultado se termos certeza que este modelo de negócio será positivo. O Hacktown será decisivo na continuidade do projeto. Após o evento, esperamos que este formato de mobilidade funcione e que chame a atenção de grandes eventos”, finalizaram os sócios. Mais informações sobre a startup pode ser consultada aqui.

A mobilidade urbana é discutida no mundo todo e pensando no tema, uma startup pré-incubada na incubadora de empresas do Inatel pensou em uma alternativa que estimula o uso de bicicletas e de outros meios de transporte. A ideia inicial é de fornecer alternativas para eventos e ações na qual demandam o deslocamento de pessoas de um lugar para outro sempre pensando na solução de mobilidade na qual o evento acarretará. Uma dessas alternativas será testada pela startup Ellos.


 


A empresa desenvolve, por meio da tecnologia, soluções para a melhoria da mobilidade urbana em casos de um grande fluxo de pessoas em um determinado espaço. O teste envolverá o aluguel de bicicletas durante a segunda edição do HackTown que acontecerá em Santa Rita do Sapucaí entre os dias 7 a 9 de setembro.


 


Com um público estimado em quatro mil pessoas, o HackTown será para a startup o ponta pé inicial para os trabalhos e de validação da ideia. “Poder adicionar a mobilidade de forma personalizada a eventos e festivais é o nosso foco, este evento é um ambiente de testes perfeito para a ideia. Neste caso o uso das bicicletas foi o meio de transporte ideal para a ocasião, mas não se limitamos a apenas este meio, mas qualquer tipo de mobilidade, então dependendo do evento, pode ser realizado com patinetes, patins e até skates. A mobilidade é o que importa, então além do aluguel das bicicletas, fechamos ainda uma parceria com o trenzinho que estará na cidade e nossos clientes poderão utiliza-lo por meio do cashless”, disse o aluno de Engenharia de Controle de Automação do Inatel e sócio da Ellos, Roberto Luiz Assad Pinheiro.


 


Mas não só a mobilidade urbana é pensada. A startup também traz uma surpresa para quem utiliza as bicicletas. “Cada uma delas possui uma história. Ela possui um dono, vamos contar esta história para o usuário, que por meio do QR Code poderá ter acesso a este material em nosso site. Para conseguir as bicicletas, fizemos a campanha Cadê sua Bike e oferecemos para o dono o valor de 20% de cada aluguel e uma revisão. Logo muitas pessoas nos procuraram e a ideia deu certo. Vamos trabalhar no evento com mais de 35 unidades, distribuídas em três postos na cidade”, comentou.


 


“Estaremos já no credenciamento do evento e assim que a pessoa for credenciada e tiver a pulseira do HackTown ela já poderá ser um testador desta tecnologia. Neste momento o usuário será uma beta tester. Ele vai até nós e com a pulseira do evento cadastramos no nosso sistema. A partir daí o usuário poderá utilizar nossas bicicletas nos três diferentes postos que teremos na cidade. As bicicletas estarão no Inatel, na ETE – FMC e na Praça Santa Rita. A estratégia foi de pensar na quantidade de bicicletas e como iremos trabalhar para atender as demandas. Esperamos mobilizar entre 100 a 200 pessoas neste período”, disse o sócio da startup.


PATROCINADORES

 


 


Planos e objetivos


 


Entre os objetivos da Ellos também está de observar como será a circulação destas bicicletas de um ponto para o outro e como o usuário utilizará a ferramenta. “Teremos dois planos de aluguel disponíveis para os usuários, um de curta duração de 30 minutos e outra de longa duração onde o usuário poderá utilizar a bicicleta o dia todo. O usuário, ao fim do seu destino, poderá deixar a bicicleta em qualquer dos três pontos disponíveis. Nestes locais, teremos pelo menos dois staffs que estarão disponíveis para tirar dúvidas ou auxiliar o usuário”, explicou a ex-aluna do curso de Engenharia de Computação do Inatel e também sócia da Ellos, Rafaela Lourenço de Paula.


 


Os sócios lembram que antes deste novo modelo de negócio, a ideia da Ellos era de trabalhar com um aplicativo para ganhar desconto ao pedalar, criado pelo Roberto para a Feira Tecnológica do Inatel. “Fizemos uma validação com três estabelecimentos de Santa Rita do Sapucaí, 10 ciclistas e daquela forma teria que ter que muitas pessoas para poder monetizar o negócio. Deu certo, as pessoas andaram, deu desconto, mas percebemos que iria ficar muito difícil para conseguirmos aplicar este modelo de negócio. Pivotamos o projeto inteiro, ele foi criado há dois anos, mas fizemos um estudo de mercado, passamos pela ideação da incubadora e reformulamos a ideia inteira. Agora a Ellos, une as pessoas”, comentaram.


 


Para a startup, os desafios deste novo modelo de negócio foram de encontrar nichos de mercado. “Inicialmente era só a ideia do uso da bicicleta, mas conseguimos pensar em outras possibilidades de transporte. Há um ano na pré-incubadora do Inatel nosso objetivo é sempre crescer, esperamos ser uma empresa incubada aqui na Instituição, mas só queremos este resultado se termos certeza que este modelo de negócio será positivo. O Hacktown será decisivo na continuidade do projeto. Após o evento, esperamos que este formato de mobilidade funcione e que chame a atenção de grandes eventos”, finalizaram os sócios. Mais informações sobre a startup pode ser consultada aqui.


A mobilidade urbana é discutida no mundo todo e pensando no tema, uma startup pré-incubada na incubadora de empresas do Inatel pensou em uma alternativa que estimula o uso de bicicletas e de outros meios de transporte. A ideia inicial é de fornecer alternativas para eventos e ações na qual demandam o deslocamento de pessoas de um lugar para outro sempre pensando na solução de mobilidade na qual o evento acarretará. Uma dessas alternativas será testada pela startup Ellos.



A empresa desenvolve, por meio da tecnologia, soluções para a melhoria da mobilidade urbana em casos de um grande fluxo de pessoas em um determinado espaço. O teste envolverá o aluguel de bicicletas durante a segunda edição do HackTown que acontecerá em Santa Rita do Sapucaí entre os dias 7 a 9 de setembro.



Com um público estimado em quatro mil pessoas, o HackTown será para a startup o ponta pé inicial para os trabalhos e de validação da ideia. “Poder adicionar a mobilidade de forma personalizada a eventos e festivais é o nosso foco, este evento é um ambiente de testes perfeito para a ideia. Neste caso o uso das bicicletas foi o meio de transporte ideal para a ocasião, mas não se limitamos a apenas este meio, mas qualquer tipo de mobilidade, então dependendo do evento, pode ser realizado com patinetes, patins e até skates. A mobilidade é o que importa, então além do aluguel das bicicletas, fechamos ainda uma parceria com o trenzinho que estará na cidade e nossos clientes poderão utiliza-lo por meio do cashless”, disse o aluno de Engenharia de Controle de Automação do Inatel e sócio da Ellos, Roberto Luiz Assad Pinheiro.



PATROCINADORES

Mas não só a mobilidade urbana é pensada. A startup também traz uma surpresa para quem utiliza as bicicletas. “Cada uma delas possui uma história. Ela possui um dono, vamos contar esta história para o usuário, que por meio do QR Code poderá ter acesso a este material em nosso site. Para conseguir as bicicletas, fizemos a campanha Cadê sua Bike e oferecemos para o dono o valor de 20% de cada aluguel e uma revisão. Logo muitas pessoas nos procuraram e a ideia deu certo. Vamos trabalhar no evento com mais de 35 unidades, distribuídas em três postos na cidade”, comentou.



“Estaremos já no credenciamento do evento e assim que a pessoa for credenciada e tiver a pulseira do HackTown ela já poderá ser um testador desta tecnologia. Neste momento o usuário será uma beta tester. Ele vai até nós e com a pulseira do evento cadastramos no nosso sistema. A partir daí o usuário poderá utilizar nossas bicicletas nos três diferentes postos que teremos na cidade. As bicicletas estarão no Inatel, na ETE – FMC e na Praça Santa Rita. A estratégia foi de pensar na quantidade de bicicletas e como iremos trabalhar para atender as demandas. Esperamos mobilizar entre 100 a 200 pessoas neste período”, disse o sócio da startup.



Planos e objetivos



PATROCINADORES

Entre os objetivos da Ellos também está de observar como será a circulação destas bicicletas de um ponto para o outro e como o usuário utilizará a ferramenta. “Teremos dois planos de aluguel disponíveis para os usuários, um de curta duração de 30 minutos e outra de longa duração onde o usuário poderá utilizar a bicicleta o dia todo. O usuário, ao fim do seu destino, poderá deixar a bicicleta em qualquer dos três pontos disponíveis. Nestes locais, teremos pelo menos dois staffs que estarão disponíveis para tirar dúvidas ou auxiliar o usuário”, explicou a ex-aluna do curso de Engenharia de Computação do Inatel e também sócia da Ellos, Rafaela Lourenço de Paula.



Os sócios lembram que antes deste novo modelo de negócio, a ideia da Ellos era de trabalhar com um aplicativo para ganhar desconto ao pedalar, criado pelo Roberto para a Feira Tecnológica do Inatel. “Fizemos uma validação com três estabelecimentos de Santa Rita do Sapucaí, 10 ciclistas e daquela forma teria que ter que muitas pessoas para poder monetizar o negócio. Deu certo, as pessoas andaram, deu desconto, mas percebemos que iria ficar muito difícil para conseguirmos aplicar este modelo de negócio. Pivotamos o projeto inteiro, ele foi criado há dois anos, mas fizemos um estudo de mercado, passamos pela ideação da incubadora e reformulamos a ideia inteira. Agora a Ellos, une as pessoas”, comentaram.



Para a startup, os desafios deste novo modelo de negócio foram de encontrar nichos de mercado. “Inicialmente era só a ideia do uso da bicicleta, mas conseguimos pensar em outras possibilidades de transporte. Há um ano na pré-incubadora do Inatel nosso objetivo é sempre crescer, esperamos ser uma empresa incubada aqui na Instituição, mas só queremos este resultado se termos certeza que este modelo de negócio será positivo. O Hacktown será decisivo na continuidade do projeto. Após o evento, esperamos que este formato de mobilidade funcione e que chame a atenção de grandes eventos”, finalizaram os sócios. Mais informações sobre a startup pode ser consultada aqui.



Veja Também